5° DIA EXPEDIÇÃO TRANSALPES: de Valdidentro (Itália) a Grosio (Itália)

Como o próprio nome da pousada em que dormimos dizia, RIFUGIO VAL FRAELE , nos refugiamos e dormimos maravilhosamente bem, principalmente por conta do sono acumulado da noite anterior nas barracas de camping. O café da manhã também nos pareceu um banquete já que no dia anterior comemos em pé e nossa mesa foi o tronco de uma árvore cortada. Pois bem, café da manhã reforçado, partimos para mais um dia que prometia muito, com surpreendentes visuais e ocasiões que ao longo do dia nos contemplaria.
Estávamos na cidade de VALDIDENTRO – ITÁLIA e logo na saída, pedalamos sobre o paramento da barragem VAL FRAELE, toda em concreto armado, muito imponente!!! Para mim, como engenheiro, era como uma obra de arte e não parava de admira-la. Para minha surpresa, ao contornar o grande lago, mais abaixo, nos deparamos com outra barragem cravada no vale com um formato convexo que me deixou ainda mais feliz ao conhecê-las.
Ao sair do vale e deixar os lagos para trás chegamos a um ponto onde ficará para sempre em nossas memórias. Um mirante com uma torre medieval usada estrategicamente para defesa era o cenário ideal para muitas fotos. Encontramos um grupo de ciclistas muito animados que treinavam speed subindo as estradas e nos saudaram com muito entusiasmo. Fizemos diversas fotos com eles e o visual da estrada em zig-zag descendo pela montanha nos empolgava.
Estava tudo muito bom, estava tudo muito bem, mas tínhamos muita estrada pela frente. Iniciamos então a descida, porém desistimos do zig-zag ao descobrirmos uma estrada de chão após o segundo cotovelo da estrada e que nos direcionaria para nosso destino. Fizemos a escolha certa ao perceber toda a beleza do lugar vista do alto.
Após alguns quilômetros iniciamos nossa descida. Como já sabíamos que depois de uma descida havia sempre uma subida, não ficávamos muito animados. Resultado, a subida tinha a inclinação mais incrível que já vimos numa estrada. Sua inclinação era tão acentuada que o piso foi feito com inúmeras ranhuras antiderrapantes. Empurramos uma boa parte até chegar num ponto pedalável. Não havia nada em volta, apenas a floresta de pinheiros, as montanhas e o céu que ameaçava chover.
Ainda não passava das onze horas da manhã e os acontecimentos continuavam a nos surpreender. Chegamos a uma fazenda de nome ALTA VALTELLINA. Foi como um milagre!!! A família que ali morava nos acolheu com muita hospitalidade. Como não tínhamos a menor noção da distancia para a próxima cidade resolvemos adiantar nosso almoço e a senhora muito simpática preparou a nossa refeição. Muitos peregrinos e aventureiros fazem daí ponto de apoio onde é possível inclusive pernoitar. Alimentados e satisfeitos, nosso companheiro REI escreveu no livro de visitas disponível no local.
Lá fora ventava muito e fazia muito frio, então vestimos todo o agasalho possível para partirmos em uma das mais belas descidas na nossa EXPEDIÇÃO. Apesar do verão, ali em cima ainda havia neve. Pedalar ao lado da neve foi espetacular!!! A cada “passo” (topo da montanha) colocávamos o adesivo do MURAL. Neste ponto, em especial, o passo de Verva, muitas batalhas foram travadas e um pequeno monumento homenageava os mortos.
Continuamos a descer, e acostumados com a bagagem soltamos mais os freios!!! Brocação total... passagens entre pedras, sobre a neve, cascalho, a variação era incrível. Aproveitamos ao máximo a longa descida. Lá embaixo já na saída do grande vale uma pequena vila funcionava como uma colônia de férias com muitas crianças brincando de short e camiseta no frio como se estivessem na praia.
Ainda havia muito para descer, muito mesmo. E ao aparecem as primeiras casas de campo começou a chover. Nossa primeira e única chuva da expedição. Paramos para proteger a bagagem e recolocar os corta ventos e casacos. Continuamos debaixo de chuva, afinal pedalar assim é uma delícia. Para melhorar ainda mais, a estrada era igual aquele zig-zag que não descemos no início do dia, ou seja, ficamos realizados.
Já escurecia por volta da 21 horas quando chegamos à cidade de GROSIO, onde tivemos inicialmente dificuldade de nos acomodarmos, e terminamos hospedados no que parecia ser o melhor hotel da cidade após um desconto para cicloturistas oferecido. Com tudo resolvido, saboreamos um belo jantar incluso na diária acompanhado de vinho e “BIRRAS” (cerveja).
Agradeço ao MURAL DE AVENTURAS, por tanta dedicação, aos amigos EXPEDICIONÁRIOS e a todos que de alguma forma nos apoiaram em uma jornada tão difícil. No final ficam a saudade e a lembrança, todas elas boas, pois em nenhum momento houve negligência alguma por parte de qualquer um de nós, onde em todos os momentos em que um precisava de apoio, os outros estavam ali, todos ajudando a todos!
VALEU MURAL, esta resenha foi exatamente no quinto dia e já passávamos da metade da nossa jornada. Eu continuava a sentir minha panturrilha, acidentada no terceiro dia, mas enfim, CONSEGUI! Abraços a todos, SERJÃO.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR



















































































6 comentários:

Ramster disse...

Show, a resenha e as fotos.
A cada resenha percebemos a emoção que vocês viveram!

Vinícius Calheira disse...

Parabéns Serjão bela resenha, isso é o Mural... Aventura pura!!

Vinícius Calheira disse...

Parabéns Serjão pela resenha, isso é o Mural... Aventura pura!!

Rei disse...

Foi mais um dia incrível...
Cada paisagem uma novidade. Era pedalando e apreciando tudo em volta. Os Alpes marcaram nossas vidas. Essas postagens no site nos faz continuar viajando... Enquanto a próxima expedição não chega vamos fazendo as trilhas menores. BMMP!!!

Ed Bala disse...

Mural que estrada é aquela que cortar a montanha Show!Parabéns a vcs! Sonho de viagem.

Zé.Bezerra disse...

Quando eu crescer, quero fazer assim também... Grandes aventuras, grandes desafios, grandes emoções. Parabéns Mural de Aventuras por significar o Sonho Real. Adoro isto...Bora Mural. "Vida Longa ao Mural de Aventuras". Serjão o detalhe das anotações em manuscrito ficou muito legal!Parabens aos Fotografistas pelas pelas pinturas. Valeu Expedicionários! BMMP!