Classificados: Vendo Bike Specialized Stumpjumper Comp 29er

VENDO BIKE SPECIALIZED STUMPJUMPER COMP 29er
Quadro Tamanho M (17,5")
Suspensão Rock Shox REBA 80mm
Aros Roval já convertidos para sistema tubeless
Relação 2x10 (38/24)

Toda revisada! É pegar e sair pedalando!

* Bike super conservada
* Rodou menos de 300Km depois da revisão completa de suspensão
* Pneus com líquido e válvula NoTubes (X-King 2.2 dianteiro / S-works Renegade 1.9 traseiro)

Preço a combinar.

Interessados ligar: (71) 9243-2266 ou whatsapp







Novo Muralista: Roque Henrique Dias Prazeres

Bem-vindo ao novo Muralista: Roque Henrique Dias Prazeres.
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!


Recursos Públicos para o Uso de Bicicletas em Salvador: ASSINE JÁ! PARTICIPE!

A causa ciclística está mobilizada para garantir no novo plano diretor (PDDU) em discussão, recursos para o sistema cicloviário junto ao fundo de desenvolvimento urbano, o FUNDURB. 

Para isso, além da campanha, estamos realizando um ABAIXO ASSINADO e contamos com a sua ajuda a fim de assegurar a manutenção e criação de novas ciclovias.

A assinatura pode ser feita no link abaixo onde também há mais informações sobre a campanha.
Seu apoio é muito importante. Assine, compartilhe e ajude Salvador a ter mais ciclovias, mais saúde e um trânsito melhor. Ciclo abraços!

CTM Paralela Especial – O Circuito do Cerca

O CTM Paralela da última terça foi realmente especial. Com a promessa de realização de uma aventura noturna inédita em plena Salvador, a galera compareceu com muita curiosidade para entender o que iria acontecer.
O novo trecho do percurso tinha sido recentemente descoberto pelo Muralista Antonio Cerqueira (Cerca) que por um acaso do destino, sofreu um acidente dias antes no mesmo local enquanto fazia o reconhecimento, e sendo assim, não pode comparecer ao CTM.
Mesmo sem Cerca, mas com o guia Peu que também conhecia o local, podemos desfrutar da trilha que no final revelou “a cereja do bolo”, um charco com muita lama, daquelas de fazer empurrar a bike e afundar o pé inteiro! Uma aventura ao espírito Mural de Aventuras, onde vários lamentaram a falta de Cerca, rsrsrs. Depois do “Circuito do Cerca”, partimos para a “Trilha do CIMATEC” onde Lucas levou todos a uma descida incrível em que quase não era possível controlar a bike devido ao alto grau de inclinação. Brocação total!!!
É isso aí pessoal, para quem pensa que isso é tudo, já estamos mapeando novos trechos inéditos para os próximos CTM’s, semana que vem tem mais!!! Bora Mural!!! Partiu!!!

Novo Muralista: Otavio Pereira Oliveira

Bem-vindo ao novo Muralista: Otavio Pereira Oliveira.
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha em Sapiranga - O Nível 3 em Alta

Olá galera, estava agendado no calendário do Mural, na minha opinião, uma das trilhas mais legal da região, a trilha de Sapiranga. Uma trilha que possui diversos roteiros interessantes, sem falar no visual da mata e do rio. Não é a mais técnica, mas é muito massa.

Bem, essa é uma trilha nível 3 e muito legal e por isso normalmente costuma reunir muitos Muralistas, ainda mais porque Elsão sugeriu ao grupo que tinha acabado de fazer a Ciclo Aventura Costa do Dendê, almoçarmos uma moqueca como confraternização no restaurante no meio da trilha.
Bem, fazer trilha com bastante Muralistas é sempre muito legal porque rende muitas risadas e resenhas. Mas nessa só compareceram seis, todos “brocadores”, a trilha que era nível 3 prometia ser rápida, então PARTIUUU!
Fizemos a trilha conforme nível divulgado, mas em alta! Iniciamos como de costume em torno do castelo e em seguida para o outro lado da reserva. O dia estava bonito e o terreno ajudava na brocação entramos no trecho de areia fofa e numa curva perdi a tangência e tombei na parede de areia caindo em cima do braço esquerdo, os quem vinham atrás gritaram logo “parouuuu”. De pronto, gritei: NADA, partiuu, não pára não. Montei na bike e continuamos a       brocação.
Elsão estava inspirado e descíamos com ele na frente gritando Bora Murallll. Fizemos uns 3 perdidões com uns single track beirando o rio muito massa. Mas ao longo da trilha percebi que algo aconteceu com meu ombro, sentia falta de firmeza no meu braço da queda. Numa parada, comentei com o nosso fisioterapeuta do mural Giulyano me fez umas massagens e exercícios para tentar arrumar meu ombro que parecia ter sofrido uma entorse. As massagens foi motivo de muita resenha e fotos. kkkk Mas valeu Giu as dores aliviaram e consegui concluir a trilha.
Na verdade, fui assediado a todo o momento pra pedir pra desistir da trilha por causa do meu ombro, talvez porque uns estavam querendo antecipar a moqueca e a cerveja, ou queriam me ver pedindo o arregão (isso jamais, rsrs), ou estavam mortinhos e não queriam assumir. kkkkk
Quando falavam em resumir a trilha olhavam todos pra mim, cambada de sacanas queriam me escaldar depois. kkkkk. Mas fui guerreiro e fiz a trilha e mais 3 perdidões extras mesmo com a luxação no ombro.

Novo Muralista: Lordan Santos Gois

Bem-vindo ao novo Muralista: Lordan Santos Gois.
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

3° DIA EXPEDIÇÃO JALAPÃO: Fazenda de Pablo Escobar a Abenita

Como sou o novato e essa é minha 1ª expedição, jamais conseguiria iniciar esta resenha do 3º dia sem antes recapitular brevemente minhas experiências no 1º e 2º dia. 
No 1º dia da expedição, 18 de julho, sábado, acordamos na madrugada e saímos em direção de Ponte Alta conhecida como porta de entrada para o DESERTO DO JALAPÃO. Já no carro minha ansiedade, felicidade, expectativas e medos se misturavam em minha mente. Chegamos no posto, remontamos as bikes, tomamos café, batemos a foto do início da expedição e PARTIU!!! Já no início, um dos meus alforjes pegou na roda, logo Odi e Elson com muita paciência, resolveram o problema. Neste momento, um dos meus medos se concretizaram: atrasar o grupo. Sempre a culpa é do novato, risos! Passamos pelo canyon de Sussuapara, perdido por alguns veteranos; a casa de seu Mario onde Elson logo de cara recebeu o apelido de “Pouca telha”; banho no Rio Vermelho; motos125cc modificadas alucinadas e o passeio louco de Kadjon no bugre adaptado para areia Can-AmMaverick turbo. Pedalamos sem apoio em muita areia fofa, sol escaldante, calor intenso, almoçando paçoca do Rei, mas com muita alegria e satisfação, além de várias resenhas, é claro! Elson, Plech e Rei brocando na frente, Kadjon e Odi no meio, Nino e eu por último! A todo instante 4X4 com adesivos “O JALAPÃO É BRUTO” passavam filmando e tirando fotos, impressionados com a nossa coragem, o que nos encorajava ainda mais. Após aproximadamente 90km,chegamos a noite em nosso destino, a antiga fazenda de Pablo Escobar. Fomos recebidos por cachorros latindo e o medo dos moradores locais ao se deparar com um bando de ciclistas malucos, ou melhor, MURALISTAS. Apesar de estar um morto-vivo(rs), dormindo  no chão devido ao cansaço. Venci o 1º dia.
No 2º dia da expedição, 19 de julho, domingo, passado a descarga de adrenalina do 1º dia, tínhamos a programação de pedalar 20 km até a cachoeira da velha, onde faríamos o rafting no rio Novo. Rafael e Fabio nossos guias ofereceram carona, porem todos optaram por manter o pedal. Aos desavisados, 20 Km no Jalapão podem corresponder a 40km. Saímos da fazenda pela estrada com muitas poças de areia e chegamos na passarela suspensa da Cachoeira da Velha, onde tiramos muitas fotos e nos emocionamos pela beleza e exuberância do local. Fomos da passarela até o ponto de saída para o rafting, onde enfrentamos uma descida de 3km de areia quase que intransponível. Iniciamos o treinamento básico nos botes, em seguida, paramos na parte superior da cachoeira para fotos, remamos próximos a queda d´água e saltamos do bote nas pedras. Fomos por uma trilha até o fundo do véu da cachoeira. Sentamos para ouvirmos o som, as luzes e admirarmos o voo das andorinhas, que se prendiam nas pedras. Em determinado momento, presenciamos um voo espetacular onde posso afirmar que sentia presença de Deus. Retornamos aos botes, descemos as corredeiras, e claro, a emoção continuava a todo instante. Chegamos a prainha do RIO NOVO, uma praia belíssima onde conversamos com turistas que tiraram fotos nos botes, e claro, com nós, os MURALISTAS.  Já cansados das remadas, carregamos os botes na cabeça, passando pela areia e subindo uma escada até o local onde estava a caminhonete. Depois dessa 1ª descida no rio, Elson que a todo instante insistia em descermos várias vezes o rio, juntamente com o grupo, desistiu da idéia devido ao desgaste e ao esforço realizado. Retornamos para pegarmos as bikes que estavam presas a uma arvore e enfrentarmos novamente a areia, agora subindo. Almoçamos e começamos o churrasco regado a cerveja. Nino fazendo suas perguntas esquisitas. Odi ficou consertando o pedal a tarde toda; Plech enrolando uma corda da rede que não acabava nunca, e, no final da noite, Kadjon, deu uma caruara o que lhe rendeu muita resenha. Nesta noite dormimos todos nas redes para o 3º dia que seria ainda mais bruto.

Trilha do Recôncavo - Cabuçu a Santiago do Iguape

Encontramo-nos ainda noite no posto do Rei da Pamonha como combinado, quando cheguei  já estavam Elsão e Kichute, logo chegaram Bina e Fernando com Marcelo. Conversamos e aguardamos até as cinco e trinta e poucos esperando que aparecesse algum muralista atrasado e partimos já com sol nascendo. Chegamos mais ou menos em uma hora em Cabuçu. Preparados, abastecidos e com água suficiente, exceto Kichute, seguimos para aventura.
Fomos pelo asfalto até Saubara onde passando por uma viela onde havia uma feirinha começamos a subir até chegarmos num trecho tomado por pisadas de vaca difícil de subir. Ao chegar ao topo seguimos por uma estrada de terra quando um menino de uma das casinhas que ficava pra trás perguntou: -Oi onde vocês vão? Respondeu Elsão: -Vamos ali! e seguimos até o primeiro mirante em uma pequena trilha lateral de pedra, que já exigiu nossa técnica para subir e descer. Alias teve gente que comprou terreno na descida.
Seguimos pela estrada com algumas subidas e descidas, duas bem técnicas sendo a primeira de barro e a segunda de pedra essa maravilhosa e que merecia, não fosse o tempo, alguns momentos a mais para brincarmos. Ainda no inicio e com muita adrenalina no sangue após essas decidas seguimos por uma estrada de areia fofa até um rio, que atravessamos por cima de um tronco. Passamos por uma fazenda, alguns single tracks e chegamos à primeira subida, esta bem técnica com um trecho erodido e outro de terra solta que só Kichute venceu já na terceira tentativa. Chegávamos a tal subida do passarinho cheia de trechos, todos muito íngremes, como a galera do Mural gosta. Em um determinado momento após uma curva a esquerda começou uma descida e vibrei: Oba! Começou a descer! Que nada menos de 20m uma curva a direita e estava a maior subida de todas. Mais uns dois trechos de subida, eu já começava a questionar o que estava fazendo lá. Termina a tal subida do passarinho, no plano mais alto da nossa aventura, um mirante incrível que me fez esquecer os questionamentos e admirar a vista, uma mata verde belíssima e atrás o mar plano quase um espelho, seguido de algumas ilhas e ao fundo feito uma onda de calor o vulto quase uma fumaça de Salvador.

2° DIA EXPEDIÇÃO JALAPÃO: Cachoeira da Velha e Rafting no Rio Novo

O 2º dia da Expedição Jalapão foi reservado ao rafting no Rio Novo, aquele que seria o grande treino para os 30km a serem percorridos no Rio Sono no decorrer da expedição.  O pedal do primeiro dia havia sido uma mostra do que viria pela frente e a maioria encarou o domingo como um pequeno descanso para os dias seguintes. A maioria.  Particularmente, nunca fui muito fã de águas profundas, muito menos de águas profundas e revoltas. Entre alguns traumas de infância e a falta de habilidade para o nado, estava a falta de preparo para o rafting.
 Após mais de 90 km pedalados no primeiro dia de expedição, sob um imperdoável sol e sobre uma areia que parecia não ter mais fim, dormimos acampados numa fazenda que, segundo relatos, pertencia ao narcotraficante Pablo Escobar, e servia de refino e distribuição de coca nos anos 70. A fazenda, hoje, pertencente ao governo do Tocantins, fica a 9 km da cachoeira da velha, onde faríamos o rafting. O segundo dia de expedição era a promessa de um dia ‘light’ e o churrasco trazido pela turma do rafting em pleno deserto do Jalapão estava garantido. Estávamos sonhando com Coca-Cola.  No primeiro dia do rafting viria as corredeiras mais radicais (níveis 4 e 4+) e, melhor ainda, uma atrás da outra, em uma sequência de arrepiar até os cabelos de Elson.  A cachoeira é larga, imponente e faz um barulhão, e encontrava eco junto ao meu desespero.

Retorno do Muralista: Odair Santana

Retorno do Muralista Odair Santana. Seja bem-vindo!
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha em Imbassaí - Lama, Chuva e Muita Vibração!

Dois Novos Muralistas seguem rumo à sua primeira aventura com a equipe mais desafiadoras do mundo Bike: Handel e eu - Destino: Trilha Imbassaí, ao chegar no ponto de encontro apenas o coordenador Elson com o colega, e ai bateu logo a preocupação, só serão nos 4 pra esse desafio?!, mas com poucos minutos foram chegando os demais.
Paramos e fomos apresentados a todos por Elson, em seguida, pé na estrada. Com pouco míseros quilômetros, percebemos o companheirismo dessa equipe de aventuras em seguir a cadência de maneira uniforme. O verde da roupa acaba causando uma beleza a mais na mata adentro!
À frente temos uma grande e maravilhosa recompensa; subimos algumas ladeiras tão íngremes que olhar para frente era desafiar o ego da gravidade...depois chuva, muita chuva presenteada com shows espetaculares de lama, que ao tocar os pneus da bike nos honrava com batismos a moda trilheira, única e verdadeira.
Nos surpreende ao ver a Muralista Anas subir uma das ladeiras serranas mais desafiadoras do dia - chega ao topo afirmando com Bravura:  "eu chego morta, mas não desisto nunca." Com essas palavras; Anas energiza, mais ainda, a equipe de aventuras a enfrentar tudo que vem pela frente; chuva, muita lama, subidas e descidas escorregadias, pontos de terrenos técnicos de fazer inveja a qualquer comedor de pipoca, que passa o dia vendo uma série no Netflix.
O Muralista, Thor (O Deus do facão) testa o companheirismo da equipe, e o que já era de esperar a união de todos em apoia-lo quando a forte trilha - faz com que a corrente de sua nobre bike se rompe.
Paisagens de encher os olhos nutrindo de beleza, a forte chuva só causava um efeito mais espetacular. Estava gritando e vibrando o que fazia ecoar pela natureza e causar mais adrenalina no dia turbinando de efeitos.
Paramos na beira do Rio fizemos um rápido piquenique a moda familiar, meio banho e uma rápida lubrificação para aliviar as tensões do efeito lama das correntes, e #PARTIU com esperanças de mais aventuras, onde somente a pura natureza do dia testemunhava. PutZ!

1° DIA EXPEDIÇÃO JALAPÃO: Ponte Alta a Fazenda de Pablo Escobar


Pessoal, antes de iniciar a resenha, gostaria de agradecer ao nosso amigo Herrera pela belíssima recepção no jantar de confraternização da expedição. Infelizmente ele não pode participar conosco desta inesquecível aventura do Mural. Mas fizemos valer a pena cada discussão do planejamento da viagem. Parabéns Elsão, a escolha do roteiro e os detalhes da viagem foram fundamentais para o sucesso desta aventura.
Bem galera, quando chega a útima semana que antecede a expedição  a ansiedade fica em alta e não conseguimos dormir direito, o grupo no WhatsApp estava bombando de mensagens o tempo todo. Uma expedição, pra quem ainda não fez, requer muita organização e verificação de todos os detalhes para que nada dê errado, principalmente esta do Jalapão, onde tivemos pouquíssimos pontos de apoio. Para se ter uma ideia, os 3 primeiros dias foram sem comunicação alguma e ficamos acampados em redes e cozinhando nosso próprio alimento. Perdi a conta da quantidade de vezes que repassei o check-list, pois ao mesmo tempo em que não podia esquecer de nada essencial, tinha que me preocupar com o excesso de peso a levar nos alforjes e mochila, afinal seriam oito dias de pedal na areia.
O grupo esteve sempre muito animado, praticamente são todos da última expedição do Chile e Argentina (TRANSANDES), exceto Alexandre, um novato audacioso, que malmente encarou as trilhas do Mural e já se aventurava numa expedição.  Esperava que Alexandre estivesse preparado, pois como diz o ditado: “berço de jegue não é arroz doce”, Kkkk.
CHEGADA EM PALMAS - TO
Chegamos em Palmas em 16/07, um dia antes do programado para aproveitar e conhecer a capital do Tocantins, chegamos eu (Plech), Elson, Nino, Odi e Kadjon. Deixamos as bagagens no hotel e fomos jantar um prato típico, surubim na brasa num restaurante tradicional chamado Tabú. Rei e Alexandre deixaram a viagem pra o dia 17/7 e perderam o surubim na brasa...
No outro dia pela manhã fomos fazer as compras para os dias que ficaríamos em acampamento e pela parte da tarde fomos visitar a praia formada pela represa do rio Tocantins, chamada Praia da Graciosa e também atravessamos de barco para a Ilha do Canela onde comemos um tucunaré frito e tomamos banho na praia da ilha. Kadjon PERDEUU e ficou no hotel com calafrio.
Mais tarde Alexandre chegou e perguntou onde estávamos, mostramos as fotos da ilha e dos barcos e dissemos que estávamos no "Palmas Beach Park" e Nino mandou no whatsapp a foto do Beach Park de Fortaleza. Alexandre e Kadjon acreditaram no trote e pegaram um táxi a procura do tal parque. kkkkk
Segundo Alexandre, Kadjon disse: "perai que vou botar uma sunga" Alexandre respondeu: "Que sunga que nada, vamos logo que os caras já estão no parque.". KKKKK.
Choramos de rir, porque eles nos perguntavam pelo whatsapp o endereço, preço do parque, enquanto rodavam pela cidade de táxi pra cima e pra baixo. Foi muito hilário. kkkkk

Classificados: Vendo Bike Specialized Stumpjumper 29er

Vendo: Specialized Stumpjumper
Tamanho 17,5 (M)
Trocadores X7
Câmbios x9
Pneus originais com tubless
Pé de vela sram bb 30
Suspensão  REBA
Relação sram 2 X 10
Valor: R$ 5.500,00
Contato: Flávio 71 9189-8616 (TIM - Whatsapp)
Motivo da venda: Sem tempo para pedalar!!!
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR












Classificados: Quadro Merida Escultura EVO 904

Vendo Quadro
Marca: Merida
Modelo: Escultura EVO 904
Tam: 48
Carbono
Valor R$ 4500,00
Contato: Roque Man (75) 9263-7990 (Wapp)
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR