Trilha de Arembepe até Monte Gordo

Clima de ansiedade para o “Vai Quem Quer, Volta Quem Pode” e trilha nova para muita gente, assim foi o nosso último pedal de Arembepe até Monte Gordo. No mês passado, descobrimos essa trilha, mas ficou uma pendência, passamos por uma fazenda e fomos obrigados a sair da propriedade por um senhor responsável pela segurança do local. Dessa vez, com aprovação de todos, aventuramos encontrar uma nova passagem e foi o que aconteceu! Não mais iremos precisar passar pela fazenda e fechamos uma trilha maravilhosa!!! Bastião, não será mais necessário enfrentar o Sr. Castelo! Rsrs. Teve gente que pediu para incluir essa trilha no Vai Quem Quer... Olha, olha! Ah! Quando a bike de Bruno quebrou a gacheira, Beto deu a maior força, mas Sapo não quis saber de liberar o Power link!, não deixe de ver a Pérola da trilha abaixo. Rsrs. Depois que saímos no asfalto e atravessarmos a Ponte do Rio Jacuípe, tivemos a infeliz surpresa de saber que a estrada que leva até Monte Gordo foi asfaltada. Paramos na Tereza do Mocotó e viemos pela Estrada do Coco. Para os que saíram de Busca Vida, foram 80km de um pedal puxado, um bom treino para o Desafio Vai Quem Quer, Volta Quem Pode! Até lá. Elson.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR









PÉROLA DA TRILHA

(O Power Link de Sapo)

Trilha Vai Quem Quer, Volta Quem Pode

VOÇÊ NÃO PODE PERDER!
Olá pessoal, Está marcado, dia 29/05, o desafio Vai Quem Quer, Volta Quem Pode! Uma grande trilha idealizada pelo Mural de Aventuras em parceria com os Dinos Bikers (http://www.dinosbikers.com.br/), com certeza será um marco para todos os participantes e praticantes do Mountain Bike...
Iremos iniciar a trilha em Abrantes, passaremos por Arempebe, Barra do Jacuípe, Monte Gordo, Barra do Pojuca e voltaremos ao ponto de partida novamente pela trilha. Somente iremos passar pelo asfalto em alguns pontos obrigatórios. Serão aproximadamente 145km com nível de dificuldade alta. Na chegada, como sempre todos juntos, os presentes serão relacionados para receberem as devidas congratulações e reconhecimento como aqueles que puderam voltar!!! Local de encontro: Posto BR na entrada de Busca Vida às 6:10h, com saída às 6:30h.
ATENÇÃO: Será uma PROVA de endurance e não de corrida, onde será mantido um ritmo médio aproximado de 15 km/h. Informamos que estão programadas paradas de 15 minutos a cada 25 a 30km, para hidratação, alimentação, descanso. Orientamos que somente quem esteja devidamente preparado fisicamente compareça a esse desafio.

Dicas importantes: lembrar dos equipamentos de segurança (sem capacete, tênis, luva não pedala com o grupo); levar lanterna para possível pedal noturno, estar alimentado, levar bastante água e alimentos; levar materiais para pequenos reparos na bicicleta (câmera, bomba, ferramentas, gancheira, etc.). Bom preparo, disposição, vontade de encarar desafios! rsrsrsrs. Um grande abraço!!! Elson.

VEJA ABAIXO O TRAJETO DETALHADO COM AS PARADAS. CLIQUE NELE PARA AMPLIAR.

Desafio da Serra da Jiboia

Desde 2008, quando comecei a pedalar, sonhava com a idéia de subir no alto de uma serra que avistava no horizonte na região de Santo Antônio de Jesus. A cada dia que melhorava o meu preparo físico sabia que chegava mais perto desse objetivo. Fui conhecendo a região e cheguei até a realizar algumas trilhas próximas, certa vez, eu e Gaucho chegamos até a subir a Serra, mas não conseguimos encontrar uma forma de chegar até ao agrupamento de antenas existente na parte mais alta.
Pois bem, o dia chegou! Eu e o grande aventureiro Mauro, ou melhor dizendo Maurão, chegamos na sexta-feira a noite na Fazenda e no dia seguinte levantamos bem cedo para iniciarmos o desafio de chegarmos até às antenas no alto da Serra da Jiboia! Como alguns já sabem, naquela região não existe percurso plano e como diz Popó: “Ou você desce, ou sobe, sobe, sobe”. Rsrsrs.
O céu estava nublado, nem era possível ver a serra por causa das nuvens baixas, mas partimos confiantes sempre subindo as enormes ladeiras. Quando chegamos mais perto da serra, as nuvens dispersaram por alguns instantes e foi possível ver as antenas, foi aí que caí da real, estavam muito altas!!! Rsrsrs. Mostrei para Maurão o nosso objetivo e ele com confiança falou: “Vamos lá, nem que dure o dia inteiro!”, aí não teve jeito, dois “doidos” por aventura! Hehehe.
Depois de perguntar para alguns poucos moradores da região, conseguimos chegar a base da montanha. Paramos para reunir forças visando o ataque final ao cume!Hahaha. Conhecemos um senhor que enfatizou por diversas vezes que iríamos subir muito! “Peguem sempre a direita!”, ele não foi nada animador...rsrs. Com força total, começamos a subir, subir, subir e quanto mais subíamos, a “coisa” ficava mais “feia”! hehehe. Entramos na mata e por diversos momentos empurramos as bikes para vencer a íngremes e escorregadias ladeiras, cheias de folhas, galhos e raízes. A chuva apertou e aproveitamos para fazer uma parada e contemplar o lugar que era alucinante! Uma verdadeira floresta, com grandes árvores e com um visual totalmente incrível! Fiz alguns filmes para tentar registrar a situação, não deixem de ver abaixo!
Mais na frente, tive um grande susto! No meio da trilha, antes que passasse por cima, brequei quase em cima da uma cobra! O meu pneu dianteiro, ficou a menos de 10cm da cabeça dela! Ela tinha mais de 1 metro de comprimento e com certeza era venosa. Liguei a câmera e comecei a filmar, ela chegou até a tentar vir em nossa direção, mas Maurão pegou um galho e com muita coragem espantou. Ufa!!
Na chegada às antenas fomos tomados por um sentimento de grande realização!!! Estávamos muito felizes com a conquista! Mas não foi possível ficar lá por muito tempo, ventava muito, caía uma chuva fina e estava muito frio... Descemos pela estrada de acesso que os técnicos utilizam para realizar manutenção nos equipamentos, mas cheia de erosão. Um grande downhill de mais de 5km até o povoado de “Pedra Branca”, show!
Em Pedra Branca, encontramos em um boteco, um grupo de MotoCross que logo ofereceram uma cervejinha, aceitamos na hora! Rsrs. Quando Maurão pediu para a atendente fazer pão com ovo, um deles gritou para ela aumentar a gororoba para mais dois (eu e Maurão). A gororoba era mais nada do que: kitute de boi, ovo, farinha, tomate e cebola, uma delícia, que foi servida em três pratos com dois garfos cada para 6 (seis) famintos! Hahahaha. Eles falaram para pegarmos a mesma trilha que eles tinham vindo para “cortar” caminho para depois de Castro Alves. Depois de algumas explicações, decidimos encarar.
A trilha da galera de MotoCross foi um grande sofrimento! Logo no início, subimos muito! Praticamente toda a serra novamente, o problema foi que como estava com muita lama, empurramos muito!!! A todo o momento xingava os caras, hehehe. A nossa esperança é que quando começássemos a descer iria ser só alegria, mas não foi o que aconteceu... Foi muito pior!!! Nunca tinha visto tanta lama!! Os pneus ficavam travados, nem precisávamos freiar! Afff!!!Quando saímos da trilha, nem dava para pedalar, os pedais,correntes, freios, a bike toda estava coberta de lama, precisamos lavar para continuar.
Já era aproximadamente 16:30, quando fiz as contas e descobri que não conseguiríamos chegar antes de anoitecer, não tínhamos lanternas, aí o objetivo passou a ser chegarmos está o povoado “Tabuleiro do Castro”. Foi uma corrida contra o tempo, os últimos 5 km não foi possível enxergar quase nada, já passava das 18h. No povoado, ligamos e pedimos o resgate! Hehehe.
Mais uma grande aventura! Mais Emoções dos Desafios! Um grande abraço, Elson.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR.




VEJA OS VÍDEOS ABAIXO.
video
Condições da Subiba - A Mata
video
Condições da Subida - A Mata


video

A Cobra

video

O Cume - Objetivo Alcançado