8º Dia - De Capão a Lençóis - Expedição Chapada Diamantina 2009

1º dia de Salvador para Lençóis foi muita euforia e empolgação para chegada e início da Expedição. 8º dia de Capão para Lençóis muita euforia e empolgação para chegada e término da Expedição (estado de espírito presente em todos os dias) e um pouco de “quero mais”. Amanheceu o sábado e chega nosso guia Nito, um personagem para lá de Baiano da Chapada, mistura de Rasta com ciclista e não é que ele chega de Trek 3500! Todos prontos, fotos na frente da pousada Mundo Verde e lá vamos nós para o último trecho da viagem e que trecho! Neste trecho teve de tudo, single track´s, estradas, paisagens de “tirar o fôlego”, com o famoso “Morrão” criando um visual de pano de fundo, que mesmo a distância e em fotos já era lindo, imagine de perto, nossa!!!!! Inarrável a emoção de nós três, aí Nito fala que estávamos chegando nas “Águas Claras”, lugar lindo com três níveis de queda d’água, passamos e o Morrão chegando, muito lindo, paramos para admirar uma obra divina ali ao nosso lado. Foi quando Nito falou para olharmos para a nossa direita e foi uma nova surpresa, eram os morros “Três Irmãos”, outra visão deslumbrante, e continuamos a olhar, olhar para todos os lados, ou seja, esquecemos de pedalar e ficamos contemplando aquilo tudo. De volta ao pedal, avistamos o morro “Pai Inácio” e chegamos ao rio Mucugêzinho, tudo o que tem de melhor, ali perto, muito perto! Descansamos, para continuarmos em sentido a Lençóis, por outras trilhas para lá de bonitas, muito mato, córregos cortando a trilha, e para nossa surpresa vinha em nossa direção uma casal de gaúchos (mulher e homem ), hehehe, em duas Giant´s iradas, quando nos viram ficaram admirados pois estávamos com nossos alforjes e melhor de calça comprida, pois é muito capim navalha e haja lapiada nas pernas, deu dó da gaucha, pois ela estava coma perna branquela toda vermelha de vergões e ela não se agüentou e falou: “Está vendo os caras estão de calça comprida e nós não!”, bom ai fazer o que !!? Só restou nós darmos risadas e concordar com ela. Continuamos em sentido a Lençóis e chegando ao topo do morro, Nito falou que poderíamos seguir sozinhos, era a descida do “barro branco” de 11 km. Nós despedimos de Nito e começamos a descer em sentido a Lençóis onde terminamos a nossa Expedição bem no centro de como começamos. Ao fim desta maravilhosa experiência adquiri, mais um amigo o Piau e fortaleceu a minha amizade pelo Elson. Graças a Deus terminamos esta primeira grande jornada sem nenhum acontecimento que não fosse de alegria, prazer e satisfação de ter feito o que de melhor se pode ser feito, ou seja, pedalar com amigos e num lugar como extraordinário como a CHAPADA DIAMANTINA! Ricardo (Popó).
VEJA OS VÍDEOS ABAIXO
video
video
video
video
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR