Trilha Circuito Copa Mosso de 2014 - Feira de Santana

Como sempre as trilhas em Feira de Santana são bem desafiadoras e cansativas, a região tem um clima muito quente e uma vasta variedade de trilhas que expõe o ciclista a situações empolgantes. Sem contar que a recepção sempre é de primeira linha com o nosso grande amigo João Mauricio (Morango), que sempre esta com pessoas do bem na recepção.
Eu, Serjão e Rei combinamos de ir juntos, saímos tão cedo que quando passamos no ponto de encontro decidimos ir andando para Feira, quando o pessoal estava saindo do ponto de encontro nós já estávamos tomando café no Rei da Pamonha de Feira. Uma pena que essa disposição de andar na frente, não se refletiu na hora de pedalar... Definitivamente esse não foi o meu dia, assim como o de meu amigo João Herrera... teve outros que sobreviveram mas não vou citar nomes! Rsrsrs
O percurso da trilha era o da Copa Mosso do ano passado, aproximadamente 40 km, saindo da pedreira e retornando para a pedreira. O percurso tinha muitas variações de single, descidas técnicas, corredores, subidas onde muitas carregava a bike em degraus naturais, estradão e verdadeiros Rock Garden exigindo muita técnica do piloto. O inicio foi alucinante, pois pegamos uma variação de single descendo onde era um prato cheio pra soltar o freio... Essa primeira etapa, que eu considero os primeiros 20 km tivemos muita emoção em trilha até a parada estratégica em uma bar na estrada de Ipirá. Quando retornamos, começou os problemas... A Bike full do nosso amigo Herrera apresentou uma folga na balança, tentamos tirar, mas não conseguimos, o máximo que foi possível foi reduzir um pouco a folga. Nisso o clima começava a ficar mais quente, e muito quente, por varias vezes o GPS mostrava a temperatura de 45°C tinha um sol pra cada um acompanhando a trilha. Essas condição somadas a outras variáveis começou acelerar o desgaste do corpo, e a trilha começou a ficar sofrida.
Com 30 km após vários trechos cansativos, uma subida em um corredor de pedras onde carregar a bike nas costas era obrigação subir degraus de aproximadamente 1 metro de altura, nem energético estava ajudando mais. Paramos em um local para reagrupar, e tudo que eu queria era chegar logo ao fim. Na saída era uma descida em estradão, eu e Herrera não vimos que o pessoal entrou em um corredor a esquerda e seguimos no estradão descendo... Quando estávamos bem próximo do fim o pneu de Herrera fura, paramos sem sombra alguma para concertar o pneu, foi ai que Giuliano chegou junto com Marcelo falando que tínhamos pegado o caminho errado. Começamos a concertar o pneu, embaixo de um sol escaldante.... Muito quente!!! No meio do mato no estradão sem ninguém próximo, escutamos um carro de som fazendo propaganda de uma sorveteria, nesse tempo eu comento “um sorvetinho agora caia bem”. Nessa vai surgindo um Eco Sport preto no meio da poeira do estradão, eu dou com a mão pra ele parar e pergunto vocês tem sorvete ai? A cara desce do carro e abre o porta malas do carro e parecia uma visão do paraíso. Cheio de baldes de sorvete!!! Nem miragem ou propaganda de cerveja poderia ser melhor... Tomamos o sorvete, terminamos de concertar o pneu e começamos a moer subindo tudo novamente o que tínhamos descido.
Chegamos e recomeçamos o caminho correto na trilha, em uma descida de pedras Herrera descendo rápido, vai passar rápido em um trecho bem técnico e acaba caindo feio sobre as pedras. Todo mundo ficou preocupado com o Parmalat, visto que ele caiu todo torto sobre as pedras, a preocupação de algo grave foi grande... E outra, ele tinha acabado de falar que estava desidratado. Desse ponto em diante foi só sofrimento até o final da trilha, onde cada um tinha um sol particular.
No final muitos foram embora para Salvador, enquanto Eu, Herrera, Rei, Serjão, Elson e João Mauricio foram almoçar o famoso churrasco de bode antes de pegar a estrada retornando para Salvador. Um abraço. Renato.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR


























































































5 comentários:

Iane Sabrina disse...

Tinha que ser o Parmalat!!! Essa trilha é show, mas o sol não ajuda, a sensação térmica beira os 80 graus... Parabéns pela resenha. Elsão, as fotos mais uma vez, ficarão XTR! BORA MURAL.

Giulyano disse...

Massa a trilha. Show de imagens!!!!

Anônimo disse...

Show de resenha e pedal... saudades desta turma do mural. Bora Muralllll.
Rogerio - Jacobina

Rogério Fernandes disse...

Como sempre um show de resenha e fotos impecáveis! Parabéns Renato e todos os Muralistas que enfrentaram este sol escaldante com bravura!

Plech disse...

Trilha show, parabéns a todos!!!