Desafio da Serra da Jiboia - O Acampamento 2

Desde que entrei para o Mural de Aventuras, queria experimentar a sensação que alguns Muralistas já tiveram de pedalar por trilhas de altíssimo nível, por muitos dias, acampando e com os alforjes cheios de bagagem!
Acompanhando as resenhas das trilhas anteriores, uma das que mais me chamou a atenção foi a “Serra da Jiboia - O Acampamento”! Um pouco de todas as experiências que gostaria de vivenciar estavam reunidas nesse desafio de 2 dias. Sabia que seria ao mesmo tempo um teste de superação e aprendizado. Confirmei a minha participação, seguido por Bezeraider, Btwin, Malandra e Uelton.
Finalmente chegou o dia da viagem, todos estavam ansiosos , chovia muito e a estrada que nos levaria até a fazenda (em Santo Antônio de Jesus) já dava alguns sinais de como seria essa aventura. Ao chegarmos, fomos recebidos com muita hospitalidade, um jantar farto e delicioso! O frio que fazia quando estávamos para dormir, já demonstrava o que iríamos enfrentar no alto da “Serra da Jiboia” (local onde montaríamos o acampamento a +- 900m de altitude).
Acordamos com um café da manha que dispensa comentários, muita chuva e frio, e primeira palavra que Elson disse foi (se preparem) rsrs! Nos preparamos psicologicamente, arrumamos as bagagens (levamos os equipamentos de camping e todos os aparatos para o nosso churrasco) e começamos a nossa aventura.
Quando chegamos na ladeira da “Pinha”(uma das muitas ladeiras longas e inclinadas), todo peso que carregávamos nas bikes, já anunciavam as dificuldades que teríamos pela frente. Até chegarmos na “Cidade dos Velhos” percorremos 12km muito sofridos, devido a chuva forte, frio e lama. Mais adiante paramos em mais um dos pontos de apoio (Bar da farofa) que fica localizado próximo ao pé da serra, e Elsão aproveitou o momento de descontração e de descanso para nos avisar que a dificuldade iria aumentar.
No caminho, a cada ladeira que conseguíamos vencer, éramos recompensados com descidas enormes e uma vista maravilhosa da serra! Chegamos ao último ponto de apoio para nos abastecer de água, descansar um pouco, e nos preparar para enfrentarmos a ladeira da “casa de farinha”. Essa exigia uma preparação a parte, pois, como era muito inclinada e o piso estava molhado e escorregadio, não era possível pedalar, e para piorar, tivemos que empurrar as bikes por cerca de duas horas dentro da mata até chegarmos a “Pedra do Melão”.
Ao chegarmos, todo esforço foi válido quando nos deparamos com a vista das cidades de Santo Antônio de Jesus, Castro Alves e das Antenas (localizada em outra parte da serra, nosso próximo desafio do dia seguinte).
Tivemos que montar o acampamento rapidamente em meio a uma casa abandonada, pois a noite estava se aproximando e tínhamos que nos abrigar do frio e chuva que estavam por vir. Todos acomodados, iniciamos o nosso churrasco (com direito até a picanha, calabresa e bebidas) que todos se deliciavam aproveitando para curtir a vista privilegiada. Satisfeitos e cansados, fomos dormir sob muita chuva, vento e frio.
Na manha do dia seguinte, tomamos um café da manha reforçado e partimos para segunda parte da aventura que seria a serra onde ficam as antenas. O empurra bike começou novamente até chegarmos, e em seguida curtimos uma descida de 4km em alta velocidade (Brocando!!!!Rsrs) com direito a uma parada para tomarmos um banho de cachoeira. O “Downhill do Vale” foi outra atração a parte, pela sua beleza e por proporcionar na minha opinião, a descida mais emocionante e técnica da viagem.
Diferentemente do primeiro dia, o sol castigava o nosso retorno e o desgaste físico era eminente em todos, devido às subidas e mais subidas que tínhamos que completar. Já estávamos no meio da tarde quando decidimos parar para comermos a famosa “farofa” com direito a cervejinhas geladas e coca-cola. Após o almoço, intensificamos o pedal, até que Malandra, com um comentário sem noção (rsrsrs), foi dizer a Elson que achava que a jiboia não era uma trilha nível 5 (acho que nem preciso mais dizer mais o que iria acontecer) rsrs. Elsão alterou o trajeto para um caminho ainda mais distante e torturante, com direito a conhecer a “ladeira da caixa dágua”, “do Pão” e outras mais que nem lembro o nome...rsrsrs. Chegamos à fazenda no final da tarde, muito cansados, e com aquela satisfação de ter completado a minha primeira aventura NÍVEL 5!!!! Valeu Mural!!!!  KICHUTE.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR





















































































































































































3 comentários:

Giulyano disse...

Massa, show de bike. Parabéns Kichute pela resenha e por ter se esforçado para entregar logo, assim pudemos viver essa emoção com vocês o quanto antes. Show de imagens e de superação, ai só sabe o que é quem foi (e com o Mural, pq tem outros passeios ai que não são a mesma coisa), ainda mais com toda essa bagagem. Parabéns guerreiros!! BMMP!!

ze.bezerra disse...

Muralistas! O Mundo já é maravilhoso...E, essas ações o tornam surpreendente e mágico. Hoje é o dia em que acontece o forum onde se fala de cicloativismo, mas o que isso sem o que fazemos? Os ismos acontecem mas è como fazemos que entramos na essência do nosso Ser. Parabens MURALISTAS, obrigado por existirem e sou muito mais grato por fazer parte desta família.
VIDA LONGA AO MURAL...
Kichute ainda não li. As fotos do Elsão não deixaram tá de FU...Rsrsrsr.
Bora Mural!

Ed Bala disse...

Fantastico Galera,Parabéns!