Trilha da Tiririca - A Descoberta da Lagoa Azul

Já na sexta-feira comecei os preparativos para a trilha no sábado verificando a bike, ferramentas e material para pequenos reparos. No sábado acordei às 05:20 encontrei nosso amigo Adriano que me deu carona e partimos em direção ao ponto de encontro. Quando chegamos no posto em Arembepe às 06:20 observei que a galera estava usando calça, enquanto eu, ciclista de primeira viagem na Trilha da Tiririca, estava de bermuda. Iniciamos a nossa trilha com uma pequena reunião a respeito da carretinha do mural, ficando previamente acertado que a confecção seria dividida por cotas.
Daí partimos em direção a trilha pegando um pequeno trecho de asfalto, quando de repente encontramos um ciclista caído e um carro parado próximo dele, a princípio pensei que o ciclista tinha sido atropelado, mas felizmente ele caiu sozinho, se desequilibrando quando a roda da bike bateu no olho de gato de que fica no asfalto, ralando pernas e braços. Nosso amigo Josa não perdeu a oportunidade para colocar o líquido que faz a galera sofrer, o famoso álcool iodado. Partimos em direção a trilha e logo surgiu a primeira coca-cola a ser paga do dia, o nosso amigo Bergton quebrou a corrente da bike. Depois do conserto partimos novamente passando por estradões cheios de subidas, descidas, single tracks pelo meio das tiriricas que foi a parte mais complicada da trilha por conta da mata muito fechada que fica segurando a bike e principalmente a tiririca que fica arranhado as pernas e braços da galera, mas sempre no ritmo muito intenso.
Paramos e fizemos um pequeno descanso e depois continuamos até encontrarmos um barzinho para fazer um lanche e tomar umas cervejas onde fomos atendidos por um garçom bastante atrapalhado que a cada 5 minutos nos oferecia um tipo de tira-gosto para a galera. Quando íamos embora em direção ao posto, fomos informados a respeito de um lugar próximo ao bar chamado lagoa azul, então partimos em direção a famosa lagoa e quando chegamos encontramos um lugar bonito, cheio de natureza, aproveitamos para dar um mergulho e tirar algumas fotos. Ficou o compromisso de voltarmos para mapear aquele trecho da lagoa que até então a galera do Mural não conhecia. Depois do mergulho, pedalamos até o posto passando por estradões para o fim da trilha. Até a próxima, Marco.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR


































2 comentários:

Ed disse...

A Lagoa Azul foi um achado...como disse malandra um ambiente oligotrófico ou Eutrófico ,não lembro bem kkk foi alguma coisa dessa,valeu muito apena se refrescar nesse lago!Só com o Mural de Aventuras.

Lucas Malandra disse...

Exatamente Ed. Oligotrófico mesmo. rsrsrs
Belo local que deve e vai ser melhor mapeado pelo Mural.

Só fico com receio de aterrarem a lagoa toda para empreendimentos imobiliários que já se instalam nas proximidades.