2° Dia - Ciclo Aventura Costa dos Coqueiros (de Sítio do Conde a Subaúma)

As Ciclos são conhecidas como as Férias do Mural, e no dicionário português a palavra Férias significa: "s.f.pl. Época de repouso. O corpo humano não pode atuar com toda sua potencialidade sem períodos frequentes de repouso." Pois bem, esse significado se encontra apenas no dicionário, porque na vida Muralística isso tem a seguinte definição: época em que se broca mesmo quando o corpo deseja repouso.
Acordamos bem cedinho no Hotel Portal do Mar, tomamos nosso café, alguns cansadinhos do primeiro dia e partimos para finalizar nossas "férias". O sol deu logo boas vindas e para complementar nossa saída pegamos um estradão cheio de costela de vaca. Passamos por Barra do Itariri, atravessamos um rio com as bikes na cabeça, pois a água batia quase no ombro e a correnteza puxava muito, quando Elsão grita partiuu, o câmbio de Handel quase parte. Rs Depois de ajustado, pedalamos beira mar, com uma paisagem lindíssima! Em alguns momentos a areia estava bem fofa dificultando o pedal. Quando eu pensava que tinha acabado, lá vem outra travessia com as bikes na cabeça para dar acesso a Baixios! Só que dessa vez a correnteza estava pior e tivemos que fazer várias viagens para atravessar, e isso deixou muita gente cansado, inclusive eu! Rs Uma leve parada para admirar a paisagem e partimos para tentar almoçar em uma pousada.
Chegando lá, a pousada estava lotada e não tinha almoço para todos. Almoçamos em um bar próximo a praia de Baixios, e aí já sabem né? Foi comida pra ver o caco, todo mundo comeu, comeu, comeu, e esqueceu que ainda ia pedalar muito. Barriga cheia, quero dizer, barriga entupida de comida partimos em direção as lagoas. Pegamos um pequeno trecho de asfalto e logo em seguida, pulamos uma cerca, e a partir daí a brincadeira começou. Meu Deusss tanta areia em um lugar só, já estava ficando maluca, foram 22km só de areal e muito cansaço. Foi a partir daí que a resenha caiu para o meu lado. Rsrs.
As lagoas não chegavam nunca, e eu parecia aquele burrinho do Shrek, que toda hora perguntava: "Tá chegando?" rs. Ainda tomei uma queda em cima de uns galhos secos que me deixou uma recordação eterna no joelho. As Férias do Mural não é brincadeira! Rs Chegamos nas lagoas, lavamos a alma e renovamos as energias. Quando nos deparamos com aquela vista linda das dunas, a água cristalina da lagoa, o banho, realmente compensa e muuitooo, perfeito aquele lugar! Mas nada no Mural é fácil, e se um dia for fácil pode desconfiar, rsrsrs.
Então todos já paramentados, partimos em direção a Subaúma. E a bike de Handel toda hora dava um sinal de cansaço, o câmbio já estava pedindo menos e Elsão brocando deste o dia anterior com uma só macha. Graças a algumas pessoas que estavam no local, nos orientaram a seguir por um single com subidas e descidas, para ter acesso a travessia em um barco. Depois da travessia, pedalamos mais uns quilômetros e chegamos em Subaúma. Já era noite, todos cansados e famintos. Ah, o câmbio sobreviveu, e eu também! Rs.
Esperamos a Van para finalizar a Ciclo com chave de ouro, e com aquela velha e boa sensação de dever cumprido.  Mesmo com o cansaço que bate, muito prazeroso tudo isso que o Mural me proporciona, uma sensação maravilhosa, de liberdade e de amor. Amo pedalar e costumo dizer que é um cansaço prazeroso. Que venha muitos sofrimentos por aí, que venha muitas pedaladas e muita brocação!!! Aqui o sistema é Brutooooo!! Boraaaaa Muraaal, Carla Guimarães.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR









































































































































2 comentários:

Handel Darlan disse...

Muito boa resenha, belas fotos! Não só o câmbio como também sobreviver. Kkkk Borá Mural, Valeu!

mario leal leal almeida disse...

Muito bom 🔝🔝🔝borá mural !!!