1° Dia da Expedição no Deserto do Atacama (Socaire – Lagunas Miscanti e Miñiques)

Pessoal, sei que essa resenha ficou um pouco grande, mas quem tiver a paciência de ler, acredito que poderá mergulhar no espírito dessa grande aventura. Bom proveito!
Uma expedição é pura emoção, de diversos tipos que se apresentam de diversas formas, um casamento perfeito com o slogan do Mural de Aventuras: “A Emoção dos Desafios”! Cada expedição tem a sua magia, encanto e particularidades que a torna única, não tenho como escolher qual a preferida, mas mesmo sendo a minha 4ª experiência desse tipo, a Expedição no Deserto do Atacama me apresentou surpresas nunca antes pensadas. Tentarei abaixo descrever como foi uma pequena parte dessa aventura, o primeiro dia de um total de oito que passamos descobrindo as belezas e desafios desse lugar espetacular do nosso planeta.
Não imaginava que poderíamos ir tão longe e tão alto quando iniciei as pesquisas sobre qual seria o local para a expedição 2012 do Mural de Aventuras. Realmente o Deserto do Atacama é bastante distante e alto suficiente para tornar qualquer pedal um sacrifício para nós acostumados ao nível do mar. Para complicar ainda mais, a localização das cidades, povoados e pontos turísticos, indicava o início de nossa aventura para um local ainda mais remoto, o povoado de Socaire. Localizado a 3.251 metros de altitude, Socaire possui uma das principais vistas do Salar do Atacama e tem como uma das fundamentais atividades econômicas a produção de tecidos tradicionais de lã de lhamas e ovelhas.
Chegamos a Socaire na van que alugamos por volta das 2h no mesmo dia que iniciaríamos o nosso primeiro pedal. Fazia muito frio, com certeza menos de zero grau e para complicar, tivemos que montar as barracas em uma varanda do único alojamento existente na localidade. O processo de montagem foi rápido, queríamos mais rapidamente estar aquecidos. Vesti todas as roupas que tinha levado, entrei no saco de dormir e como estava muito cansado, conseguir pregar o olho pelas poucas horas até o sol sair. Devido ao frio, alguns não conseguiram dormir, Rei comentou que sofreu muito com as mãos e os pés congelados.
Ao acordarmos, podemos ver o lindo local em que estávamos logo de frente uma montanha coberta de neve. A nossa primeira atividade foi desmontar acampamento e montar as bikes que ainda estavam desarmadas por causa da viagem no avião. Até aquele momento, não sabíamos onde iríamos tomar o café da manhã, em espanhol “desayuno”. De repente, aparece uma senhora, arranho meu portunhol e descubro que os quartos do alojamento estavam vazios e as portas abertas, local onde poderíamos ter passado a noite, mas valeu e aventura de dormir nas barracas! Ela ainda se dispôs a fazer o nosso café no refeitório, foi um alívio geral... Entretanto, ao entrarmos no recinto, onde tocava uma animada música boliviana (veja o vídeo), descobrimos que o café, era só café mesmo! Tinha apenas algumas poucas bolachas e água e sal para acompanhar. A sorte foi que Luiz e eu tínhamos levado pães e atum enlatado do Brasil, assim foi a nossa primeira refeição em terras chilenas, rsrs.
Vale ressaltar que desde a nossa chegada em Socaire, estava me sentindo estranho, uma leve tontura ao abaixar a cabeça e um pouco mais ofegante do que o normal. Minha desconfiança estava em relação a altitude, mas como os outros expedicionários apresentavam normalidade, não comentei nada. Depois descobri que aquela senhora do café era boliviana, então perguntei sobre o hábito de mascar a folha de coca para diminuir o mal causado pela altitude, prontamente a mesma me ofereceu um punhado de folhas secas da referida planta e no ímpeto de aproveitar a oportunidade, eu e alguns outros expedicionários jogamos na boca. Lembro que Marcelo e eu fomos os mais atrevidos, mascamos uma quantidade maior enquanto filmávamos, não senti nada demais e a tontura continuou...
Sabia que o pedal até as lagunas altiplanicas Miscanti e Miñiques (localizadas a 4.200 metros no nível do mar) não seria fácil. Logo no início comecei a sentir os efeitos da altitude, meu coração disparava a qualquer menor esforço e em ritmo bem mais lento do que estamos acostumados, começamos a subir as enormes ladeiras. Cada metro acima foi ficando mais frio e mais difícil de pedalar por causa da falta de oxigênio. Minhas mãos e orelhas já estavam congelando quando paramos para colocar mais roupas de frio que tínhamos levado (luva, balaclava, corta-vento, meias, etc). O esforço era enorme, mas também recompensado com os incentivos que recebíamos dos turistas que a todo o momento passavam em vans e camionetes pela estrada. Eles ficavam impressionados com a nossa determinação e quando parei uma van que já retornava das lagunas para perguntar sobre a distancia, tivemos a sorte de encontrar um grupo de brasileiros que ofereceram coca-cola e fizeram questão de descer para registrar o momento com fotos. Bebemos as cocas como se fosse uma benção e assim tive um momento de alívio para o meu sofrimento.
Mas ainda faltavam 5km, os mais longos e duros. As forças estavam se esgotando, naquele instante percebi a presença de neve na beira da estrada, comecei a filmar, pedi para Rei segurar a câmera, e emocionado fiz uma mensagem para Bia minha filha (ver o filme). Ela é apaixonada por neve, sabia que ela iria gostar de ver aquilo. Em nenhum momento pensei em desistir de continuar, mas confesso que fiquei preocupado com a minha integridade física, claramente dentre os expedicionários era o que estava mais abatido. No momento que tive a certeza que iria alcançar o objetivo, novamente me emocionei, agora ao lado de Rei e Marcelo, todos estávamos realizados, lembrei e senti a falta dos outros expedicionários: JP, Nanal, Piau, Popó e Welseman, gostaria que todos estivessem ali compartilhando aquela experiência incrível, mas de Piau foi a falta mais forte, por coisas do destino ele teve que suspender sua participação na expedição de última hora, mas Deus sabe o que faz...
Ao chegar nas lagunas, fincamos nossos pés na neve logo abaixo da placa de entrada e fizemos uma foto para registrar o momento. O visual da Miscanti foi incrível! Bem diferente das fotos vistas na internet, estava com as margens congeladas, assim como também as montanhas ao redor totalmente “branquinhas”. Aí eu pensei, nós estamos mesmo no deserto!? Parecia mais a Antártida! Acho que escolhemos o dia mais gelado do ano para estar ali! Estava chegando o final da tarde e o frio aumentava, devido ter “mergulhado” as sapatilhas na neve, meus pés começaram a congelar, chegava e doer de tanto frio. Mesmo assim, decidimos chegar a até a Miñiques, lá o frio ainda era mais intenso, mas valeu a pena, que paisagem maravilhosa! Não irei esquecer nunca aquilo!
O preço que estávamos pagando para ver aquelas maravilhas era alto. Não mais estava sentindo meus pés, fiquei preocupado e no intuito de chegar o mais rápido possível ao abrigo da entrada, subi desesperadamente em uma caminhonete que passava naquele momento. Mesmo assim, o veículo parou no meio do caminho e tive que subir com o resto das minhas forças. Percebi que não estava bem, muito fraco, uma leve dor de cabeça e com frio. Tive a idéia de calçar as sapatilhas com os pés dentro de sacos plásticos, realmente melhorou. Lembro que Maurão comentou para descermos logo para Socaire e que somente assim iria melhorar. Respirei fundo, “sangue nos olhos” muralista e levantei com a determinação de brocarmos todas as ladeiras que havíamos subido.
Muito alucinante a volta para Socaire, muito downhill! Uma pena que estava escurecendo e não pudemos filmar a brocação. Com a velocidade, o vento frio atravessava principalmente as luvas e endurecia as mãos, a dor era grande e tínhamos que parar para aquecer um pouco. Pude perceber que o cansaço era geral, estávamos todos sentindo o grande esforço que fizemos durante todo o dia. Quanto mais descíamos me sentia cada vez melhor, mas o frio não passava. Quando chegamos em Socaire, fui direto para cama me aquecer, estava tremendo muito e o frio não passava. Sentia também um leve enjôo, caruara mesmo! Rsrs. Tomei um rápido banho quente, mas a tremedeira não passava, sendo assim, preferi ficar na cama esperando os outros expedicionários trazerem o meu jantar do restaurante “cocineria”. A minha preocupação era ficar logo bom para o dia seguinte, mas isso vocês só irão saber na próxima resenha... Rsrs. Bora Mural! Elson.

VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR



































































































15 comentários:

7 ONDAS EQUIPAMENTOS PARA EVENTOS disse...

Parabéns galera! Mural minha P.

edilene amorim... disse...

Vi, vibrei, gostei, me emocionei, parabéns mural pela coragem e determinação...

Piau disse...

Nosso Pai do céu que isso meus irmaos!!!
Verdadeiramente para o Mural de Aventuras nao há limites...
"Isso por que acredito piamente que vencemos os desafios e curtimos suas Emoçoes por estarmos sempre juntos"
Parabéns á cada um de vcs meus amigos, vcs sao demais!!!
Obrigado meus amigos pela homenagem, vcs sabem que de alguma forma estava lá com vcs, estendo essa homenagem ao Piau moor, meu grande Pai... DEUS o tenha!!!
Melhor que as palavras... É viver o Mural de Aventuras em sua plenitude!!!
Sempre BMMP... Uhuuuuuu!!!

Ramster disse...

Galera,

Eu pensei, pela leitura, que ia ver vocês no programa SOBREVIVI, da Discovery (rs), mas foi muito emocionante e o Elson dizendo que o bicho tava pegando, é por que pegou mesmo. O vídeo e as fotos estão show.

Aguardo ansioso as próximas resenhas.

Isso é MURAL DE AVENTURAS.

Parabéns, Expedicionários do MURAL!!!

"Dinheiro não compra felicidade... Mas compra uma bike, que é quase a mesma coisa!"

Nane disse...

Piau és un gran amigo y una persona fenomenal. Estoy a hacer una invitación a vosotros o "galera" a esta en Madrid y mi casa hacer el QG y vosotros a conocer Bardenas Reales, Monegros, el desierto de Tabernas, el Cabo de Gata y la comarca extremeña de La Siberia. Vosotros puede descubri malas tierras baldías e incultas, que esconden más vida y más belleza de lo que uno pudiera sospecharse. Todo el suelo naranja y tienes las cordillas de navacerrada en inverno és una aventura. Habla con otros. Aqui donde estoy vejo todos los días muchos bicis y recuerdo de ti. Besos Nane

Ed disse...

Simplesmente EMOCIONANTE,viajamos um pouquinho com vocês nessa vívida descrição de Elson vocês realmente fizeram história Parabéns a todos e a Elson pela superação como diria o ciclista Lance Armstrong "a dor é. passageira,desistir dura para sempre" e com todas as dificuldades vocês venceram,estamos orgulhosos pois torcemos muito por vocês.e que bonito homenagear Piau.
Realmente não imaginavamos o grau de dificuldades que CERTAMENTE foram recompensado pelas belas imagens ao vivo mostrando a existência do Criador

welseman disse...

Elsão, realmente fantástico. Em todos os momentos difíceis que enfrentei na minha travessia de MG/RJ, sempre pensava em como vocês estariam se saindo no Atacama. As imagens e o vídeo falam por si só. Superação de todos os limites, esta é a frase que resume este DESAFIO!!!

Ricardo Popó disse...

Galera!!!! Fantástico a gente que sabe o que è uma expedição e sua dificuldade fiquei arrepiado de vêr as fotos a descrição detalhada de como foi o primeiro dia que sempre um dos mais apreensivos e na condição extrema que foi literalmente , só tenho que parabenizar a todos e deixar a minha homenagem a nosso amigo Piau que pela força do destino não esteve nesta aventura ao extremo.

Sergio Luz disse...

ESPETÁCULO. SAUDAÇÕES NACIONALIZADAS!

JP disse...

Elsão meu amigo, senti as dificuldades pela sua própria narrativa... ptz! O frio castiga muito, ainda mais com altitude extrema!
Mais uma história para contar para os netos hein galera? Parabéns mesmo!
Piau, como eu já disse, vc é um cara que faz falta até em um simples pedal, imagine numa expedição, abraços !
Como Popó salientou, quem já esteve numa expedição sabe bem das dificuldades, e pode imaginar o que passaram ! Mas todas as dificuldades somente valorizaram a vitória do grupo.
Abraços,
JP

JP disse...

Eu não fui mas minha barraca estava lá, com meu amigo Rei !!

Rei, porrr, compre uma barraca veio.. ano que vem eu não empresto... starei tb na expedição com vcs !! kkk

BMMP !!

JP

Vanderlei disse...

D++++++, que lugar lindo, parabéns a todos!!!

Vanderlei disse...

D++++, parabéns a todos, que imagens lindas!!!

JOSA disse...

simplesmente emocionante, inclusive para quem acha que quando estamos pedalando não lembramos de nossos amores, sejam eles filhos, namoradas, esposas,mães.pai, emfim todos a nossa volta e que nos apoiam ou não em nossas aventuras.

JP disse...

Ganhar Coca Cola no meio do deserto, não tem preço.. rsrsrs !!!