2° Dia - Desafio da Serra da Jiboia 10 - Ainda Falta a Volta

24 de Agosto, 6:30 da manhã, eis que o alarme Elson toca: “LEVANTA QUE O DESAFIO AINDA NÃO ESTÁ COMPLETO”. Após um bom descanso na Pousada Estalagem Serra da Jibóia todos acordaram e se prepararam para mais um dia de desafio, todos de bikes “limpas” e barriga cheia partiu. O pedal começou com pelo menos uns 30 minutos de subida pelo asfalto até o ponto de entrada para trilha, um belo esquente para todos, cada um no seu tempo.  Em seguida entramos num estradão e entre subidas e descidas chegamos no povoado de Pedra Branca onde paramos para tomar refrigerantes. No mesmo local se reuniam vários ciclistas de Castro Alves que reconheceram nosso grupo e começaram a falar sobre algumas trilhas da região. Tiramos algumas fotos em conjunto e partimos em direção as antenas. Continuamos nossa subida e de repente a corrente de Carla Guimarães quebrou e o joelho de Sabrina começou a doer, na verdade o power link tinha soltado e Sabrina colocou silver tape para segurar o joelho, nunca na vida tinha visto nenhum dos dois casos mas tudo bem. Rei, Welligton e Cerqueira nos aguardavam mais a frente na cachoeira do Malandra, onde paramos para nos refrescar com aquela água gelada. Mais alguns minutos de subida e chegamos nas antenas, um visual maravilhoso, só indo entender o que estou falando. Pela primeira vez no Mural uma mulher subiu até as antenas da Serra da Jibóia, melhor, três guerreiras.
Aproveitamos o momento para contemplar a paisagem, tirar fotos e descansar um pouco. Como dizia Isaac Newton: “tudo que sobe, desce”, começamos a descida por um single track, depois por uma mata fechada com muita lama e tivemos que empurrar. Superada a mata, vesti a capa do super Mural e protagonizei o vôo da Jibóia, numa descida alucinante com muitas valas, tentando segurar o freio atrás de Guga  não consegui desviar de uma vala profunda e tomei um capote cinematográfico, tudo registrado pelo selfie man (Cerqueira) que vinha atrás, nenhum osso quebrado, partiu. Seguimos em direção a casa da farofa onde almoçamos e descansamos. Quando a maresia começou a bater levantamos e continuamos a trilha. Em uma subida no meio de um pasto cheio de bois parei para ver uma jibóia (eu acho), não era de 3 m, mas uns 10 cm...rsrs, Malandra vinha logo atrás, os 8 jiboieiros que estavam na frente correram para passar a cancela pois os bois vieram atrás, quando eu e Malandra chegamos perto da cancela os bois estavam entre nós e o restante do grupo e entre as cercas laterais, os bois ficaram rodando entre nós e a cancela, momento tenso, eu e Malandra encostamos na cerca e ficamos agachados atrás das bikes esperando os bois passarem para nos juntar com a galera. Na seqüência subimos a ladeira dos dez, que por sinal pode ser rebatizada, pois brocamos ela em menos de 10 minutos. No topo Elson parou e perguntou se estávamos cansados, uns diziam que sim, outros que estavam bem, mas o foco ficou em Cerqueira que começou dizendo que estava bem, depois mais ou menos, e finalmente cansou...kkkkkk continuamos o e quem pensou que já tinha acabado estava enganado pois ainda viria a ladeira do arromba batata. Poucos tentaram subir pedalando sem sucesso, eu fui um deles, pensei em parar em um momento mas a medida que ia passando cada jiboieiro ia ouvindo incentivos que não me deixava parar, infelizmente não consegui zerar pois o ar acabou e continuei a subida empurrando. No topo da ladeira paramos e olhamos para trás e vimos as antenas de onde viemos. Finalmente concluímos, todos largaram suas bikes e se abraçaram, minha Carla chorou de emoção ao abraçar sua xará e Sabrina, pois elas tinham conseguido. Levei um troféu e entreguei para as meninas, pois elas foram guerreiras. Vale ressaltar que 60 % do grupo foi composto de novatos e ao final foram elogiados e reconhecidos pelos veteranos pelo estado que concluíram o desafio, nós chegamos bem!!! O churrasqueiro foi tomar banho enquanto o restante atacava a comida e ria com as presepadas de Cerqueira. De repente Elson apereceu com uma caixa de som e rolou um harlem shake demonstrando a felicidade que estávamos. Todos bem alimentados e limpos partimos para casa. Durante a volta, a jibóia entrou em Welligton, após uma cervejinha e outras bebidinhas ele chamou raul na estrada rsrsrs Não venham que a jibóia pega e entra! Rsrs Obrigado a família Mural pela emoção dos desafios!!! BMMP. Lucas Rocha.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR



































































3 comentários:

Guga Freitas disse...

Foi Muito Bom!

Antonio Cerqueira disse...

Show de bike ! O Mural tem aventuras TOP...mas essa é Ultra TOP ! O 2º dia já não tem aquela alta expectativa do 1º dia, então o proveito e brocação foram até maiores além da bela contemplação no alto da Serra da Jibóia ! Bela resenha Lucas !! Bora Mural !!

Plech disse...

Valeu galera!