Corujão 8

Pronto, agora que os equipamentos e a bike estão limpos (menos a mochila que está de molho ainda) está na hora de comentar sobre o corujão 8.  
Primeiramente quero agradecer a todos os que foram e nos receberam bem (falo por mim e meu colega Jailton) nessa ótima trilha de alto nível e parabenizar o Mural de Aventuras pelos seus 4 anos!
 
Foi uma trilha completa, single tracks, estradão, costelas, cascalhos (tanto subindo quanto descendo), riacho e areia (que é algo que preciso aprender a dominar), sem esquecer dos pneus furados e das quedas, ao qual fui protagonista. 5 ou 6 quedas (uns dizem 5, outros disseram que foram 6, eu já nem sei mais) não é pra qualquer um. Uma delas, inclusive, pode ser tema de filme, uma queda cinematográfica, bem enquadrada, voando por cima da bicicleta e caindo de cara na areia da reserva de Sapiranga. Vocês verão no video logo mais! :p
 
Por causa de uma das quedas que eu tomei, começaram a me chamar de "jaca" (Rato, eu não omiti isso, tá vendo?!). A combinação de areia fofa, curva e falta de técnica só poderia resultar em uma queda seca ao chão. Foi nessa hora que perguntaram: "Caiu uma jaca aí, foi?" e então até o final do pedal virei "jaca". 
 
Mas as quedas não foram exclusividade minhas. Não posso esquecer das duas quedas de Israel, com menos de 200 metros de distância entre elas, parecia uma criança que acabou de subir na bicicleta, pena que não foi filmada. Jailton também caiu, mas acho que só vão lembrar de mim, porque só caia quando tava todo mundo junto. 
 
Não posso esquecer de gente que foi com facão na cintura, confesso que fiquei meio assustado no início, mas tudo ficou bem. Rato quebrando a válvula do pneu com a câmara, que agrestia viu! Conta aí como foi o som que o pneu fez ao perder pressão! Hahahahaha 
 
Enfim, pedalar durante a noite em uma trilha é bom demais! Muita adrenalina por encarar o desconhecido, ouvir o vento passando pelas árvores, passar em alta  em trechos que não se sabe onde vai chegar... É algo que não dá para descrever muito bem, só passando por isso mesmo! 
 
Mais uma vez agradeço a todos e peço desculpas pela cãibra e pelo joelho machucado. Obrigado ao colega que me deu a balinha de repositório eletrolítico, não lembro o seu nome, mas ajudou bastante com o problema da cãibra. À galera que ficou acompanhando a gente para não ficar distanciado do grupo, aquele abraço!
 
Como já disse, não sei muito o que dizer, só participando mesmo para sentir o gosto. E o texto ta meio doido porque estou lembrando das coisas e escrevendo na hora, mas agora eu posso dizer:
  Corujão, eu fui! Rodrigo “Jaca”.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR





































6 comentários:

Mateus Alves Neiva disse...

Isto que é uma capotada decente !!!

Bruno Batera disse...

Corujão show de bola. Andar em alta velocidade num single track sem saber o que vem pela frente... só pode ser coisas de doido. Então pode me internar. \m/

Rodrigo Caldas disse...

Que queda linda, espero que não aconteça novamente comigo!
Mas foi uma ótima trilha, não saber para onde está indo em alta velocidade é coisa de louco!

Ed disse...

Já pedalei em sapiranga a noite com o mural e realmente é pedalar para o desconhecido no breu total ou seja loucura loucura loucura isso é Mural meu Povo uhuuuu vivendo a emoção dos desafios.Demais mesmo parabéns galera. SÓ NÃO ENTENDI A MONTAGEM DE ELSON DORMINDO NA TRILHA KKK e como sempre o piscinão fazendo nossa alegria

Rodrigo disse...

Show!!! Tô rindo até agora do vídeo.

Elson disse...

Ed, estava dormindo enquanto a galera consertava o pneu de Ramster! rsrsrs