Trilha na Reserva de Sapiranga


O relógio marcava 4h13 quando saltei da cama entusiasmada para pedalar com a turma do Mural. A trilha foi na Reserva de Sapiranga, que fica “pras bandas” da Praia do Forte. Muito mais do que um simples giro com a galera, o desafio ia além: chegar na cara e na coragem, sem saber o que me esperava. Algumas perguntas me acompanhavam ao longo de todo o percurso na Estrada do Coco: Será que os Muralistas são bacanas? Será que eles irão ter paciência com esta criatura fora de forma? E esta trilha... como será?? E afinal, cadê os cocos desta estrada?
Foram muitos os pensamentos que permearam minha mente antes de chegar ao ponto de encontro. Após 50 minutos dirigindo, eis que entro no estacionamento do hotel das Baleias, ou alguma coisa assim. Dou início ao meu típico ritual de preparação. Logo começam a aparecer os meus novos maninhos de trilha, que agora vão ter que me aturar nos próximos pedais.
Turma reunida, o coordenador passa as instruções e partimos. Logo nos 10 metros iniciais, QUEDA!! Pensei, ótimo trabalho Sarah, começou bem! O primeiro trecho era de areia, exigia técnica, e quem disse que eu tinha? Fui a última a concluir esta parte. Um colega que eu não sei o nome, a pedido de todos, voltou um pedaço da trilha para ensinar como era que descia o corredor de areia. Missão dada, missão cumprida. O Cara mandou muito bem. Quem sabe da próxima vez eu tenha essa coragem, afinal é só areia. 
Sobre Sapiranga, o lugar é de beleza exuberante! Tentei aproveitar a trilha ao máximo, ignorando minha falta de condicionamento físico. O sol torrava meu tico e teco e eu já esperava ansiosa encontrar um rio de água bem gelada. Para minha alegria, o povo parou próximo a uma casa onde o proprietário deixou eu detonar o calor tomando um banho no tangue.   
            Revigorada, seguimos na trilha. Enfim, chegamos ao rio, mas para minha tristeza ele não fazia parte da parada técnica. Todos com as bikes nas costas atravessamos até a outra margem. Por ironia do destino, um pneu fura, e lá vai mais uma Coca-Cola de 2 litros para a turma do Mural e para mim restou mais alguns minutos aproveitando a água.
            Isso trouxe algumas indagações que até agora não cheguei a uma resposta. Por que os muralistas não fizeram questão de mergulhar? Medo de jacaré? De cobra? Da água gelada? Será que eles estavam com frio? Talvez eles não quisessem se molhar ou não soubessem nadar. Vai entender! Só sei que minutos antes de partirmos surgiu uma pérola interessante que até agora estou refletindo a respeito: “Você não sabe pedalar e correr ao mesmo tempo?” (não lembro quem foi o poeta que disse isso)
            Na verdade, não decorei o nome de quase ninguém. Só lembro que tinha um tal de X9 e um monte de gente bacana pedalando juntos, unidos e felizes. Adorei de verdade passar a manhã de sábado com essa galera saudável, alto astral, solidários. Espero ter o privilégio de pedalar mais vezes com os Muralistas, descobrindo as belezas desta Bahia. Sarah Viegas.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR








































Desafio da Serra da Jiboia 5

A Serra da Jibóia é um maciço serrano situado na porção sul do Recôncavo Baiano do Estado da Bahia perto de Santo Antônio de Jesus e entre os municípios de Castro Alves, São Miguel das Matas, Varzedo, Elíseo Medrado e Santa Terezinha. Esta serra possui sentido norte/sul e área total de aproximadamente 23.000 hectares ainda cobertos por remanescentes de mata atlântica, sendo que cerca de 7.000 hectares são considerados mata atlântica em estágio avançado de degeneração.
Esta serra possui altitude que varia entre 600 e 839 metros a cima do nível do mar, e neste maciço é possível encontrar tipologias vegetacionais  bem variadas e de acordo com a altitude e a proximidade com as depressões de caatingas do município de Santa Terezinha.
Vou tentar escrever com muito entusiasmo, assim como foi a nossa TRILHA DESAFIO DA SERRA DA JIBÓIA 5.
Sexta-feira, noite do dia 01 de Junho, partimos para a fazenda do sogro do Elson, recepção muito familiar, um jantar delicioso...
Saímos ás 7:45 hs da manhã de sábado, todos com muita disposição, éramos 7,  MAURÃO (55); SERJÃO (50); ANDRÉ MANDRAKE (48); ELSON (37); REINALDO (32); RENATO PAULISTA(36) e  WELIGTON (37); uma média da  “FAIXA ETÁRIA” DE 42 anos.
Começa a subir! sobe, sobe, sobe, desce, sobe, sobe, sobe, sobe, sobe, desce, foi assim o dia inteiro... as paisagens deslumbrantes, avistávamos a serra  ao longo coberta de nuvens. Nosso amigo MANDRAKE já se apossava de alguns metros de TERRA, teve até que pedir música! Valeu ANDRÉ! Vejam no final do vídeo suas lindas quedas, demais!
Um fato curioso, é que hoje em dia os caçadores não utilizam animais para deslocamentos, como para caçar..., e sim motos, uma quantidade muito grande deste veículo em todos os lugares; precisamos estar sempre atentos, pois eles não se importam muito conosco.
No percurso, fizemos uma breve visita ao tio do POPÓ, que nos recebeu muito bem, alimentando as nossas mochilas de hidratação com água e com fornecimento de muitas laranjas!
Tivemos na trilha momentos de chuva, as quais contribuíram para muita lama nos pneus das bikes, onde se tornavam muito pesadas e escorregadias. Paramos em plena floresta para um descanso ao lado de árvores centenárias tipo jequitibá, em seguida uma bela cachoeira, onde tomamos banho e uma limpeza dos pneus das bikes.
No final da trilha chegando ao Povoado de Santana, fui contemplado com um choque elétrico na cerca, o qual me tornou mais esperto para pedalar, pois já sentia as pernas muito exploradas pelas ladeiras!!!
O objetivo estava cumprido, fui à SERRA DA JIBÓIA, anteriormente quando escutava comentários sobre esta TRILHA, não me animava, pois esta era uma que estava no meu calendário que EU NÃO iria!!!
Chegamos era exatamente 19:10hs, com aproximadamente 70 Km neste dia, no dia seguinte, domingo, saímos para uma TRILHA  de relaxamento, em fazendas distintas com belíssimas trilhas da vaca, onde percorremos mais 18 Km, descemos também ladeiras que a galera da frente pontuava 62 Km/h de velocidade, em uma curva descendo encontrei nosso amigo WELIGTON, levantando de umas TERRAS que ele tinha comprado (PERDEU A TANGENTE LEGAL )!!!!
Fui, gostei muito, mesmo tendo que empurrar a bike em algumas ladeiras. Fato esse que na trilha anterior em PEDRÃO me sentir exausto!!! (preparo para SERRA DA JIBÓIA )!
O DESAFIO SERRA DA JIBÓIA É ESPECIAL, OU “ ESPACIAL”, pois ficamos mais perto do céu!!!
Agradeço a todos os participantes desta EXPLENDIDA trilha, todos com muita determinação “sangue nos olhos”, companheirismo, foi tudo muito bem vivido. BMMP!!! SÉRGIO LUZ.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. SIGA O SOM!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR