Trilha de Itacimirim a Reserva de Sapiranga

Dia 06/07/2013 debaixo de muita chuva o Mural de Aventuras promove mais uma trilha inicialmente nível 3 num lugar conhecido por muitos muralista (Sapiranga). Marcado 6:30 no posto de Itacimirim... “vixe... estou atrasado, já são 6:30 e ainda estou  em barra de jacuipe”. Chegando no posto percebi que ainda faltava algumas pessoas dentre elas os três Coordenadores. O atraso se deu, devido as fortes chuva que caia naquela manhã desde a madrugada (já viu né?!?! Muita lama), mas trilha do Mural jamais é cancelada por conta desse fenômeno natural, na verdade fica ate mais divertida.
Todo mundo reunido, instruções básicas.... PARTIU!! Iniciamos a trilha por um belo estradão e logo a frente lama... muita lama, mas ainda assim dava pra andar na brocação... ate um determinado trecho em que essa lama ia ficando mais mole e a chuva caindo terreno extremamente pesado e logo no inicio já esta instalado o primeiro desafio. Passado essa etapa uma parada rápida, em uma bifurcação da estrada, para agrupar. “Todo mundo presente...?!?! PARTIU”, descida insana num single track massa com mata fechada e paredão dos dois lados que só dava pra passar o guidão e os pedais.
Mais na frente outra bifurcação e ai Elsão resolve ir por um lugar novo, trilha batida, com algumas subidas e decidas legais, e de repente o caminho se fecha “.....vixe e agora ?!? Perdidão?!?!” roda pra um lado, roda pra outro e nesse momento a trilha já ia passando do nível 3 para nivel 4 ou ate 5 devido ao terreno pesado e outro fatores. Após algumas voltas uma parada pra localização no momento em que o Pai Sapiranga, experiente engenheiro agrimensor, fala: “Elsão, com certeza aquele corte do terreno feito por trator é vestígio de uma estrada” e ai Elsão solta da bike se orienta, olha pro lado, olha pro outro e diz “temos que ir pra lá mesmo...” monta na bike e parte. Desce uma ladeira enorme... que se o caminho estivesse errado eu não subiria andando quem dirá pedalando. Mas vamos lá, tudo certo rota marcada e ai começamos a pular cerca.... e mais cerca e mais cerca.... até chegarmos em um estradão onde passamos por um mercadinho fazendo a parada para hidratação e alimentação.
Seguimos num estradão com muita lama e a chuva continuava caindo, e o rio Pojuca continuava subindo o nível.... “O que tínhamos com isso?!?! Teremos que atravessa-lo, do jeito que ele estiver.” Quando cheguei na margem do rio Elsão já ia na metade da travessia com a água no pescoço.... Vamos nessa, tem que atravessar então tirei a mochila coloquei em cima bike e encarei  travessia, juntamente com os outros muralistas. JP estava próximo a mim quando a garrafa de hidratação dele cai da bike na correnteza do rio... todo mundo com as duas mãos ocupadas, eu nem sei como ele pegou a garrafa. Pesqueiro que ficou para atravessar por ultimo quase se afoga, chegou do outro lado todo desengonçado com mochila quase caindo na água. Risada geral, apesar da chuva, frio, lama, travessia do rio com água ate o pescoço, todo mundo muito feliz, vê se pode!?!?!? Só sendo Muralista pra entender.
Após a travessia já entramos na Trilha da Reserva de Sapiranga, antes de começarmos a pedalar Rei pega um óleo para lubrificar a corrente, Elson que estava ali por perto aproveitou para passar na dele e eu fui no embalo passei o óleo na corrente, quando escuto “Esse óleo vai sair caro pra você”, ô praga. Seguimos com single track fechado com muitas árvores caídas. E nesse trecho a as coisas mudam um pouco, enquanto a jusante do rio o ritmo era forte com paradas somente para agrupar. A montante começou as papucagens... a bike já estava ‘crocante’... com lama, areia, barro, era tanto ruído....que mais parecia um trem, rsrs
A galera toda brocando e de repente minha gancheira quebra, pronto... já sabia que estava escolhido pra fazer a resenha, visto que, quem passar por mais perrengues é o escolhido pra fazer o texto. E eu estava ali longe de tudo, no meio do mato e sem gancheira reserva (o que poderia ser pior??).  Nesse momento estava um pouco pra trás com Adriano, pesqueiro, meu pai, bezerra e mais 2 muralistas bastante solícitos (que me perdoem por não lembrar do nome....ha e devo um Power link a um de vocês, me cobre). Adriano partiu com pesqueiro pra avisar ao resto do grupo que com certeza estava parado mais a frente, bem mais a frente, mas esperando. Sem acreditar que alguém teria uma gancheira reserva igual a minha decidimos fazer uma ligação direta isolando o cambio. Depois cortar a corrente e colocar o pneu, Adriano chega com o grande salvador Weliton com uma gancheira igual a minha cedida por quem ?!?!?!: Rei, na hora que soube que era de Rei, me lembrei de Elson falando na beira do rio “esse óleo de Rei vai sair caro pra você”.... ô praga rsrsr. Tudo resolvido, Partiu!!
Seguimos na trilha e de repende.... “para, para, para !!!” Herreira deu um nó na coroa com a corrente  que eu achei que só Pai de Santo pra desata-lo. Mas, o experiente Josa que estava por ali logo toma a frente pra resolver. Debaixo de chuva, após algumas pancadas no cambio e apito no pé do ouvido partimos em direção ao restante do grupo, que estava parado mais a frente. Assim que agrupou e partiu.... “para, para, para!!!!” A roda do ‘Salvador’ Weliton estava travada, a pastilha de freio já tinha indo embora e estava levando junto o disco de freio, e ainda assim o cara anda brocando.
Após reparos no freio seguimos na trilha novamente num estradão e muita brocação e eu bastante cauteloso e preocupado com o cambio e gancheria. De repente “para, para, para !!! pneu furado”.... Ainda bem que já estava no final da trilha, porque se a média de avarias continuasse só terminaríamos a trilha a noite. O corujão na Sapiranga é massa e não ia ser tão mal assim!!! BORA MURAAALLL!!!
Finalizamos a trilha na reserva da Sapiranga onde seguimos, sujando as bikes de asfalto ate o ponto inicial, Itacimirim.
Mais uma vez gostaria de parabenizar o Mural por mais uma trilha cheia de aventuras e emoções, BORA MURAL !!!! Peu Barbudo.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
































3 comentários:

Rei disse...

Eu fui!!! E foi bom demais... o que vc está esperando para participar?!?!
BMMP!!!

Andre Mandrake. disse...

Eu não fui mefu.
Snifn snif.

Ed Barreto disse...

Essa trilha foi do tutututu paaaaaá .Pediu pra parar parou! É isso ai galera não tem tempo ruim p o mural de aventuras. e se a trilhar acabar por causa do rio, damos um jeito. ..kkkk