Trilha da Tiririca - O Buraco de Esparro, Ataque das Abelhas e o Ofurô do Mural

Fui escolhida pra fazer esta resenha e pensei que seria um pouco difícil ter assunto pra comentar, mas logo no início da trilha percebi que eu estava errada e a resenha já começava nos primeiros kms, quando Kadjon iniciou seguindo o rastro do perfume especial de UM Muralista, rsrsrs. E lá fomos nós rumo a trilha da Tiririca. Poucos metros e Kadjon já devia uma coca-cola por parar pra encher o pneu. De começo tudo indo como esperado, estradão, subida e descida, poeira e eu lá no fundão tentado acompanhar (preciso treinar mais, pq foi assim a trilha toda, hehehe). 
Não demorou e chegamos no momento mais esperado por todos os Muralistas pelo que percebi, o "desafio de subir e descer um morro", sempre com muitas valas e cascalho. Seguimos e logo nos deparamos com um mangue que eu estava considerando "tranquilo" até que me informaram que normalmente tinha lama até o meio da coxa e eu fiquei feliz por não ser o caso no dia. E só pra provar que eu realmente estava equivocada logo ouvi a galera rindo alto e quando olhei pra trás vi Carlinha Dias toda afundada num buraco meio escondido pelas folhas, a resgatamos e logo depois mais um Muralista foi agraciado com um banho de lama.

Novo Muralista: Murilo Ribeiro Neto

Bem-vindo ao novo Muralista: Murilo Ribeiro Neto. 
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha Cachoeira do Urubu 11

Em vários momentos estive como expectador das aventuras do Mural que ocorriam aqui na cidade Amélia Rodrigues com destino à Cachoeira do Urubu. Uma galera massa, com suas bikes espetaculares. Ajudava Mauricio (Morango), meu irmão, com os preparativos para a tão esperada feijoada da chegada, além de sempre tirar a foto da largada. Na edição anterior comentei com Elson que na próxima iria como participante desbravador desta trilha. Incentivado pelo meu irmão, comprei uma bike e iniciei os pedais acompanhado sempre do amigo Edson (Toca), diga-se de passagem, excelente biker. No dia 17 de janeiro de 2015, aconteceu a tão esperada trilha para a Cachoeira do Urubu a qual participei pela primeira vez com a turma boa do Mural. Quase não dormir com tamanha ansiedade. Às 06h30min chegaram Elson, Mauricio Parente e Marcelo que se juntaram a mim e a Morango. Logo depois chegou Toca, também ansioso para participar. Esperava que tivesse um número maior de Muralistas, mas saímos os seis para essa aventura. Apenas Elson e Mauricio (Morango) já conheciam a trilha. Eu não sabia o que me esperava pela frente. Logo de cara uma ladeirinha com destino ao distrito de São Bento do Inhatá localizado a 6 km da sede (Amélia Rodrigues). Pegamos o asfalto até chegarmos à estrada que liga São Bento a outro distrito, Mata de Aliança. Descemos um estradão cercado por belíssimos canaviais e logo chegamos à sede da Usina açucareira. Lá, paramos para tomar uma coca bem gelado paga pro Marcelo devido ao atraso para a saída de Salvador. Resenhamos um pouco, falamos das experiências e de como seria difícil eu conseguir completar a trilha, com os meus 05 meses de pedal e só de finais de semana, diga-se de passagem. Um ponto a nosso favor foi que a trilha estava em boas condições, Elson sempre frisava.

Trilha do Morcego e Confraternização

Bem, é com bastante alegria que escrevo essa resenha... Pois participar pela primeira vez de uma trilha do Mural e, ainda por cima, ser a trilha seguida da confraternização 2014/2015, é um grande privilegio para um ciclista paraibano recém-chegado em Salvador. O sábado começou com a compra do presente para o amigo secreto, que seria o elemento surpresa na confraternização do Mural. Logo no inicio da tarde, segui para Praia do Forte,onde seria o ponto de encontro da emocionante Trilha do Morcego, em Sapiranga-BA.Antes de partir, recebi do Elson minha camisa de Muralista, pois afinal era minha primeira oficialmente. Após a chegada da galera, partimos com bastante empolgação, até que passados uns 30 minutos de trilha, o pneu de minha bike furou, ou seja, “fiquei devendo a coca-cola”.Prontamente, recebi ajuda dos Muralistas Lucas e Cerqueira na troca da câmara de ar, sem perder tempo seguimos a trilha passando por mata, estrada, subidas e descidas as quais não conhecia, quando de repente chegamos a um lago onde paramos e nos reunimos à margem. Neste momento, Elson iniciou falando sobre o ano de 2014, relembrando com bastante alegria alguns eventos como A volta dos 3 faróis e outros. Logo em seguida, abriu o espaço para cada Muralista falar qual trilha ou evento acontecido em 2014 considerou mais relevante. Todos falaram, inclusive eu, que fui enfático ao dizer que aquela era a melhor trilha do mural que participei. Kkkkk “era a minha primeira trilha”, Mas de todos os comentários, o que mais me chamou atenção foi o do Fernando Tadeu, que falou da experiência em participar junto com o mural, no Brasil Ride 2014, onde pode unir a paixão por pedalar e estar com sua família, e ressaltou a importância do Mural como grupo no emocionante evento.

Novo Muralista: Ciro Guimarães Sousa

Bem-vindo ao novo Muralista: Ciro Guimarães Sousa. 
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha Emboracica

Como sou iniciante de MTB e comecei a pedalar a 6 mêses, procurei o Mural de Aventuras por indicação de um amigo para iniciar o treinamento no Centro de Treinamento do Mural (CTM) na paralela em 2014.  A vontade de ser membro e participar das trilhas como membro do Mural já começou desde o 1º CTM. Fui participando dos CTM’s, participei do Desafio dos 3 Faróis e consegui os critérios para ser um Muralista. A vontade de fazer parte desta família levou-me a ficar na expectativa do calendário de 2015 e quando saiu, a 1ª trilha escolhida foi a de Emboracica, nível 4 de aproximadamente 60km. Eu, que já tinha participado dos 3 faróis, imaginei que seria tranquilo, infelizmente, como diz o povo, sabe de nada inocente!!! Na véspera, a ansiedade aumentou com os preparativos, imaginando como enfrentaria minha 1ª  trilha  e como  me sairia como Muralista. Iniciamos nosso encontro no posto de gasolina as 6:30h em Arembepe. Já no começo a resenha foi grande discutindo quem iria comer poeira e eu, prontamente, como novato inexperiente, levantei o braço e disse: “com certeza serei eu “, e então, começou a resenha com Josué que era o mais velho do grupo sugerindo que seria ele, e eu disse: “Olha que não. Tem coroa que engana, rs”.  Saímos então para a trilha.

2º Dia Ciclo Aventura Costa do Dendê - O "Caramural" e o engodo das férias do Mural

A expressão “marinheiros de primeira viagem” tem origem na época dos Grandes Descobrimentos. Usava-se a expressão para identificar os marinheiros que ainda não tinham aprendido o nome de todas as direções da rosa-dos-ventos da bússola, aprendizado fundamental para uma expedição ultramarina. E o que o segundo dia na ilha deixou claro foi quem eram os Muralistas de primeira Ciclo Aventura.  Isso porque acordamos (Eu, João Ramos, Bezerider)   e fomos logo nos arrumando para pedalar.
Uniforme do mural, luvas, sapatilha, capacete. Para tudo!  Estamos numa ilha.   E depois de muita gozação percebemos que nem só de ‘brocança no pedal’ vive o Mural. Um verdadeira papucagem sem pedalar.  A manhã de domingo na Ilha estava reservada para o passeio de barco em mar aberto. E muita resenha!
O mar agitado quase coloca em risco o café da manha.  Odi que o diga, que segurou calado o máximo que pode até o barco parar.  Enquanto Kadjon se revezava entre as resenhas e a imitação de Leonardo Di Caprio no Titanic, Elsão distribuía cerveja aos tripulantes.  E “se este barco não virar, olê olê olá, nos chegamos lá!!!”. E chegamos.  Depois do indescritível nascer da lua de sábado, as piscinas naturais de Moreré e sua esplendorosa beleza deu o toque de férias que faltava à Ciclo Aventura.

Novo Muralista: Alexandre Faria

Bem-vindo ao novo Muralista: Alexandre Faria. 
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha Lagoas do Litoral Norte da Bahia

Toda vez que antecede alguma trilha do Mural, pinta uma ansiedade e expectativa, pois sempre haverá pela frente um desafio, uma surpresa.
Dessa vez deixei pra arrumar tudo em cima da hora, mesmo sabendo que íamos partir na sexta-feira final de tarde para dormirmos em Palame. Tudo pronto, passei para pegar Bezeride e partimos. Logo lembramos que esquecemos alguns itens importantes para o pedal, e demos uma passada rápida na Atlântico Bike para umas pequenas compras: eu uma caramanhola e Bezerra as luvas que terminou não comprando, preferiu improvisar fazendo umas com o par meias furadas e fedendo a chulé, e ainda por cima calçando as sapatilhas sem meias. Não teve jeito Bezerra, tive que entregar...kkk.
Seguimos viagem depois de comprarmos alguns itens do kit sobrevivência (água, frutas, barra de cereal, etc.) e café da manhã (pão, queijo, presunto, café, etc.), já que lá não teríamos nenhum ponto de apoio, exceto a dormida e o almoço depois da trilha. Paramos para comer alguma coisa em Guarajuba no posto Paraíso e se juntar aos demais Muralistas: Elson e Peu, e Nino que já estava esperando desde cedo lá.
Na chegada de Palame, logo de cara encontramos nosso amigo expedicionário Transandino Nino, vulgo Thor, bem animado e bastante enturmado na companhia de nativos ao som de um envolvente arrocha...kkk. Chegamos na casa e fomos logo arrumado tudo pra dormir e nos preparar para mais um desafio inédito que nos esperava. A noite de sono foi boa e o descanso providencial. Logo cedo Bezeride, o cozinheiro oficial, já estava com o café pronto. Foi então que me empolguei demais e cometi o mesmo erro da trilha de Sátiro Dias, enchendo demais a barriga com o café "batizado" de Bezerra.

Expedição TransMantiqueira - São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro

Veja abaixo todas informações, fotos e vídeos sobre a Expedição TransMantiqueira realizada em julho de 2014.

Foram quase 500km percorridos em 3 estados do Brasil (São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro) com mais de 10.000 metros de altimetria.

Participantes: Elson Siquara (Elsão), João Carlos Reis Ramos (João Rider), João Torreão Herrera (Herrera), José Bezerra Sobrinho (Bizerider), Luiz Carlos de Assis Jr. (Luiz), Reinaldo Ferraz Campos Cezimbra (Rei), Renato Mariano de Sá (GDI), Rogério da Silva Fernandes (Rogério) e Sérgio Teixeira Luz (Serjão).

Período: De 19/07/2014 a 26/07/2014.

Dia
Data
Trajeto
Distância
Altimetria
Saiba Mais
19/7
São José dos Campos (SP) / São Francisco Xavier (SP)
54
1182
20/7
São Francisco Xavier (SP) / Monte Verde (MG)
74
2254
21/7
Monte Verde (MG) / Sapucaí Mirim (MG)
53
1013
22/7
Sapucaí Mirim (MG) / Campos do Jordão (SP) / Trilha Pico do Itupeva / Campos do Jordão (SP)
56
1683
23/7
Campos do Jordão (SP) / Peões (SP)
62
1566
24/7
Peões (SP) / Guaratinguetá (SP) / Aparecida (SP) / Cunha (SP)
87
1185
25/7
Cunha (SP) / Paraty (RJ)
58
1261
26/7
Paraty (RJ) / Trilha das Cachoeiras / Paraty (RJ)
27
362

1º Dia Ciclo Aventura Costa do Dendê

É chegada a hora da mais esperada Ciclo Aventura das muitas já acontecidas durante esse ano. Aqui é onde o prazer de pedalar é levado ao seu mais alto grau, nível 1000! 
Saímos de Salvador para Valença no dia 8 de novembro eu, Zé Bezerra (Bezeraider) e João Rider, onde ficaríamos na pousada para encontro com os demais participantes desta Ciclo Aventura. Como chegamos cedo, passamos na oficina do "boca mole" para reparar a suspensão do carro. Então faltava-nos o endereço da pousada, apesar da demora e do protesto de Rei por nossa extensa antecipação. Assim que obtivemos o endereço fomos para a pousada, que se diga com ótimas instalações. Mais tarde a pedido de Elson fomos jantar e providenciar umas deliciosas pizzas para os companheiros que demoravam de chegar e não iriam achar o que comer pois chegaram lá pelas 1:00 da madrugada. Serviu nossa chegada antecipada! Certamente não fugimos ao desfrute de petiços e moquecas em um restaurante muito famoso de Valença, certamente acompanhada com aquela que seria nossa companhia durante a aventura, a Skol, gelada!

Normas e Diretrizes da Ciclo Aventura na Costa do Dendê (Tinharé)

  1. Durante o pedal de todos os dias da aventura e em todos lugares, os participantes devem usar o uniforme completo (camisa e bermuda/calça) de ciclismo do Mural de Aventuras.
  2. Cumprir os horários marcados pontualmente.
  3. Estar atento as orientações do Coordenador.
  4. Deixar que as negociações em lugares como pousadas, restaurantes, entradas de lugares turísticos sejam feitas pelo coordenador do grupo, bem como as conversas com pessoas do local para busca de informações.
  5. Levar dinheiro em espécie suficiente para todos os dias e de preferência trocado para facilitar os pagamentos. Estimamos mínimo de R$120,00 por dia por participante.
  6. Estar preparado fisicamente de acordo com o nível de dificuldade divulgado.
  7. Seguir as orientações do check-list (a ser divulgado posteriormente) com atenção e no mínimo levar todos os itens imprescindíveis.
  8. Quando da impossibilidade de continuidade de algum dos participantes, o grupo deixará o mesmo em local seguro, em condições de retornar e dará continuidade a aventura com os outros participantes.
  9. O Mural de Aventuras, não é empresa, não tem fins lucrativos, é um grupo de adesão que promove a integração de pessoas que gostam de pedalar e de aventura. Portanto, todos são responsáveis individuais por sua participação e pelas ocorrências enfrentadas durante as trilhas, aventuras, viagens, etc. A segurança e o sucesso da aventura é de responsabilidade de cada participante individualmente, sem esquecer que como sempre fazemos as aventuras com espírito de camaradagem, amizade e companheirismo.

Trilha na Ilha de Itaparica

Amor por Itaparica é amor que fica! 
Vendo bicicleta importada Mongoose Status 3.0 leve, leve para você preço negociável... 
Logo cedo fui levado de carro para garantir o embarque com o grupo, com direito a grito no caminho de “Bora Mural!!!” para alguns Muralistas que já tinham começado a pedalar em direção ao ferry, mingau para dar uma reforçada, tira roda, passa catraca, bota roda, que bobagem, bike paga, bagagem não, transformers neles! Embarcamos e até chegar foi aquele velô sabe, do ferry mais antigo um bom momento para um bate papo.
Chegando na Ilha pausa para necessidades dos que balançam e das que enxugam kk essa foi engraçada. Partiu e logo eu estava conhecendo uma Itaparica que nunca tinha visto antes, trilha, muita trilha, na mata atlântica com direito a paradas estratégicas para descanso e hidratação... Nas trilhas tinha de tudo, subidas, descidas, valas, buracos, mato, muito mato e até mangue, aquele do pônei maldito que eu não sei como já passaram pedalando por lá acho que a maré estava baixa, então era lama a vontade, galhos por todo o trajeto, inclusive foi em um desses que eu consegui quebrar o câmbio traseiro mas logo fui presenteado com a união do grupo que resolveu o defeito fazendo a boa e velha ligação direta.
A partir daí ficou ainda mais puxado pra mim e mais uma vez fui ajudado pelo grupo, na hora da fraqueza até minha garrafa de água tinha voado no caminho e no matagal não tinha mercadinho eu tinha subestimado o tempo de trilha, não tinha nem barra de cereal já estava para abrir um coco seco que tinha comprado no caminho, quando mais uma vez os Muralistas salvaram, com água isotônico e alguns cereais, lanche da hora.
Parada para um banho sensacional no bambuzal uma bela queda d'agua que proporcionou um banho bem animado, há rolou um pequeno perdidão também após uma subida leve a ciclista que estava me ajudando disse que não era por ali descemos de volta e logo estávamos no rumo certo, ao sair da trilha optei por não ir a igreja que tem a árvore, estava lento sem as marchas e não queria atrasar o grupo dos brocadores que logo nos alcançou, mesmo com o auxilio do reboque solidário na hora de acelerar.

Normas de Diretrizes: Ciclo Aventura Chapada Diamantina (Rio de Contas)

  1. Durante o pedal de todos os dias da aventura e em todos lugares, os participantes devem usar o uniforme completo (camisa e bermuda/calça) de ciclismo do Mural de Aventuras.
  2. Cumprir os horários marcados pontualmente.
  3. Estar atento as orientações do Coordenador.
  4. Deixar que as negociações em lugares como pousadas, restaurantes, entradas de lugares turísticos sejam feitas pelo coordenador do grupo, bem como as conversas com pessoas do local para busca de informações.
  5. Levar dinheiro em espécie suficiente para todos os dias e de preferência trocado para facilitar os pagamentos. Estimamos mínimo de R$ 80,00 por dia por participante.
  6. Estar preparado fisicamente de acordo com o nível de dificuldade divulgado.
  7. Seguir as orientações do check-list (a ser divulgado posteriormente) com atenção e no mínimo levar todos os itens imprescindíveis.
  8. Quando da impossibilidade de continuidade de algum dos participantes, o grupo deixará o mesmo em local seguro, em condições de retornar e dará continuidade a aventura com os outros participantes.
  9. O Mural de Aventuras, não é empresa, não tem fins lucrativos, é um grupo de adesão que promove a integração de pessoas que gostam de pedalar e de aventura. Portanto, todos são responsáveis individuais por sua participação e pelas ocorrências enfrentadas durante as trilhas, aventuras, viagens, etc. A segurança e o sucesso da aventura é de responsabilidade de cada participante individualmente, sem esquecer que como sempre fazemos as aventuras com espírito de camaradagem, amizade e companheirismo.

Expedição: Normas e Diretrizes

  • Cumprir os horários marcados pontualmente.
  • Durante o pedal de todos os dias da aventura e em todos lugares, os participantes devem usar o uniforme completo (camisa e bermuda/calça) de ciclismo e de passeio do Mural de Aventuras.
  • Mesmo com uso de outras roupas de frio, deixar o uniforme oficial do Mural de Aventuras por cima das demais. Exemplo: Utilização do Corta-Vento do Mural de Aventuras.
  • Deve ser fixada na bike uma bandeira do Brasil com haste para uso durante todo trajeto da aventura. O uso da bandeira da Bahia é opcional.
  • Participar dos encontros de planejamento e confraternização.
  • Estar atento e cumprir as orientações do Coordenador.
  • Deixar que as negociações em lugares como pousadas, restaurantes, entradas de lugares turísticos sejam feitas pelo coordenador do grupo, bem como as conversas com pessoas do local para busca de informações.
  • Estar preparado fisicamente de acordo com o nível de dificuldade divulgado.
  • Seguir as orientações do check-list com atenção e no mínimo levar todos os itens imprescindíveis.
  • Quando da impossibilidade de continuidade de algum dos participantes, o grupo deixará o mesmo em local seguro, em condições de retornar e dará continuidade a aventura com os outros participantes.
  • O Mural de Aventuras, é um clube de adesão que promove a integração de pessoas que gostam de pedalar e de aventura. Portanto, todos são responsáveis individuais por sua participação e pelas ocorrências enfrentadas durante as trilhas, aventuras, viagens, etc. A segurança e o sucesso da aventura é de responsabilidade de cada participante individualmente, sem esquecer que como sempre fazemos as aventuras com espírito de camaradagem, amizade e companheirismo.
  • Seguir demais normas e orientações descritas no menu “O Mural” do site ou no link http://muraldeaventuras.blogspot.com/p/o-mural.html.
  • O coordenador poderá excluir o participante da aventura diante do não cumprimento de qualquer uma das normas acima.