Trilha Seba


Olá Muralistas! Esta é minha primeira resenha após ingressar a 5 meses atrás neste seleto grupo de aventureiros em busca de adrenalina.
Pois bem, este inédito desafio deu início às 4:30 da matina do Sábado dia 27/04/2013 com o despertador tocando. Uhuu! Sem demora já estava fardado com a camisa do mural. Com tudo pronto no carro desde a noite anterior logo estava a caminho do ponto de encontro na BR com destino final a cidade de São Sebastião do Passé (ou Massapé rsrsrs...) a 70Km de distância de Salvador.
Deixo o registro de que esta trilha foi mapeada por Ramster. Foi dito por ele que havia trechos com massapé e areal. Não sabia ao certo qual a condição da trilha, mas sabia que era grande a chance de encontrar trechos molhados e até sob chuva devido ao tempo instável nos últimos dias. Pois bem todos reunidos em S.S. do Passé, grito de PARTIU, foto a frente da Igreja um curto trecho urbano e logo estávamos na entrada trilha. Muita lama logo de cara. Subimos um pouco e nos deparamos com beco sem saída! Perdido #1. Meia volta, desce, lama e então pegamos mais um trecho de subida mais longo para então começarmos a descer com lama, galhos, pedras. No final da descida o primeiro grande se não o maior desafio do dia, um atoleiro de massapé.

Alguns tentaram pedalar mas após poucos metros (uns 5m no máximo) os pneus estavam com largura 7.1 sem exagerar! Travaram a rodas e a única forma de locomoção era descer da bike afundar o massapé maldito e carregar a bike pesando uns 20Kg mais ou menos isso fora os pés de sapato de Bozo! KKKK! Foi então quando achamos que todos tinham atravessado o lamaçal (Giulyano com pneu traseiro furado) e já limpando as bikes eis que ouvimos um Muralista chamado Pesquero todo atolado com a bike e gritando por ajuda no meio do massapé! Adivinhem que foi lá remover a bike dele? Mandra, o rebocador. Vários bullyings depois e bastante tempo removendo massapé grudado por todas as partes da bike e pés seguimos o rumo no primeiro estradão.
Subimos até uma rodovia asfaltada e mais uma vez caminho errado (perdido #2). Volta, certo? Não ainda. Percebo que estava com o pneu traseiro furado. Troca, remenda, enche e depois deste processo todo com ajuda de alguns Muralistas tudo pronto pra o reinício e PARTIU?! Não ainda. Vejo que durante o processo de troca o dianteiro também estava furado (alguém aí tem no tubes a venda??) e assim já estava com duas cocas na minha conta. Enfim partimos desta vez no caminho certo e sem pneu furado.
Muitas subidas, porteiras, areal sempre com piso molhado chegamos até o primeiro córrego e um pit stop para lavar as magrelas. Canelas lavadas entramos então em um single track da melhor categoria. No meio deste single track irado tivemos até a um enrosco entre dois Muralistas culminando em um manete de freio danificada pela batida. Na sequência pegamos um estradão com vários visuais impressionantes dignos de pintura. Várias subidas, descidas e vales que não sinceramente não esperava encontrar.
Breve pausa em um boteco na beira do estradão com direito a uma jaca e tudo. Cocas pagas e todos de volta ao estradão e desta vez com um leve garoa. Quilômetros a frente entramos em um pequenino vilarejo com um lindo açude ao fundo. Estávamos na metade da trilha. Alguns arriscaram-se em um banho de bica. Eu só lavei a bike, hehehe. Retornamos então, sob uma rápida e chuva forte, pelo mesmo estradão que agora estava mais pesado devido as poças. Foi aí que comecei com um incômodo no lado externo do joelho esquerdo que obrigou-me a diminuir o ritmo mais a frente devido a dor. Nada insuportável, mas que me atrapalhou bastante principalmente nas subidas que não foram poucas! Mas estava compensando tudo isso e foi quando mais uma grata surpresa aparece! Uma pinguela (pequena ponte) sobre um riacho próprio para o banho. E uma lição a Pesquero de como lavar uma bike no riacho. Não sabia mas era nossa última parada. Neste trecho final fui ajudado nas subidas pois estava mais lento devido a dor no joelho (não foi dispositivo, hehehe).
No alto da última e mais longa subida fomos avisados por Ramster que teríamos um donwhill de 2 minutos e 30 segundos! Não parei para cronometrar, mas foi um bom trecho de serra pedalando ladeira abaixo meio que segurando um pouco nas curvas mais fechadas porque não sabia o que poderia encontrar pela frente (valetas, pedras, etc..). Final do descidão chegamos ao asfalto. Mais 6km e estávamos de volta. É isso aí galera! Mais uma trilha inédita para o Mural que surpreendeu com um grupo de bikers sensacional. Espero que tenha gostado da resenha e BMMP! Forte abraço! Alex.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR




















































































10 comentários:

Ed Bala disse...

Muito boa.Parabéns Alex, felizmente o Mural tem pessoas como vc entusiasta e amante pelo mountain bike.É bom demais pedalar e conhecer novos lugares.Parabéns a Ramster pela disposição de mapear a trilha, já tive a oportunidade de mapear e não é nada fácil ficamos imaginando os melhores lugares p a galera brocar.Mas uma vez show de fotos.

Ricardo Popò disse...

Muito louco este dia, como todas as trilhas com essa galera do Mural fica imperdível e inesquecível !!!!! Bora Mural Sempre.

André Mandrake disse...

Eu realmente ñ esperava q fosse
gratificante fazer essa trilha, me surpreendi.
Parabéns a Ramster e Marcos pelo mapeamento, a Alex pela resenha e a Elson pelo vídeo e fotos.
VIVA O MURAL DE AVENTURAS!

Ramster disse...

Primeiro, gostaria de agradecer a galera do Mural por ter confiado em mim e ir comigo refazer esta trilha, a qual mapiei a algum tempo com uns amigos da regiao. Segundo, parabenizar Alex pela resenha que está excelente e a Elson pelo video e as fotos.
Alex, ressalto, que apenas no primeiro trecho sim me perdi, o segundo foi proposital para que se alguém quisesse retornar ali seria a ultima chance.
No mais a trilha foi excelente com uma turma impar que é esta galera, valeu!

Ramster disse...

Primeiro, gostaria de agradecer a galera do Mural por ter confiado em mim e ir comigo refazer esta trilha, a qual mapiei a algum tempo com uns amigos da regiao. Segundo, parabenizar Alex pela resenha que está excelente e a Elson pelo video e as fotos.
Alex, ressalto, que apenas no primeiro trecho sim me perdi, o segundo foi proposital para que se alguém quisesse retornar ali seria a ultima chance.
No mais a trilha foi excelente com uma turma impar que é esta galera, valeu!

Mateus Alves Neiva disse...

Outra Trilha que perco em virtude de aula....Rato, realmente a trilha deve ter sido show...Elson, fotos massa ! Alex, parabéns pela resenha...e TONHO DA LUA (Pesquero) como sempre passando vergonha !!

Ricardo Popò disse...

É o seguinte Mandraque como em todas as trilhas solidário com a galera. Mas desta vez exagerou carregou a bike esta parte esta registrado. A que não esta foi que carregou o cara no colo pois Pesqueiro chorava que nem criança. Se jogou no chão gritava me ajudem, me ajudem Mandra pelo amor de Deus aí Mandra foi e ....... Ajudou!!!!! Triste. Pesqueiro ria depois ria e .......... Disse ò Mandra você agora é meu amo e de joelhos beijava os pés ( sapatilhas) do Mandra.

Guido Cortez(Bob Filho) disse...

Trilha iraaada!!!As imagens sempre show!!!!Mural sempre e Show de Bike!!!

ciro disse...

Até o chefe empurrou a bike nessa trilha?!?!?!
Mto Bom!! Pra mim qto pió, mió!!

Alex disse...

Valeu galera! Essa trilha foi TOP!Que bom que gostaram da resenha. Foi mesmo um privilégio fazê-la! Rato, foi nessa 2ª "errada" de propósito que meus dois pneus furaram! Conclusão vc me deve duas cocas! HahAhahAha!
Abraço!