Trilha na Ilha dos Frades - O Empurra Bike

Na noite anterior à Trilha da Ilha dos Frades, eu estava muito ansioso para estrear a bike nova, ficava pensando em como seria a fase de adaptação, se a bike nova realmente seria melhor que a antiga.  Nesse processo de pensar e arrumar todas as minhas coisas, fui deitar às 00:00, mas não conseguia dormir, fiquei na expectativa da Trilha.
Acordei às 4:25 da manhã, com tudo já no carro, tomei café e fui para o local marcado, o Rei da Pamonha da BR.
Chegando lá, o pessoal estava ansioso para ver a bike nova, e assim que cheguei, fui mostrando para todos. Estava eu ainda meio acordado e meio dormindo, até que Serjão me olha, e pergunta:  Tá pesando quanto?  E eu, ainda dormindo, respondo: 78 kg. Claro que todo mundo deu risada, porque ele queria saber quanto a bike pesava, e não o meu peso. Acho que foi aí que eu acordei.
Quando deu 5:40 da manhã,  partimos rumo a Madre de Deus para pegar o barco que nos levaria à Ilha dos Frades.
Chegamos em Madre de Deus, estacionamos os carros e Elson fez uma rápida reunião, falando de como seria a trilha, ressaltando o fato de seguirmos as instruções à risca, Pegamos o barco, tivemos que utilizar dois barcos na travessia, para caber todas as bicicletas, uma vez que eram 20 bikes.
Chegamos na Ilha na maior ansiedade, eu, particularmente, porque não via a hora de saber como eu ia me comportar na bike.  Elson pediu para esperarmos na ponte, porque ele ia encomendar o almoço.
Com tudo liberado, enfim fomos subindo uma ladeira enorme. Claro que Elson logo cantou a pedra, e falou que eu seria o primeiro a colocar o pé no chão. E fui eu mesmo, claro, a pessoa que pagou a coca. Tentei subir, mas não consegui porque eu ainda estava frio e não sabia como lidar com a bike.
E então subimos até o topo da ladeira, quando constatamos que faltava uma pessoa. Daqui a pouco chega o Renato, o “gordinho dos infernos”, falando que o disco de freio dianteiro estava empenado.  Mandrake foi logo arrumando e seguimos a trilha, subindo e descendo o tempo inteiro,  até que chegou uma descida cheia de valetas que causou a queda de 3 papucos: Mandrake (como sempre), Mateus e Guga.  Não sei como saíram ilesos, porque eu só vi papuco voando para todo lado. Voaram uns 20 metros, sem mentira.
Seguimos a trilha, crédito para o visual, que era muito bonito. Só que aquelas subidas e descidas não terminavam nunca, era uma atrás da outra e eu só apanhando da bike, porque não estava conseguindo subir direito, e as que conseguia, era com muita dificuldade. Até que o Santo Coquinha  furou o pneu numa hora muito bem vinda, pois tinha uma subida muito íngreme e longa. Com a parada deu para descansar. E lá fomos nós enfrentar a maldita subida. Tentei  encarar, mas só consegui subir 70% dela.  Fiquei satisfeito com meu resultado, uma vez que alguns Muralistas mais experientes, como Mandrake, não conseguiu zerar ela.  Mas foi guerreiro e tentou umas 3 vezes até conseguir (me desculpe Mandrake, mas não podia omitir este fato).  Como sempre, quanto maior a subida, maior vai ser a descida,  e me deparei com uma descida à altura da subida anterior.  Resolvi encarar, o que não conseguiria fazer sem alguns conselhos de Hélio e Mateus.  Fui descendo aos poucos, e fui tendo mais confiança na bike (dizem que para descer todo Santo ajuda).
Tinha terminado a descida e estávamos conversando eu, Elson e Gil, e um pouco mais atrás estava Barbudo, e descendo a ladeira vinha o Gordinho dos Infernos.  Ao final da descida,  o Gordinho dos Infernos freou forte com o dianteiro... resultado: A bike capotou em câmera lenta... kkkkk!!! Só vimos a bike caindo para um lado, e o Gordinho dos Infernos caindo feito uma jaca (me desculpe, mas também não poderia omitir esse fato da resenha).  
Como eu disse um pouco mais acima, “para descer todo Santo ajuda”, mas e para subir?  Não tem santo certo, e então me aparece uma subida ainda maior que a anterior, e resolvi subir empurrando mesmo, mas não me senti sozinho, pois tinha um monte de papucos (os de sempre) Adriano, Mateus, Hélio, Gilmar e Mandrake, empurrando também.
E foi empurrando e descendo ladeiras que chegamos na Igreja da Ponta de Nossa Senhora, que tinha uma vista muito bonita, onde fizemos uma pausa para tirar fotos.
Partimos em direção à praia, pois já estávamos sem água. Paramos numa pousada e tomamos água. De surpresa, a mando de Herrera, vieram porções de camarões, que pareciam miragens, porque isso de comer camarão com coca, numa trilha, só em sonho mesmo!  Estou eu lá comendo e bebendo coca, quando Guido grita: Olha o cachorro mijando na bike de Pesquero!  Eu fiquei puto com o cachorro, mas logo pegamos as bikes e partimos para a praia, onde tinha um píer e o pessoal tomou banho de mar.
O que ninguém esperava, foi que depois daquela cena inusitada da poção mágica do cachorro, PESQUERO começou  a brocar um monte de papuco .  Comecei a forçar bastante e embalar a bike muito antes, e o resultando foi ótimo. Saía pedindo passagem, e papucos como Mateus e Adriano já não faziam mais parte do meu pelotão, que passou a ser o pelotão do meio e não o do fundão. Passei então a acompanhar Ed, e estava me saindo super bem, contando com a ajuda de Hélio nas descidas técnicas.  
Chegou a famosa descida, a qual não desci, mas quase fui, e então pensei: se tiver mais alguma pela frente, eu desço!  Mesmo que uma árvore me segure lá em baixo!!
Depois de mais subidas e descidas (a trilha é uma verdadeira montanha russa)  a cada instante eu me sentia mas confiante, até que chegou a famosa Mega Range e criei coragem e fui, seguindo as instruções de Hélio, que falou para encostar a barriga no banco e ir soltando  os freios aos poucos.  Estava indo na maior concentração, até que um maluco me passou voando.  Pelo jeito que passou, eu já sabia quem era: era o Mandrake em alta, descendo que nem um louco. Fui no rastro dele, mas com calma. Quando cheguei ao final da descida, o sentimento foi de missão cumprida de descer a primeira de várias ladeiras.
A partir daí foi só brocação. Eu sempre chegava junto com o pelotão da frente subindo até o final das ladeiras. O pessoal perguntava: Será que Pesquero já chegou? Falaram isso umas 4 vezes até que falei:  estou chegando junto com vocês, brocando um monte de papucos que estavam tudo morto lá atrás,  e Ed está de prova!
 Faltando uns 6 km para o final da trilha, e pouco para o almoço, fizemos um percurso estradão com uma vista do alto da ilha, de todo o continente até que Herrera caiu. Paramos pela queda de Herrera, e também para esperar os papucos que estavam para trás (os quais não vou citar nomes). Seguindo, passamos por Loreto, uma praia com uma Igreja muito bonita e fizemos mais uma parada para comprar uma água e cocas, pois o sol e o calor estavam muito fortes. Partimos subindo mais e mais e mais,  e eu não via a hora de almoçar, até que Uelton fura 1 pneu e depois fura de novo.  Eu só pensava que o almoço tão esperado não chegava! Enquanto eu pensava no almoço, um dos irmãos barbudo dormia no chão (mas não era sono e sim, porque estava morto).  Seguimos, até que avistei a praia e pensei: a hora do almoço chegou!! E não é que era mesmo?!  Parei a bike e fui pegar um lugar na sombra, pois não sou besta e pedi uma coca gelada. Chegou o almoço e foi aquela alegria. Estávamos todos mortos de fome e devoramos as 7 moquecas, dentre elas, siri catado,arraia e mariscada acompanhado de pirão, arroz, feijão e farinha. Mandrake, o menino da Ribeira, não queria comer arraia, até que o chefe obrigou e ele comeu e não gostou.  Todos estavam passando mal de tanto comer. Pagamos a conta e fomos pegar o barco para voltar para casa. A sensação era de dever cumprido e de superação,  por ter feito a minha melhor trilha. Dessa trilha só digo uma coisa:  “BROQUEI UM MONTE DE PAPUCOS!!”
Gostaria de agradecer  a Adriano , Hélio, Mateus, Uelton, Herrera, Ed e Mandrake pelas dicas, que me ajudaram muito.
Brincadeiras à parte, gostaria de dizer que essa foi uma das melhores trilhas que já fiz, exigiu bastante esforço e superação. No mais, é sempre bom fazer parte de um grupo organizado, com pessoas legais, que se ajudam, cujo divertimento é o principal objetivo. 
Valeu e até a próxima trilha! Rodrigo Pesquero.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR































































































16 comentários:

Elson disse...

Nunca ví tanta gente empurrando a bike! KKKK.

O Bullying rolou em alta! Rsrsrs.

Parabéns Pesquero, vc no final brocou um monte de papuco! Rrsrs.

Galera mais uma vez a trilha foi show!!!

Que venha agora Trilha da Cachoeira do Urubú!!

Ricardo Popó disse...

Elson
A galera toda tirando foto no lugar onde tinha uma placa "Não Pise na Grama " ai é F........ aiaiai se liguem cambada de Zé!!!!

Elson disse...

Nós pedimos permissão Popó!

Fique tranquilo que preservamos tudinho!!! Rsrsrs

Anônimo disse...

Joao Herrera:
Essa trilha foi show! Dizer que Elson, Guido e Herrera brocaram no pelotão de frente ele não fala! Kkkkk

Mateus Alves Neiva disse...

MUUUIIto Showwwwww, ficou massa.... até hj não esqueço das ladeiras....
Mandra, cara ri muito com vc no finalzinho do vídeo....

Giulyano disse...

Massaaaaaa, só ladeira punk, o pior eh que quem anda na frente não aparece nas filmagens, Kkkkkkkkkk. Rolou o bullying, muito gente brocou mas apareceu no empurra. Trilha TOP, parabéns a todos.

Rodrigo Pesquero disse...


Nem por fotos e videos da para demonstrar como essa trilha!
Essa trilha e a top five do mural
Que chegue logo a proxima trilha nos frades!

Ed Bala disse...

Essa trilha foi demais...O visual é recompensador.Teve muito empurra bike mesmo, mais teve muita brocação tanto nas subidas e nas descidas que q não era nada fácil.O gran finale com Mandrake foi muito engraçado.Parabéns a todos

Ricardo Popó disse...

Elson, cara finalmente eu vi você empurrando Bike e duas vezes junto com o gordinho dos inferno, e outra coisa ficou fashion voce combinar capacete, oculos e uniforme tudo verde. Massa e não diga que não era voce pois a bike tambem é a sua a specialized preta.

Elson disse...

Popó,

Esse cara de capacete verde não sou eu! Parece comigo, mas é Pesquero! kkkk. Miséra!!!

Popó, vc tem medo da Ilha dos Frades? Pelo que sei vc nunca fez essa trilha... Tenha mesmo mesmo, pois vc vai empurrar muuuuuuuuiito!!!! Rsrsrs

guido cortez(Bob filho) disse...

opaaa!!!Ai eu defendo bob pai!!Ali e malaco veio não empurra não!!

Ricardo Popó disse...

Elson
Você sabe que não tenho medo de nada exceto de Dona Verinha KKKKK, quanto a empurrar isso sempre fiz e não nego quanto a muuuuuuuuuiiiiito isso não !!!!!!!! e domingo estamos colado porém separados certo !!!!

Coquinha disse...

Galera a trilha foi show demais!!!
Mas nunca vi tanta PAPUCALHADA num lugar só....rsrsrsrsrs

welseman disse...

Ilha dos Frades não é para qualquer um. Pode ir de 26, 27.5 ou 29er ... se não tiver preparado, vai empurrar do mesmo jeito. Mas desta vez foi o record de "empurra bike" ... Vlw galera

Rodrigo Pesquero disse...

guando e a proxima trilha na ilha dos frades ? temos que marcar uma trilha extra elson pois duas trilhas por ano neste lugar esta pouco !

REI disse...

MANDRAKE, NÃO SOU MAIS SEU FÃ!!!