5º Dia - Expedição Chapada dos Guimarães (Vale do Rio Claro)

Mauro Chagas
Depois de passarmos três noites em barracas ou nos alpendres dos locais por onde cruzamos antes, finalmente dormimos em umhotel de verdade. Na chegada do terceiro dia na Cidade da Chapada dos Guimarães, contratamos a Eco Turismo para irmos visitar o Vale do Rio Claro, pois descobrimos que somente podíamos visitar os locais turisticos com guia e através da contratação de uma agência de turismo. Acordamos tomamos aquele café no hotel e partimos para encontrar nosso guia. La chegando cade o guia? O mesmo estava consertando a moto para poder levar a gente para o vale do Rio Claro. Como nos tinhamos mais ou menos uns 30Km de asfalto para pedalar antes de entrar na porteira que da acesso ao Vale dio Rio Claro, combinamos de o guia nos alcancar no meio do caminho. Saímos as 08h12min. No caminho pelo asfalto paramos em um lugar chamado Portal do Inferno, onde o guia chamado Guerreiro e sua motoca nos alcançou. O lugar tem este nome porque, segundo informações, era lá que os militares jogavam as pessoas que desapareciam durante o regime militar na decada de setenta, pois trata-se de um precipício muito alto e onde o fundo do mesmo era de muito dificil acesso, dificultando o achado dos corpos. A partir deste ponto foi um downhill pelo asfalto de vários quilômetros onde a bike ultrapassava dos 60 km/h. Depois de um pedal de 30km pelo asfalto chegamos a porteira de acesso ao Vale do Rio Claro, onde somente consegue entrar se tiver a chave do cadeado, pois todos os pontos de visitacao sao trancados e so entra se pagar. Depois da porteira que fica na parte alta da trilha, começamos a descer, ate que chegamos num ponto onde só tinha areia. Nas descidas tinha lugar que mesmo pedalando a bike não conseguia andar por causa de tanta areia, então o jeito era mesmo empurrar a bike. Foram vários tombos, pois a roda travava na areia e lá ia ciclista para o chão. Depois de varios tombos e carrega bike resolvemos esconder as bike no mato e acabar de chegar no lugar chamado “Crista de Galo” andando debaixo de um sol de rachar. A Crista de Galo é uma elevação com rochas pontiagudas parecendo uma crista de galo mesmo. Tiramos várias fotos e apreciamos o visual da Chapada com seus paredões. Próxima parada seria o próprio Rio Claro. Aí a moto do Guerreiro não pegava de jeito nenhum, foi um tal de empurra moto ladeira abaixo com muita areia, até que finalmente a moto pegou. Pegamos as magrelas no mato e conseguimos pedalar até o Rio Claro com muita dificuldade. Até que enfim podemos refrescar tomando banho de rio e observando os peixes existentes no local. Depois de uma hora de banho, tivemos que encarar a subida com areia, onde em poucos trechos foi possível pedalar por causa da areia, numa destas tentativas de pedalar subindo na areia quebou a corrente da bike de Elson. Manutenção feita continuamos a escalada até a porteira com o sol no juízo e a fome batendo no fundo do estômago. Paramos para almocar no Restaurante Vale Verde onde saboreamos uma farta comida caseira a base de coxa e sobre coxa de galinha e bisteca de porco. Depois bateu aquela preguiça e fizemos a siesta ali mesmo no restaurante. Abastecemos os camel bak de agua e gelo e partimos pelo asfalto até um lugar chamado Rio Paciência bem próximo ao asfalto. Como o calor estava de mais, tomamos mais banho de rio para refrescar. Aí foi enfrentar a longa subida de asfalto. Na volta para a cidade da Chapada paramos na lanchonete de Simone que já conheciamos do dia anterior quando da chegada na Chapada. Nós recepcionando havia um bêbado que começou a encher o saco de todo mundo. Piau estava sentado e o bêbado começou a perturbar, então ele se levantou, o bêbado olhou de baixo para cima e viu que não dava para encarar a fera, rsrsrs, logo depois começou a perturbar Popó olhando para o traseiro do mesmo e dizendo “olha a bundinha dele!!!” rsrs, “aí tem coisa!!” . Popó ameacou das umas porradas no bêbado e então decidimos partir, kkkk. Quando partimos o bêbado ficou valente de novo e falava “É isso mesmo vão embora e nem olhem para trás” na sua viagem da cachaca que ele era o dono do pedaço. Mauro.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM ALTO!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR



















































7 comentários:

Ramster disse...

Muito legal a resenha, as fotos e o vídeo.
Parabéns a todos pela expedição e pela aventura.

Esse bêbado se fosse na volta da Ilha de Tinharé ele ia era comer água coma gente, kkk

Valeu Galera.

PEDALE SEMPRE! SE PARAR, VOCÊ CAI.

Elson disse...

Que dia! Que dia! Que dia!

Nunca irei esquecer esses momentos.

Expedição, Expedição, Expedição. Que venha a próxima!!!

Isso serve de inspiração para Volta do Recôncavo 2!!!

Ricardo Popó disse...

Cada Chapada com suas particularidades, grandes momentos, alegrias , sofrimento e alma lavada. As fotos estão magnificas, deu para sentir o calor entre as arvores a temperatura da area e a água gelada do rio novamente .Que venha a próxima expedição então!!!!

Anônimo disse...

Trilha sonora , surreal, tudo a ver, Born to be wild , Knockin' on Heaven's Door, so I live till I' die

welseman disse...

Fantástico! Senhores Expedicionários, mais um dia de muito desafio e conquista. Parabéns!!!

Rei disse...

Mais um dia espetacular!!!
A descida da serra até o vale foi sensacional e parecia não ter fim... infelizmente teve mas a adrenalina que ficou dá pra ser relembrada com esses videos!!! Elsão, ficou show!!! Foi um dia de muito calor e sol na cabeça, e subir tudo denovo deu trabalho. Saudade retada dessa viagem mas como ano que vem tem mais é só contar os dias. Vida eterna ao Mural... BMMP!!! Valeu expedicionários!!! Abração.

Piau disse...

Dia digno de Expediçao do Mural de Aventuras!!!
Nao relataram mas até caruara eu senti nesse dia,rsrsrs!!!
Foi cruel, muita areia, muito calor... muito pedal, daí... foi mais que bom,rsrsrsrsr!!!