Desafio da Serra da Jibóia 6 - All Inclusive

Primeiramente queria agradecer a Elson, Mandrake, Rei, Marcelo, Guido, Rafael e Cangaceiro pela união, determinação e força, componentes importantes para que todos nós pudéssemos concluir essa grande aventura que foi a Serra da Jiboia 6.
Vamos à resenha. As 17:00h Mandrake passou em minha casa como tínhamos combinado, arrumamos as coisas no carro e fomos buscar Marcelo. Procuramos o melhor caminho para chegar ao Imbui.  O trânsito na cidade estava praticamente jogando contra nós e o tempo se passando, ate que, após várias tentativas por caminhos diferentes conseguimos chegar à casa de Marcelo. Pegamos a BR pensando que estaria tudo engarrafado - uma grande SURPRESA - estava tudo livre e as 19:00h chegamos no posto Rei da Pamonha. Comemos e bebemos enquanto esperávamos os amigos desafiantes que só chegaram quase as 21:00h.
Foram distribuídos os rádios entre os carros e partimos rumo à Santo Antonio de Jesus.  Foram mais o menos 3 horas de viagem pelo asfalto e mais alguns minutos de estrada de chão até chegarmos à fazenda que iríamos pernoitar. Quando lá chegamos, percebemos que as bikes pareciam já terem feito a trilha sozinhas, tamanha era a poeira que os carros fizeram na chegada até ao local.
Descarregamos as nossas malas e logo fomos surpreendidos por um enorme jantar com bife de panela, galinha cozida, arroz, feijão e um delicioso carneiro ensopado. No caminho eu tinha falado a Mandrake e Marcelo que não iria comer muito para não dormir com a barriga cheia, mas não resisti ao cheiro do rango e a insistências de Elson em dizer: hoje é o dia de vocês comerem bastante porque amanhã o bicho vai pegar. Como eu era novato, preferi seguir as orientações do chefe, e verdade seja dita, com toda aquela comida era inevitável não comer pelo menos um pouquinho de cada prato. Ainda na mesa, Elson passa mais uma orientação: quem quiser tomar banho e escovar os dentes adiante, pois amanhã sairemos muito cedo.  Então, logo depois do rango fomos todos tomar banho e escovar os dentes. Dormimos quase 1 hora da manhã. Acordamos ao som da voz de Elson chamando todos para verem o trailer do novo filme de bike (que esqueci o nome) e logo em seguida fomos nos arrumar, vestir o manto sagrado do Mural, calçar as sapatilha e fazer o rango (na verdade pulamos essa parte, pois o amigo Rafael levou sanduíche até para quem não foi. Kkkkk!).  Valeu Rafa, salvou a galera!!!!!  Todos arrumados, saímos as 7:00h em ponto para começar a aventura.  Giramos um pouco até num lugar mais alto e os Muralistas mais antigos logo avistaram à distância umas antenas e disseram: É ali que iremos chegar!!!. Mais alguns giros e o chefe propõe um desafio: quem colocar primeiro o pé no chão em uma subida paga uma coca. Confesso que fiquei meio assustado: será que eu vou conseguir completar esse desafio???? Então vamos pedalar. Começamos por um caminho novo que o chefe tinha mapeado.
Os primeiros quilômetros para mim sempre são os mais difíceis, pois o corpo ainda está frio e logo no início pegamos um subidão. Além de ser grande e inclinado, era bastante técnico e alguns amigos colocaram o pé no chão. Acabou a subida? Negativo, ainda tinha mais! E foi quando eu lembrei de uma frase que me disseram: na Jiboia as subidas são intermináveis. E realmente são!!!!
Depois da subida, nós giramos em direção a um vilarejo, mas até chegar lá, subimos e descemos muito por ladeiras que eu nem me lembro o nome. Já no vilarejo, cujo nome também não me lembro, paramos em um mercadinho, comemos, bebemos e continuamos nossa aventura. Depois de mais alguns “sobes” e “desces” entramos em uma trilha com mais uma subida e quando chegamos no topo Elsão falou:  vocês acabaram de subir o downhill da matinha. Beleza, ótimo, e prosseguimos até chegar a uma cachoeira, tomamos um super banho e descansamos um pouco. Todos relaxados é hora de subir mais ainda a chamada “subida da cachoeira”, com trechos técnicos. Foi nesta subida que tomei minha primeira queda. Ao tentar passar um pedaço de tronco que estava no meio da trilha o pedal bateu no tronco e eu não conseguir “desclipar” e cai para o lado esquerdo que tinha quase um precipício. Por sorte meu pé ficou preso nas galhas e Marcelão e Mandrake me puxaram pelo pé. Neste momento veio mais um aviso de Mandrake: João não broque atrás de Reinaldo e Elson.  Continuamos pedalando e em poucos minutos tomei a segunda queda, na qual fraturei o dedo mindinho direito, então Mandrake falou: eu te disse varias vezes para não brocar com os caras na frente! Mais é impossível Mandra, sei que não foi por falta de aviso amigão, mais quando eu visto a camisa do Mural acontece algo comigo, uma inexplicável sensação de querer dar o meu máximo e honrar as cores do Mural. Com o dedo fraturado, continuei girando e no meio da subida da cachoeira tinha um lago, onde paramos para molhar a cabeça e fazer outro lanche. Depois do rango ia começar o downhill muito massa onde os caras fizeram uma filmagem para vocês terem uma idéia. Até faltou freio na bike do chefe!
Quando acabou o downhill fomos procurar um bar para comer alguma coisa e um morador da vila nos indicou um lugar onde fomos muito bem tratados, com muita água gelada, cerveja e uma farofinha de carne do sertão que estava da hora. Agora esse barzinho virou parada oficial.
Seguimos nosso caminho subindo por uma rampa gigante com sol das 13:00h derretendo o juízo da galera. Foi quando avistamos uma casinha verde, então pensei: será que tem um balde d’água para eu me molhar? Não sabia que ali era uma parada oficial, a casa do Sr. Carmelito, um cara muito descente que nos ofereceu água de coco geladinha. Pedi ao nobre amigo um balde d’água para jogar no meu corpo sujo das quedas e suado. “Banho” tomado e todos hidratados, seguimos viagem, mas antes ouvimos o convite do Sr. Carmelito: na volta passem aqui para comer uma laranjas”. Obrigado amigão!!!!
Voltamos a pedalar na nossa montanha russa natural até, enfim, chegarmos próximo a subida das antenas.  Neste momento o pneu do Marcelão furou.  Consertamos, batemos um papo e partimos pra cima. No inicio da subida das antenas não tinha como pedalar, pois o terreno era muito acidentado e então empurramos as bikes até chegarmos num trecho “pedalavel”. Montamos nas bikes e começamos a subir a ladeira. Acho que alguns muralistas conseguiram zerar a ladeira pedalando, mas eu fiz em algumas parcelas, acho que em 4 vezes, até que chegamos em um determinado ponto da subida que todos paramos para descansar. Não sei quantos Km de subida, mais meus amigos, eu acho que foi a maior da minha vida ate agora. Chegando perto do topo começamos a pegar para a direita em direção as antenas e quando lá chegamos por volta das 17:30 a emoção tomou conta por conseguir completar essa parte do desafio: chegar às antenas da Serra da Jibóia. Com uma vista muito bonita, tiramos fotos e talz e descemos pelo mesmo estradão brocando (acho que os caras colocaram 70km/h). Paramos no meio para pegar um caminho novo chamado downhill que ensinaram a Elson. Downhill muito bom!!!!! E chegamos a Pedra Branca, eu acho que a cidade do cachorro quente!!! Heeee... tava com fome!!!! Todos nós comemos uns dois hots e aproveitamos para arrumar os faróis nas bikes/capacetes, porque agora começava a jornada noturna. Entre 18:00/18:30 partimos voltando para a fazenda e começa o sobe e desce novamente. Só que a noite tem uma vantagem, pelo menos para mim, você não enxerga o tamanho das ladeiras, então sobe melhor na minha opinião. Também tem a questão do sol. Pegamos um dowhillzaoooooo assim que saímos da cidade do hot com pura brocação, peguei leve para não cair outra vez. Meu farol foi muito bom, me surpreendeu!!!! Ele tinha me deixado na mão em uma trilha noturna em Sapiranga.
Lá pras 20:30 fizemos uma parada oficial, bebemos e continuamos o sobe e desce ate chegar novamente na casa de Sr Carmelito.  Rei chupou mais de 20 laranjas kkkkkk... nos despedimos, agradecemos e continuamos até chegar em Tabuleiro do Castro, na ladeira dos 10. Dos 10? Eh, 10 minutos subindo amigo!!!!!! Isso já era umas 22:00h eu acho. E tome ladeira!!!!!! Kkkkkk! Os caras colocaram apelido em todas as subidas, mais como foi minha primeira vez, não decorei. Mais na próxima eu decoro! Quase meia-noite estávamos subindo a ladeira do arromba batata, empurrando!!!!!!!
Nos agrupamos todos para enfim chegar à fazenda de origem e terminar o desafio da Serra da Jiboia 6. Agora é hora de comemorar e comer o melhor churrasco de picanha da minha vida!!!!!!!
O desafio é realmente um desafio! Vale a pena amigos todos irem para saberem o que é o Mural de Aventuras que você faz parte. O que eu senti a cada subida ou descida é indescritível, tentei arrumar uma palavra mais infelizmente não consegui, somente sentindo para saber. As vezes da vontade de desistir, jogar a bike fora e chega a pensar: o que eu estou fazendo aqui pelo amor de Deus. Mais depois que você completa o desafio, você quer voltar lá e fazer tudo novamente!!!! Bora Muralll!!!!!!!!! João Mauricio.

Depoimentos:

"A Serra da Jiboia é a região mais bonita por onde passei fazendo trilhas de bike. Mas como as sereias, que usam a beleza p/ atrair sua vítima, a Serra esconde perigos e desafios que certamente irão torturar os bikers menos preparados. Se o esforço exigido no percurso serviu de penitência para pagar pecados, acredito que sai de lá com "créditos de pecado" para gastar. No entanto, estarei presente em todas próximas edições, se assim puder. Completar o percurso foi muito gratificante. Bora Mural!!!!!!." Bruno Matos.

"Participar do Desafio da Serra da Jibóia foi um prazer. Com certeza foi a trilha mais intensa, mais louca (só vai quem é doido) e mais desafiadora que fiz e ter decidido de última hora aumentou ainda mais toda essa adrenalina. Para os que nunca foram, gostaria de deixar um recado: conhecer a Serra da Jibóia é uma das oportunidades de encarar um grande desafio que vai mudar o seu nível no MTB, além de ser uma experiência inesquecível! Aproveitem as próximas oportunidades porque é bom demais! Obrigado a todos que me incentivaram a ir e estiveram lá!" Rafael Bergton.

"Diz o ditado popular: a ignorância às vezes é uma dádiva! Apesar dos avisos eu não tinha noção da dificuldade, então tava relaxado. Subimos e descemos a primeira serra. Bom demais! Quando começamos a subir a segunda (com ~40 km de um total de ~100 km) pensei: "tô lascado". O objetivo passou a ser simplesmente terminar. Não importaria o preço. Mantive a calma, apesar do desgaste físico me concentrei. Consegui terminar e foi uma felicidade só. Mais ainda pelo fato de nenhum companheiro ter desabado. Terminamos juntos! Foi um dos momentos em que mais coloquei a prova meus limites físico e mental. Um dos momentos em que mais satisfação tive em superar meu Eu." Marcelo Amorim.

"Serra da Jibóia, primeiro sempre é um desafio passar pelo pré-jibóia, as resenhas, os dispositivos, a pressão a curiosidade, porém, no meu caso já estou pós-graduado, pois foi a minha segunda ida ao desafio “All Inclusive”, assim já sabia o que vinha. Entretanto, nem sempre saber o que vem pela frente é bom, principalmente quando sabemos que da existência das ladeiras bem inclinadas. Como sempre a subida da cachoeira muito desafiadora e emocionante, assim como a descida do vale. Enfim, todos os momentos que passamos são marcantes, um teste de resistência e paciência, com trabalho em grupo, lidando com as diferenças, medos e individualidades de cada um. Mas como os outros Desafios da Jibóia, sempre acaba em festa comendo um churras para fechar com chave de ouro nossa conquista." Guido Cortez.

VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR








































8 comentários:

JOSA disse...

João brocou na resenha, o filme está nota 10 e Rei para de abusar os velhinhos, voce um dia vai ser abusado assim tambem srsrrssr..
NÍVEL 5 FAÇA JIBÓIA COM MURAL DE AVENTURAS.

joao disse...

Quero mandar um Salve para todos os muralistas e dizer q a serra da jiboia eh algo impar na vida de quem faz..... show de bike

Bora MURAL!!!!!!!!!

Giulyano disse...

Parabéns João e Elson, assim como todos q participaram deste grande desafiio, ficou show, deu pra sentir a emoção e adrenalina, assim q tiver preparado estarei lá tbm. BMMP!

Gil Chaves disse...

Muito bom, galera!
Excelentes o vídeo, as fotos, os depoimentos e a resenha...
Quando eu crescer e tiver mais experiëncia, vou acompanhar vcs.
Parabéns ao Mural por mais uma edição dos desafios.
Abraços,
Gil Chaves

Gil Chaves disse...

Muito bom, galera!
Excelentes o vídeo, as fotos, os depoimentos e a resenha...
Quando eu crescer e tiver mais experiëncia, vou acompanhar vcs.
Parabéns ao Mural por mais uma edição dos desafios.
Abraços,
Gil Chaves

Ed Bala disse...

Realmente a serra da Jiboia não é para qualquer um!Parabens aos que foram.Gostei do final:"Mandrake cãmbio?"..."eles estão compartilhando da minha longevidade" kkkk Rei é demais!

Tiagão disse...

FODÁSTICO!

Mauricio Rocha disse...

Muito show!!! Estou me preparando pra colar com essa galera. Não vejo a hora.