Ciclo Aventura Jaguaripe

1º Dia – 21/09/2013

O selim maldito!!!
Na semana que antecedeu a Ciclo Aventura, muitos arregões inventaram mil desculpas para não ir. Não vou citar nomes porque senão vão querer me matar em uma das próximas trilhas...
Quando chegou o tão esperado dia, acordei às 4 da manhã, mandei mensagem para Herrera, com quem eu tinha combinado carona, e nada dele responder.  O jeito foi tomar um  café rápido e ligar para o Rato. Assim que liguei, ele falou: desce porr@@@ porque já estamos aqui perto do seu prédio. Peguei a bike, desci a ladeira em ritmo brocação e me encontrei com Rato, Apolinário, Mateus, Barbudo 2 e Adriano. Seguimos para o ferry.
Chegando lá, compramos as passagens e o pessoal foi chegando, inclusive Herrera. Partimos rumo à Ilha. O sol estava bem forte e Elson ia começar a falar como seria o roteiro, quando saiu do banheiro um mendigo querendo abraçar todo mundo. Elson só falou partiu e fomos todos em um ritmo de 35km/h até que, depois de uns 20 km, o pneu de Malandra furou. Isso foi ótimo para mim, porque meu selim novo estava me causando desconforto. 
O jeito era aguentar mesmo e na espera do concerto do pneu, apareceu um gaiato na estrada que colocou a cabeça para fora do carro nos xingou. Pagou a boca quando o óculos voou da cabeça e  caiu no asfalto. Peu barbudo pegou e deu para Mandrake. Não é que o cara teve a cara de pau de voltar perguntar do óculos e lógico que dissemos que não vimos nada cair, mas o cara praticamente se humilhou falando “ô brother. na moral devolva ai...” Mandrake ficou com pena e devolveu o óculos dele.
Partiu... em ritmo 35km/h até a Ponte do Funil e quando chegamos eu estava acabado mas não das pernas... tiramos foto, recarregamos as energias pois só faltavam  55km (de subidas longas). Partiuuu e já começavam a formar os grupos e no grupo dos fundos estava sempre eu, Adriano, Bezerra e Rato. Ressalto que eu estava ali só por causa do selim e para ajudar Adriano (que estava acabado) e Rato, com sua respiração jiu jitsu bem ofegante. Ele mesmo confundiu a própria respiração com o pneu esvaziando.
Seguimos para Nazaré das Farinhas para almoçar churrasco e fazer o sorteio dos grupos dos quartos e eu só pedia ao meu Santo para não cair no quarto do Rato e, Glória a Deus! Que ótimo que não fiquei!
Veja no vídeo abaixo a cena do ronco da criança que ainda dorme de pijama “tomara que caia”.
Neste ponto, faltavam 30 km para chegar em Jaguaripe  e seguimos por uma estrada bem bonita. Uelton, que saiu às 9:00 da manhã de Salvador, conseguiu alcançar eu e Adriano, que estávamos por último.
Chegamos enfim na entrada de Jaguaripe e avistamos uma placa que informava que faltavam 14 km e fiquei muito feliz, porque estava sentindo muita dor! Descansamos um pouco e seguimos num ritmo bem devagar para ajudar Adriano, que estava acabado e só andava no meu vácuo e eu com aquela dor que não passava. Os 14 km restantes pareciam uma eternidade.  Era só subida que não acabava nuncaaa... parei umas 10 vezes durante o percurso, até que em uma ladeira longa, Adriano me passou e me esperou lá na frente na crocodilagem, para tirar uma foto minha descansando. Como  não sou besta, montei na bike antes que ele pudesse registrar minha fraqueza e fui me encontrar com todos, que me perguntaram o que tinha acontecido. Respondi que estava esperando Adriano.
Chegamos, tiramos fotos na Igreja e agradecemos por ter dado tudo certo.  Chegamos na Pousada, que era na beira do rio, onde serviram almoço com direito a hambúrguer, carne de sol e batata frita. De bebida, serviram cerveja e coca zero. O pessoal bebeu até acabar a cerveja e encher o “camelback” de Rato, que começou a falar no seu inconfundível inglês.
 À noite jantamos, alguns pediram lasanha e outros moqueca. Depois da janta ainda tivemos forças para tirar fotos de todos dormindo e fazer videos dos roncos bizarros do Rato.
Também arrumamos as bikes, uma delas era a minha porque Mateus estava também com dores, então trocamos o selim.
Feito isso, fomos para o quarto e eu tomei 3 torsilax para no outro dia brocar um monte de papuco inclusive Adriano, Matheus e Rato!!!
Acordei no dia seguinte sem dores e brocando um monte de papuco mas vamos ver o que Adriano vai falar... Rodrigo Pesquero.

2º Dia – 22/09/2013

Gostaria de começar esta resenha dizendo três coisas:
1. Vou rasgar ceda para o Mural de Aventuras, foi tudo perfeito.
2. Eu não conto mentira... posso aumentar, mas mentir nunca.
3. Existem dois tipos de trilha: Com Pesquero e sem Pesquero... nem preciso dizer qual a melhor.
Mas vamos ao que interessa, eu Adriano Ferreira, fui incumbido de relatar como foi o segundo dia da Ciclo Aventura e de esclarecer algumas prováveis inverdades que podem estar escritas na resenha do primeiro dia.
Como de costume, acordei bem cedo, e despertei os meus parceiros de quarto (Bezerra, Pedro e Pesquero), este último já acorda repetindo a façanha que fez antes de dormir... tomou um GU, e nosso quarto, por sinal o quarto mais organizado e cheiroso de todos os outros do grupo... Ao sair encontro logo de cara Mandrake, Rato e Wellinght, este último reclamando que ficou sem ter onde dormir, pois no quarto dele tinha um sonâmbulo de UFC lutador que estava ameaçando todos a noite toda... e nem as orações de Ed conseguiu tirar o capeta daquele corpo. Todos felizes com café da manhã tomado e aquela velha confusão para pagar a conta na recepção, e descermos para o píer, para pegar a escuna e nos levar a Ponta dos Garcez, mas... enquanto a confusa rolava na recepção da pousada, uma alma desgarrada resolveu colocar duas pedras na mochila de Herrera... segundo BM (Boca do Mundo) ele suspeita de um desses três lobos em pele de cordeiro, segue os suspeitos: Bezerra, Plech ou Kichute, não se engane com eles.
Todos embarcados, foi quando Herrera resolveu jogar fora a escova de dentes, desodorante, sabonete, meias... tudo para aliviar o peso... quando ele se depara com as pedras... curtição total de todos... e teve gente dizendo que ele treina no CTM com saco de cimento na mochila para melhorar o condicionamento.
Desembarque realizado com exceção de Bezerra que ficou pendurado na escuna pela mochila, ficamos todos na área, preparados para pedalar... mas as bikes afundavam na área fofa... mas sem problemas esvazia um pouco o pneu e vamos nessa... mas Pesquero não satisfeito desceu o paredão brocando e deu uma rabiada na frente de Popó... pronto, a confusão entre os dois estava formada, foram 14km pedalando na areia, hora fofa, hora dura... mas com um visual lindo um ar puro e todo o grupo unido conversando e brincando. Mas em uma dessas conversas entre Pedro e Elson, saiu a ideia de parar e beber alguns cocos... que delícia, que água doce e foi um dos locais que teve mais confraternização entre os muralistas. Mas vamos em frente... chegamos em um barzinho a beira da praia e final de pedal na areia, e vamos fazer uma breve pausa para tomar umas cervas e beliscar alguns petiscos... mas parece que Herrera não aprendeu a lição de não deixar a mochila de bobeira... foi quando colocaram dois cocos dentro dela... quando ele percebeu, pense em um sirí na lata!!! O cara se virou pelo avesso, disse que iria furar pneu de gente e que ia ter volta e que sei lá mais... Mas para não perder o companheirismo, Mateus deu uma faca para ele realizar a furança dos pneus dos infelizes que insistiam em brincar com ele... risos geral inclusive dele. Mas segunda BM (Boca do Mundo) ele continuava suspeitando daqueles lobos em pele de cordeiro: Bezerra, Plech ou Kichute, eu realmente já estou de pé atrás com eles...
Partiu.... agora estradão, acho que foram oito quilômetros até chegar a um vilarejo e depois asfalto, e Sr. Wellinghton só falava que estava na hora de separar os meninos dos adultos... Foi tudo tranquilo, o pessoal pedalando junto uns incentivando os outros, mas no meu caso a história era deferente, já chegando em Nazaré, meu corpo começou a cobrar o esforço que fiz no dia anterior, que fiquei no lado de Pesquero durante 14km, incentivando, chingando,  conversando, apoiando e nas subidas EMPURRANDO aquele filho de Deus, que só fazia reclamar que as nádegas estavam doendo muiiiito. Após a parada para almoço em Nazaré, saímos em direção a Bom Despacho, todos em alta brocando, pelotão digno de uma competição de tour, revezamento na frente... tudo perfeito, mas Pesquero começou a ficar para trás, eu como um bom companheiro, falei para Rato, vamos esperar Pesca um pouco, dito e feito, mas aquele poço de humildade quando viu que a gente diminuiu... acelerou passou pela gente, deu tchau e o dedo do meio... valeu Adriano, por ter ajudado aquela alma perdida no dia anterior. Quando agrupamos no pelotão novamente, e eu forcei mais um pouco, o corpo novamente não aguentou, senti uma forte visgada na perna esquerda e fui obrigado a parar por 5 minutos, mas o grupo todo foi solidário e prestativo, vamos partir que nos ajudamos... dito e feito, fui sem forçar, nas retas e descidas eu conseguia me manter no pelotão, e nas subidas Malandra, Ary e principalmente Pedro me ajudavam empurrando (valeu galera), quando menos a gente espera, Pesquero quase um defunto de pé, larga mais uma: Pessoal, vamos diminuir o ritmo porque Adriano esta acabadoooo, não presta mais para nada... kkkkkkk, ao menos ele estava bem melhor que o dia anterior, mas depois realizamos mais duas paradas rápidas  e como sempre o pelotão unido até entrar no ferry.
No ferry todos confraternizavam e comentavam o quanto foi bom, a união que foi, as brincadeiras, as paisagens as alegrias que o Mural de Aventuras nos proporcionou e Pesquero não deixou por menos largou a seguinte pérola: Poxa veio, vocês sabiam que aquela praia que passamos pertence ao “FUNKEIRO DANIEL DANTAS”.... pronto, começam as brincadeiras tudo de novo...
Pessoal, esta foi a minha primeira Ciclo Aventura de quase 200km, não sou parâmetro para muita gente, mas foi a maior aventura que eu já fiz de bike, uma união do grupo que nem sei como descrever, tudo organizado, tudo perfeito, a pousada que ficamos muito boa, com piscina e uma excelente comida, eu só tenho a agradecer por ter participado desta aventura e especialmente com esta galera: André Mandrake, Ary, Ed, Giulyano PPP, Herrera, Bezerra, Malandra, Rato, Mateus, Kichute, Pedro, Popó, Pesquero, Wellinghton, Plech e Elson, obrigado pela diversão, e a cada um de vocês um forte abraço. BORA MURAL! Adriano Ferreira.
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR


























































































































































































































9 comentários:

Ricardo Popó disse...

As resenhas ficaram fantasticas, de todas as trilhas que já realizei com o Mural esta foi sem duvida uma das mais divertidas. E pesca fez a diferença. Parabéns a todos que participaram desta aventurae quem não foi, EMA, EMA ,EMA.

Ed Bala disse...

Foi fantástico e muito mais muito divertida...Dei muitas risasdas com as resenhas me remeteu aquele dia que não sairá da memória. Tudo bem organizado e planejado por Elson, novas pessoas que tive a oportunidade de conhecer e conviver como Plech, Ary e Bruce lee sonâmbulo do kichute alem de um visual maravilhoso e muita brocação nessa Aventura.Ja deixou saudades.

Guido Cortez disse...

Trip iraaada, uma pena eu não ter ido!!! Ok Pesca o seu esta guardado!!!kkkkk!!!
Bora Murall!!!!!!

Giulyano disse...

Sensacional, ri muito com as resenhas, relembrei as pérolas que rolaram durante todo o percurso (claro q impossível descrever todas). Foi massa mesmo, 200 km de aventura com muito sofrimento físico, gargalhadas, pertubação, solidariedade, espírito de grupo, muito legal. Claro que a organização deixou tudo mais fácil. As imagens registradas estão fantásticas, da uma idéia do que foi, mas só quem viveu pra saber. Parabéns a todos os participantes que contribuíram para o sucesso de mais essa aventura. BMMP!!!!

Elson disse...

Adriano e Pesca, parabéns pelas resenhas, não poderiam ficar melhores.

Gente, até o estudo da tábua da maré foi realizado, tudo nos detalhes que nada desse errado.

Quem quer Jaguaripe 2?! Infelizmente agora só em 2014...

Vem aí a aventura mais "PUNK" do Mural: Desafio da Serra da Jiboia 8 - All Inclusive!!!

BORA MURAL!!!

Ramster disse...

Adriano parabéns pela resenha, Pesca parabéns pela fábula, Elson parabéns pela organização desta cicloaventura.
Realmente, desta vez, a galera se superou e fizemos uma aventura top.
Esperamos que ano que vem tenha mais.

Show de aventura, show de MURAL DE AVENTURAS!!!

Lucas Malandra disse...

As resenhas estão ótimas!! Mto divertido! O vídeo ficou muito bom Elson!! Trilha sonora impecável como sempre! Bora Mural!!!!!!!!!

Rodrigo Pesquero disse...

Esta ciclo aventura foi tudo top demais começando pelos muralistas ate que agradáveis e o cronograma de elson estava impecável!
A resenha esta descrito como tudo aconteceu rato e adriano!
Quando nos retornamos para jaguaripe ? Poderia aumentar para 250km!

Plech disse...

Galera vendo as imagens dá vontade de voltar lá e fazer tudo de novo. Muito bom esta trilha, a praia nativa fantástica. Parabéns a todos pala companhia, grupo nota 10! Parabéns a Elson pela organização e parabéns a Pesqueiro e Adriano pelas resenhas ficaram ótimas (ri muito, fantásticas).