3° Dia Ciclo Aventura Costa do Descobrimento: De Caraíva a Trancoso

O 3° dia da Ciclo Aventura Costa do Descobrimento começa com o café da manha à beira da praia em Caraíva, na pousada Coco Brasil. Nome sugestivo o da pousada,  já que o coco foi trazido pelos portugueses na época da sua chegada.  Foi mais um primoroso café da manhã, e com vista para o mar João Ramos sentou numa rede certamente desejando prolongar a viagem por mais 4 dias. Quem sabe fazê-la também em sentido contrário? Não seria má ideia.

 Enquanto João hibernava na rede, prontamente preparado para seguir, Elsão e Odi contemplavam o mar acertando detalhes do percurso. O destino final do dia seria Trancoso, passando pela praia do Espelho. O magnífico trecho entre Caraíva a Trancoso ainda nos reservaria paisagens inesquecíveis. Logo no início fizemos uma curta travessia de barco pelo rio Caraíva para que pudéssemos seguir rumo à praia do Espelho. Após a travessia percebemos campings e estacionamento, isto porque não há circulação de carros na vila de Caraiva vindos do litoral norte.
Dávamos adeus à Caraíva, mas não havia pressa. A contemplação era nosso guia. De início subimos e descemos por single track, passando por belíssimos mirantes naturais. Parada obrigatória para fotografia é claro. Pedalamos por praias desertas com grandes extensões de areia, ora por sobre as falésias, ora por baixo delas.
Todos os dias da aventura me vinha à memória que no quinto ano do ensino fundamental fui obrigado a ler a Carta de Pero Vaz de Caminha, que na época do descobrimento foi encaminhada ao Rei Dom Manuel  de Portugal. Lembro que além de considerar leitura de péssimo gosto, dela nada havia entendido.  Foram necessários exatos 20 anos se passarem para o Mural de Aventuras me presentear com a “descoberta do descobrimento”.  As palavras de espanto do escrivão descreviam  um paraíso desconhecido. De certo os índios que por aqui encontramos nem de longe parecem os que aqui habitavam há mais de 500 anos. Mas os mariscos e camarões certamente sim . E nos quatro dias de aventura degustamos os mais deliciosos pratos da culinária local.

Trilha em Sapiranga - Se Chover, Partiuuu!

Comecei meus preparativos para Trilha já no sábado. Fui ao mercado comprar todos os tipos de líquidos e cereais que me dessem forças para pedalar. Já viram né, trilha nível 3 com o Mural, barril...
Despertador tocou às 04:30. Pronto, só faltava Elson confirmar. Nem um minuto a mais e nem a menos, às 05:00 em ponto nosso Muralista confirmou pelo Zap:  -Partiuuuuu, Praia do Forte. Maaasssaaaa!
No caminho até lá quem passa por mim, Elsão, nem Ayrton Senna pegava, também só podia ser do Mural, em alta, kkkk. Buzinei, luz alta e nada, sinalizador, foguetes rs, devia estar com o fone de ouvidos, rsrs. E a chuva jogando duro.
“São Pedro tava foi feliz, bastante chuva, só de canoa”. Canoa que nada!!! Prepara as Bikes!!! Hehehe. Renato Pai Sapiranga, Elson, Carla, Foltz e eu (GDQ), todos prontos. Partiu, sem MIMIMI.
Será que acompanho essa galera? vixe! Saímos com um pouco de chuva.
Logo na entrada da trilha, nosso amigo Foltz gritou: para, para, preciso passar um fax, ops, fax não agora é zap kkk. Primeiro objetivo da trilha: chegar até a Cachoeira das 7 Quedas. Partiuuu.
Até os 10 primeiros km tudo normal, a galera na frente e eu tentando acompanhar, toco, buraco, galho, curva, “freia!” de repente gritou Carla, um pequeno olhar para o lado e pronto, o chão me abraçou....uiiiiiiiiii, comprei um lote de terreno na Sapiranga KKKK. Olho para frente não vejo ninguém. Zorraaaaa, ferrou, cambio empenou e agora, não tenho gancheira.....Segundos depois chegaram a Tropa de Elite, fiquei emocionado kkk. O que foi? tá vivo? resenha, levanta, desempena o câmbio, passa gelol, partiuuuuu. Logo depois mais um dono de terra na Sapiranga, Foltz foi parar no  chão, óculos embaçado, foi a desculpa kkkk.

Trilha Boca da Mata

Muita expectativa para esta trilha, pois há algumas semanas não tive oportunidades de pedalar!
Estávamos preparados para a trilha da ILHA DE ITAPARICA, mas por motivos maiores do tempo a Coordenação do Mural, achou mais conveniente realizar a trilha de BOCA DA MATA, continuouu muiiita chuva tanto na sexta-feira até o momento de largarmos definitivamente a trilha. Houve uma pequena votação para constatarmos a realização da trilha, mas Muralistas as cinco e meia da madruga todos prontos, não tem nem que pensar!!! CHUVA?! QUE CHUVA?! PARTIUUU.
Antes de sairmos, no céu tivemos imagens encantadoras de ARCO IRIS duplo, isso nos animava bastante, pois acreditávamos que não iria chover com tanta intensidade.
Percursos variados, onde por momentos pedalávamos por estradões, trilhas encantadoras, visuais deslumbrante em 360 graus de visibilidade e 1.000GRAU no mural. Atravessamos um pequeno trecho do rio em um barco com um remador central, o qual fez o percurso em quatro vezes para nosso deslocamento de 10 Muralistas com a NOBREZA DE 40% DE PARTICIPAÇÃO FEMININA, que torna a trilha ainda mais BRILHANTE!
Em um capinzal  fenomenal nosso COORDENADOR MASTER, ELSÃO ficou para trás !!! ESTRANHO D+++!!!!  Parouuu parouuu, o cara conseguiu quebrar o CAMBIO! Eu, Lucas, Fernando, Peu e Jampa, demos um apoio, e as mureletes láaaaaaaaaa na frente nos esperavam.
Partimos para outra etapa da trilha, boommm o CARA com o CAMBIO REMENDADO, vai MANERAR!!! PN, ele estava envenenado brocando em altas láaaaa na frente, eu já querendo um PIT STOP, até que chegamos a um novo local e saboreamos e hidratamos da melhor conveniência possível os líquidos ali disponíveis (cerveja, água, refrigerantes....)!!!

2° Dia Ciclo Aventura Costa do Descobrimento: De Cumuruxatiba a Caraíva

O segundo dia da nossa aventura começa com um belíssimo café da manhã na pousada Boa Sorte em Cumuruxatiba, em seguida ainda na pousada encontramos com Franklin (cabelo) chamado carinhosamente de Wiliam por nosso amigo Marcelo na resenha do dia anterior, Cabelo biker nativo aceitou nosso convite de seguir conosco até Corumbau, e que acabou sendo nosso guia.
Nos primeiros quilômetros de pedalada percebemos como seria cheio de aventuras aquele dia, a frente uma placa indicava “aldeia indígena KAÍ” coincidência ou não, era 19 de Abril (dia do índio) chegando a aldeia fomos recebidos pelo cacique da tribo, aquilo pra mim era fantástico pois era meu primeiro contato com pessoas de cultura que só conhecia até então por livros, o cacique falou um pouco sobre os costumes o idioma e a apresentação que fariam naquele dia, mais algumas curiosidades, fotos e partiu...
Seguimos nosso caminho por falésias e praias cada vez mais desabitadas e encantadoras, próxima parada um barzinho a beira mar, no bate papo nosso guia Cabelo contou pra nós que tínhamos acabado de passar pelo cenário (uma casa de pescadores) que serviu de gravação para abertura de novela da globo (Tropicaliente) depois de algumas cervejas e de repor os camelbacks, seguimos até Corumbau, local combinado para almoçarmos e passarmos a tarde, pois iriamos pernoitar em Caraíva, a recepção em Corumbau foi da forma mais original possível com duas indiazinhas caracterizadas nos oferendo colares, logo me encantei com um de sementes verdes que denominei de colar do Mural.

08/05 é Dia de Ir "De Bike ao Trabalho"


Em todo mundo, maio é considerado o mês da “Bike ao Trabalho” (Bike do Work). No Brasil, adotamos o "De Bike ao Trabalho" para toda segunda sexta-feira desse mês. Então, amanhã (08/05 - Sexta-feira) será o dia para irmos de Bike ao Trabalho!

Sendo assim, o Mural de Aventuras pensou em dar sua contribuição e também incentivar mais pessoas aderirem a esse projeto que ajuda a proteger o meio ambiente e à nossa saúde.

Amanhã, vá para o trabalho de bike, tire uma foto durante o trajeto e depois marque o Mural de Aventuras pelo facebook contando como foi sua aventura, mesmo que não tenha sido sua primeira vez. Caso não tenha experiência, no site debikeaotrabalho.org (http://debikeaotrabalho.org/) podem ser encontradas várias dicas importantes.

As melhores fotos irão para o site do Mural de Aventuras e outros de nossos canais de comunicação. Vamos lá! Aproveite esse dia maravilhoso para começar a cuidar de sua saúde e a proteger o meio ambiente. Boa sorte!

Trilha da Tiririca - Novas Vítimas do Buraco de Esparro

Trilha da Tiririca. Desde que me tornei Muralista, quase todo sábado de manhã bem cedo, recebo o famoso "Partiu" no meu whatsapp. Estranhei esse sábado não ter tido. Peguei uma carona com Lucas e, como não conhecia a trilha, um dia antes perguntei se era melhor ir de calça, e a resposta dele foi que, essa é a única trilha que Elsão vai de calça. Achei melhor não contrariar a regra.
Chegamos no posto de Arembepe, alguns Muralistas já por lá, outros por chegar. Uns dois chegaram de bermuda, ainda disseram que não tinham frescura com um "matinho" nas pernas, mas logo foram convencidos e compraram uma calça na loja móvel do Mural.
Antes de iniciar a trilha, um breve relato da Ciclo Aventura da semana anterior, e Elson perguntou quem nunca tinha feito a trilha. Aquilo não me parecia uma pergunta com a melhor das intenções, mas enfim, braços levantados e ele falou que num determinado momento ia pedir para os "novatos" o seguirem. Dito isto, PARTIU!!!!