Corujão 6

Como estou feliz nesses últimos dois meses! Descobri um esporte que me realiza. Moro em Lauro de Freitas há mais de 5 anos e não tinha uma atividade física que me surpreendia. O Mountain Bike está me encantando. De 60 dias para cá, eu só tinha feito trilhas e passeios nível 2, percurso de 30 a 40 km. O CORUJÃO seria o grande desafio.
Desde que vi o anúncio no Mural de Aventuras, disse comigo mesmo, esse eu não perco por nada. E o desafio não era tão grande, pois a expectativa era de ser nível 3 e 60 km. Essa eu dou conta. Jairo, Rafael e outros companheiros me incentivaram. Vá, vai ser tranqüilo. E eu fui.
Na véspera, aquela ansiedade. O dia todo pensando nesse CORUJÃO (meu apelido de infância era corujinha).O dia de sexta feira foi corrido. Já tínhamos feito na quinta o passeio Night Bike e a Trovão Azul (nome da minha Bike) estava tudo ok.
Lucas chegou em casa as 20 horas. Embarcamos e fomos rumo a Guarajuba, ao posto Paraíso.Na chegada, o primeiro baque. Só máquina , uma bicicleta melhor que a outra, todos muito bem preparados. Me senti enfraquecido, com a Trovão Azul, que nessa hora virou no máximo Faísca Azul. Todos estavam clipados , menos eu e o Marcelo. Mas fomos prontamente muito bem recebidos e acolhidos por Elson e equipe do Mural e todos outros companheiros . Feitos os últimos ajustes e vencido o primeiro medo e desafio, iniciamos a trilha.
Começamos pela triha do Piau( foi descoberta pelo companheiro Piau). Uma delícia, mato, triha, triha com cimento e terra. Visita a beira do rio , no primeiro descanso e lanche.
Depois de muitas descidas e subidas, tivemos a primeira queda, Marcelo. Numa descida com buracos , foi ao chão. Todos socorreram e esperaram. Quebrou o suporte da lanterna. Prontamente alguém se apresentou para ceder um. Resolvido, e agora já definido mais ou menos o pelotão da frente e o de trás . Fui muito bem orientado, como era a primeira triha puxada a fazer , de ficar se resguardando para o final, não queimar energias. Sábias orientações. Eu e o Marcelo ficávamos para trás, mas todos tinham paciência e companheirismo. Lá pelas 3 horas da manhã, eu e o Marcelo já queríamos pedir água, arrumar uma alternativa para deixar a trilha. Comunicamos a Elson e a todos. Mas, nos deram força e incentivo. Vocês conseguem, já ta terminando (eram só três de manhã), todo trilha tem alguém com dificuldade. Com o apoio de todos , seguimos.
Não sei se por providência de Deus ou outra, a corrente da Bike de Marcelo se enroscou. Foi complicado. O pelotão da frente retornou. Houve cooperação e com a determinação do Piau, conseguimos resolver.
Seguimos, eu e o Marcelo na rabeira, nos superando, com muitas dores. Depois tivemos muita areia até a chegada da represa de Santa Helena. Um providencial descanso. Nessas paradas, muitas histórias compartilhadas,interessantes , diferentes e engraçadas. Tem até companheiro que coloca a Bike no quarto, por paixão.
Depois veio o conforto do nascer do sol e o alívio de saber que estava mais próximo do final. Mais trilhas . Mais uma queda. Agora o maluco do Lucas, numa dessas peraltices, caiu. Com a proteção do capacete, arranhou o rosto e a orelha. Mais segue.
Agora asfalto e algumas trihas. Subidas e descidas fortes. Furou o pneu da minha Bike e de outra. Houve compartilhamento e ajuda da equipe. Resolvido, seguimos até asfalto. Claro , eu e o Marcelo na rabeira , nos superando, um dando força ao outro.
O melhor foi na chegada em frente ao posto Paraíso, onde ficamos sabendo que foram 80km e nível 4 e os elogios da equipe. Que alívio.
Fomos ao mocotó da Teresa. A maioria pediu o mocotó, mas teve também teve feijoada, carneiro ensopado e dobradinha. A dobradinha e a cerveja estavam uma delícia.
Retornamos ao posto, embarcamos as Bikes e nos despedimos com abraços ,e já com olhos e desejos para o SÉTIMO CORUJAO .
FOI MUITO BOM. MARAVILHOSO. COMPANHEIRISMO,SUPERAÇÃO,COMPARTILHAR HISTÓRIAS.
MUITO OBRIGADO A ELSON E COMPANHEIROS DO MURAL DE AVENTURAS ( não me lembro o nome de todos), A TODOS OS COMPANHEIROS , PELOS MOMENTOS MARAVILHOSOS QUE PASSAMOS JUNTOS.
SE DEUS QUISER, EU ESTAREI NO SÉTIMO CORUJAO, COM PNEUS NOVOS E CLIPADO.
QUE DEUS NOS ABENÇÕE.
UM FORTE ABRAÇO. Fernando (O Corujinha).

Havia algum tempo que vinha ouvindo sobre o Corujão do Mural de Aventuras... A curiosidade de ir ao Corujão 6 foi aguçada no CTM que antecedeu o mesmo. Porém, pra mim havia um pequeno empecilho: já havia folgado no sábado passado e desta vez a escala seria minha... que tristeza. Entretanto, um integrante do Mural não pode ser dar por vencido ! Viva a “Emoção dos desafios” ! Na quinta-feira enfiei na cabeça que tinha de ir de qualquer jeito. E assim foi !
Pra começar, comprei o rack: Já estava mais do que na hora... Na sexta-feira, como marcado, nos encontramos no posto Paraíso, em Guarajuba. Fui um dos primeiros a chegar, juntamente com o Lucas e o Josué. Até então no posto se encontrava o Elson, ansioso pelo início da prova e acompanhando on-line os comentários. Uma das primeira perguntas feitas por ele: Você trouxe comida, não trouxe? rsrs. Então o que achava ser suficiente de suprimentos, foi complementado com uma leve compra na Conveniência do posto.
A medida que o time foi chegando, foram rolando algumas resenhas, como de praxe.
Antes das dez horas, começamos a revisar e preparar as bikes e suprimentos para dar início à trilha. Por volta das 22:00hrs saímos em direção à “Trilha do Piau”, descoberta pelo biker de mesmo nome, claro ! Me corrijam se estiver enganado...rsrs
Que trilha gostooosaaa !!! Logo de cara num descidão levei um capote ! Me veio à cabeça a mensagem do Piau: Turma, cuidado, pois tem muitas valetas em alguns trechos... Pra ele estava tranqüilo: Seu pneu dianteiro foi surrupiado de algum trator !!! Que pneuzão Piau !
Nesta queda sem maiores perdas, minha Q-lite teve seu suporte quebrado e o Pita me emprestou o dele, que precisou ser reforçado por uma fita isolante “Tigre”, portada pelo Lucas.
E tooome descidão! Cabeça ao vento! E como já é de se esperar, se tudo que sobe desce, tudo que desce, sobe. Mas é ÓBVIO!!! E assim foi, uma subidinha gostosa pra nos preparar pelas que estavam por vir.
Algumas pontes de madeiras, as quais passavam um por vez fizeram parte deste trajeto. Chegando ao final deste trecho, passamos ao lado de um rio, com um espaço estreito e um buraco “acanhado” ao meio, o qual se vacilasse caia água a dentro. Teve gente que ficou com medinho... rsrs. Logo após, chegamos ao final da trilha do Piau. Paramos pra comer um pouquinho, sempre com a consciência de não sujar a natureza, muito bela, diga-se de passagem.
Neste momento, diversas surpresas aconteceram: teve gente que tirou holofote de dentro da mochila, né Lucas ? Teve calango roubando óculos, ou melhor, escondendo, pois depois foi achado e por aí foi. Elsão, apaixonado, deu uma namoradinha com sua Especialized EPIC e tirou umas fotos da máquina. Eu, aproveitei pra encher o bucho! Tome VO2 e barra de cereal pra dentro. Do bucho, claro. Tiramos algumas fotos e começamos a retornar pelo mesmo lugar que viemos, saindo desta trilha inicial.
Nada do sono chegar... impressionante! Doze zumbis mato a dentro com suas bikes. Com a benção de Deus, estava tudo dando certo !
Demos andamento ao Corujão, desta vez entrando em Monte Gordo. Um subidão delicioso nos deu as boas vindas. Subidão este, que parece ser ainda maior de manhã. Uma paradinha pra fazer xixi... Ops! Quem faz xixi são elas ! Paramos pra tirar a água do joelho! E tome chão noite a dentro...
Após muito pedal, chegamos até a barragem de Santa Helena, a qual morria e não saberia de sua existência se não fosse o Mural. Admiramos a mesma, resenhamos e comemos, de novo. Dois cachorros mizerávis surgiram no meio da madruga em plena barragem, porém só faziam latir, como se disessem: “Bem vindos time do mural ! Esta é a barragem de Santa Helena”. Pelo menos foi o que escutei... Descansamos brevemente e retomamos o pedal. O sono esteve ausente em todo o pedal, mas em mim já começava a surgir o cansaço, afinal era um desafio novo para mim.
Não podia desistir...nem que quisesse, afinal estava num “breu” do baráleo !
Em certo momento, quando senti que estava ficando pra trás junto com meu fidedigno companheiro Fernando, perguntei ao Elson: Tem alguma saída no meio do caminho que dê aonde os nossos carros se encontram ? Uma resposta bem objetiva me veio aos ouvidos, quase que em coral: Não! Putz!!! Mas é óbvio que não zorra! Pensei. Estávamos no meio do mato a não sei quanto quilômetros de onde entramos. Faz sentido.
Foi aí que conheci o GU. Fiquei sabendo que o GU custa caro. Nunca tinha comido um. Não sabia os prazeres que um GU poderia proporcionar, nem a energia que poderia fornecer. Aaahhh como eh bom! Obrigado Elsão!!! Tive a todo tempo o Mural me apoiando a chegar ao final da prova. Josué como sempre, meu Coach. Valeu vovô!!! O GU que comi me fez ficar mais vivo por um tempo. Pouco tempo após, tomei um “repositor eletrolítico” em pastilha, dado por Elson, pra variar, diferente do que eu possuía: parecia sal com TANG de uva prensado, mas deu uma renovada muito boa.
Tempos após, creio que já na faixa dos 50 Km, fiquei preocupado, pois não conseguia mais acompanhar o ritmo do time, que sempre se preocupava em aguardar por todos seus integrantes. Foi então que ganhei um dos rádios. Isso mesmo, haviam 4 rádios ao total para nos comunicarmos caso imprevistos acontecessem. Com muito suor e sangue nos olhos continuei o pedal. “Eye of the Tiger” ! Como tinha de ser com emoção, a corrente da GT travou na catraca em uma das subidas, proporcionada pelo retardo na mudança de marcha que só um câmbio Tourney pode te oferecer após alguns Km de trilha. Tentei tirá-la juntamente com o Josué mas não tinha jeito, puxa ali, puxa aqui e nada. Aos poucos o time foi chegando no local. Retiramos a roda, mas, nada de soltar a corrente... Paulão puxou uma faca que mais parecia uma peixeira, do Mural inclusive, pra dar uma força mas não adiantou. Foi então que Elson e Piau, com seus sei lá quantos Cm de bíceps e Tríceps, destravou “natoralmente” a danada numa naturalidade digna de um Ironman rsrs. Para fechar com chave de ouro, pois a de corrente já não dava jeito, conectamos a mesma com um Powerlink inflacionado, porém salvador, “vendido” no meio do mato por Vovô. Valeu mais uma vez Josué!!! E partimos!!! De novo.
Tome chão, chão, chão... gostosa. Trilha muito gostosa ! Mas ô gostosa que me cansou!
Dispositivo pneu furado do Piau acionado! Lanterna do Mandrake (é assim que escreve?) descarregada... Troca pneu, troca bateria... Nesta hora percebi que o inspetor bugiganga estava presente no nosso Corujão: Paulão! Putz!!! O cara tinha de tuuudooo na mochila meu! E muito ajudou ao time. Valeu Paulão! Pneu e bateria trocados, hora de continuarmos o Corujão!
Andamos mais um pouco e já sentimos o dia começar a amanhecer. Tiramos uma foto ao “Sunrise”, com a benção divina.
Chegamos do outro lado da reserva de Sapiranga, tendo a trilha de mesmo nome como referencial. Tome pedal!!! Terra batida, algumas fazendas e gados e aquele cheirinho agradável de natureza proporcionado apenas por ambientes característicos. A esta altura já se via nativos começando o seu dia, muitos de bike inclusive! Uma paradinha pra comprar água e lá vamos nós!
Mas um pouquinho de trilha, trecho de asfalto e chegamos ao posto menor preço: rotatória de Itacimirim. Estava chegando ao fim uma trilha que ficaria na memória e no coração.
Já as últimas, estava com meu companheiro Fernando ao lado e junto fomos ao encontro do restante do time em frente ao posto Paraíso, aproximadamente as 07:00 da matina.
Seguimos à Monte gordo, onde tiramos mais uma foto e fomos rumo à Tereza do Mocotó!!!
Que comida boa!!! Tenho certeza de que era, mas, ainda que não fosse, com a fome que eu estava ela estaria promovida a melhor comida da minha vida ! rsrs Muitas resenhas, risadas e satisfação comum à todos deste time impressionante que é o Mural de aventuras. Descansamos um pouquinho e voltamos pedalando, claro, aos nossos carros. Arrumamos todo equipamento e...
Chegava ao fim, um desafio que ficará na memória e no coração de todos que participaram. Obrigado Mural!!! Vocês são foda!!! Pra mim, ainda restava outro desafio: ir ao trampo para bater o ponto e garantir o dia. E assim foi... Marcelo.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
























































14 comentários:

Elson disse...

Lembro de Marcelo em julho desse ano no 3˚Troféu Roda Presa, ele foi conhecer o Mural de perto pois já acompanhava o grupo pelo site e estava "tomando coragem" para vir se jogar conosco nas trilhas.

O caso de Fernando, foi um pouco diferente mas bastante comum, na trilha Corujinha da semana passada ele me perguntou quantos integrantes tinha o Mural, eu respondi rapidamente: "Eu não sei." e completei "Você pode fazer parte a partir de agora, é só pedalar conosco...", explicando melhor falei para ele que tem muita gente que acompanha o Mural, mas nunca fez uma aventura conosco, uns vão, demora um pouco e volta, é assim! Para mim todos são do Mural, não tem como saber o número... rsrsr.

Parabéns aos dois resenheiros! Vocês mostraram garra, sangue nos olhos, determinação. Vocês tem tudo para continuarem a crescer no Mountain Bike, pois esse esporte é isso, tem que gostar também de sofrer...rsrsrs. Gostar da Emoção dos Desafios!
Um grande abraço e até a próxima!

josa disse...

exelentes resenhas, conseguiram passar a emoção do desafio daquela primeira trilha que nos pareçe,que não vai acabara nunca srsrsrs, mas voces mostraram que são alem de determinados, tambem estavam curtindo A EMOÇÃO DOS DESAFIOS, parabens,e BMMP.

josa disse...

Pita como é que voce está? tô 100%... esbagaçado, acabado, quase nem fala direito, com os olhinhos quase saido das orbitas kkkkkkkkk, ahh a musiquinha dos poneis malditos é para o que falavam de sujar a bike na lama, imagine, mountain bike sem sujar a bicicleta,quem guenta? Rato favor dar uma resposta a quem não quer sujar a bike srsrsrsr

JP - João Paulo disse...

Novatos.. se acostumem, já pedalo com essa galera a quase dois aons, e ainda fico ansioso na véspera das aventuras.. oun seja, a emoção começa bem antes.. rsrsr

Parabéns pelas resenhas e pelo desafio. Na proxima estarei presente !

Parabéns Mural !

JP.

PS: Pita meu filho, que cara de cansadinho é essa?? kkkkk

Pedro Neves disse...

Parabéns Galera! Parabéns aos ‘’novatos’’ que pelo que pude ler se superaram muito!

Obs. Não tem ninguem como mais raiva do que eu por não ter ido pro Corujão...

‘’Não sabia os prazeres que um GU poderia proporcionar’’. Elsão, explica melhor essa historia do GU que você deu ao Marcelo kkkkkkk

No dia seguinte ao Corujão pedalei com Ramiro e na volta do pedal, a primeira coisa que Jessica disse: Pitta passou aqui e tava com os olhos tão vermelhos e esbugalhados... kkkkkk

É isso ai galera, no próximo Corujão estarei presente!

Igor Sousa disse...

RPZZ!! Que Resenhas são estas??!! Na Moral, parabéns ao Corujinha, ao Marcelo"VAIO" e a equipe do mural pela aventura e apoio extremo aos caras!!
Tava aqui lendo tudo, pregado no texto e sentindo falsa impressão de falta de ar já c o sofrimento do Marcelo e do Corujinha essa galera!! Hahuehuahueuhahu TROFEU RAÇA pra vcs 2!!

Minha Poney Maldita(BIKE) NUNCA aguentaria esse trancoo!! Só volto de bike nova em breve!.. Vaio fez "A" resenha aew! Passou realmente toda a emoção da trilha detalhada e com bastante empolgação cara!! Fiquei aqui vibrando com seu texto! Show!
Agr.. esse negoço aí do GU, como é que é isso hein rpz? Explica aew.. aHEOIheiHEIhiehIUHEiu

Parabéns a todos, Elsão pra variar arrebentando na cobertura e edição das fotos e vídeos Também! Abração MURAL!!

Ramster disse...

Eu tô com inveja d'ocês, pois ainda não estou pedalando, mas em breve voltarei e compartilharei de todo sofrimento mútuo, mas corujão é corujão e é show de bola.
Pita, você conhece a música do Raul, hei Al Capone?
Compra um vídeo game e cai fora, senão os zóios caem. kkk
A explicação pra esse fenômeno no Pita, Josa, é fácil. Sabe qual é o maior nervo do corpo humano? É o anal optic nerve, pois puxe um tufo de cabelo do ânus e veja se não lágrimas dos olhos? ele tem esta parte sensível por ficar muito tempo sobre o cuxim aí os olhos inflamam. haua haua
Galera, QUEM QUER SE DIVERTIR QUE VÁ PRA DISNEY, AQUI É MURAL DE AVENTURAS, ONDE PAI CHORA E FILHO VÊ, PRA NÃO FAZER IGUAL. KKK

PEDALE SEMPRE! SE PARAR, VOCÊ CAI.

Fonseca disse...

Galera, sentí muito não poder participar do CORUJÃO, problemas profissionais impediram. Parabéns ao Fernando e ao Marcelo pelas resenhas e pela disposição em acompanhar esta galera veterana. Quanto a cair não se estressem não, basta lembrar de mim no corujinha, rsrsrs. Parabéns ao Elson pela organização do evento, pela postagem das fotos e do vídeo e a todos os colegas que compõem a equipe MURAL DE AVENTURAS. espero poder estar nas proximas edições.

Nanal disse...

Galera, só de ler as resenhas do mural, me dá uma saudade danada..... por sinal, as resenhas estão muito boas.. parabéns... espero esta de volta o mais breve possível...

PS.: Pessoal, o mural tem alguns lemas, e um deles é "Nós empurra mas não ponga"... tem gente pongando e em moto..... rsrsrsr

Nanal

Piau disse...

Mais um show de trilha!!! Aliás qual trilha do Mural que não proporciona grandes emoções e grandes desafios????
Com a certeza de que tudo será vivido e superado!!!!
Maravilha de resenha galera...!
Pedalar com o Mural nos permite adquirir e aprimorar algumas virtudes em nossas vidas, e uma delas com certeza é o companheirismo!!! Não poderia ser diferente nesta trilha...
Pois vcs ditos "novatos" ao final, provaram que tem mais espirito de Mural de Aventuras do que "um" dito "veterano"!!!
Começaremos juntos e terminaremos juntos sempre... de preferência pedalando,rsrsrsr!!!
Abração.
Piau.

WALDECY G GUIMARAES disse...

Rapaziada tenho acompanhado no mural todas suas aventuras,pretendo um dia participar destas, já pedalei por ai juntos com Nanal e Piau.
Um grande abraço a todos.
Gudi Jacarei-SP

Ricardo Popó disse...

Tô meio que aprensivo, com a galera novata, é Paulão para lá, pneusão do Piau, olhão do Pita, outro deu um GU e o outro comeu um GU,outros com muitas dores na rabeira. Meu amigo Piau, pelo jeito o seu pneu é o salva patria da galera né, vive furando e vc nada de notubess neles, mas tudo bem é melhor que dar GU para os outros.

Ricardo Popó disse...

Faltou um comentario, meu amigo Josa passando a pinguela, mais parecia uma primadona numa passarela maõzinha para o lado, pezinho para frente, se tivesse feito biquinho então, hum, aiai, sei não!!!?? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Fábio Pita disse...

Galera,
falem bem ou falem mal, mas falem de mim!
Vídeo Game é uma coisa que não existe no meu vocabulário!
Sempre gostei de esporte radical!
É por isso que o mural hoje é minha segunda casa!
Trilha sem 100% perfeita, com olho esbugalhado ou não eu completei a trilha e completei bem!
Pior é aquele que ficou em casa dormindo comedinho de pedalar!
Com exceção dos meus amigos: Ramister, JP, Rei e Pedrinho que a gente sabe que não foram porque não podiam está presente!
Mas os demais, estavam dormindo ou contando carnerinho enquanto eu e os demais muralistas pedalavam!
BMMP!