Trilha Pé-de-Chinelo SQN (Nova Soure)

Como todos sabem, a primeira vez a gente nunca esquece! E comigo não seria diferente. Enfim a minha primeira viagem com o Mural de Aventuras! Como se não bastasse, ainda seria a minha primeira viagem sem esposa e filha em quase 5 anos, ou seja, a ansiedade começou a tomar conta de mim desde o dia da inscrição para esta trilha!
Por um lado eu estava um tanto angustiado e apreensivo por estar longe da minha esposa e filha, porém sabia que estaria no conforto da minha segunda casa e família: O MURAL DE AVENTURAS! Então partiu Trilha Pé-de-Chinelo.
Encontro marcado no posto Rei da Pamonha às 18:30 hs e lá estávamos nós (15 Muralistas ao todo), sendo que desta vez fui no BONDE DO ODI (Odilardo): Odi, Jampa, Kadjon, Tacalipau e eu. Todos em ponto no horário marcado e lá fomos nós em direção à NOVA SOURE! Num carro estavam Elsão e Kichute, no outro o time das Muraletes com Carla, Carlinha e Maroca! Partimos em comboio e assim chegamos, sem muita conversa e resenha pelo menos no nosso carro! Hahaha. Uma viagem tranquila e rápida, não mais do que três horas na estrada.
Chegando em Nova Soure o nosso anfitrião NINO foi nos buscar na entrada da cidade e nos levou ao encontro dos outros Muralistas que lá já se encontravam (Cerqueira, Fernando, Marcelo e Bezeride). Aí vocês já viram: cerveja, petiscos, hambúrguer e uma resenha sem igual! Como todos estavam cansados e partiríamos cedo para a trilha no dia seguinte, decidimos ir para o Sítio de Nino: A CASA DA MÃE JOANA! Chegando lá fomos apresentados às dependências e fomos dormir!
O dia amanheceu e por incrível que pareça, fomos acordados não por um galo, mas por um jegue do sítio (sim, um jegue) que às 05:30 hs já estava relichando e nos tirando da cama! Todos devidamente fardados e prontos, fomos surpreendidos com um verdadeiro banquete preparado com muito carinho por Nino com diversas frutas, pães, cuzcuz, café, suco, ovos, iogurte, muita coisa mesmo! Estômago forrado, partimos para a tão esperada aventura!

CTM ALPHAVILLE E A LUA CHEIA

No CTM ALPHAVILLE dessa semana passamos por novos trechos de trilha que gerou uma adrenalina ainda maior a todos que participaram. A noite estava linha devido a grande lua cheia, ideal para algumas fotos (ver abaixo), contamos também com uma chuvinha que aumentou um pouco mais a dificuldade para alegria geral!

A cada semana fazemos um roteiro diferente que conta, entre outros com: CIMATEC, Greenville, Parque Tecnológico, Pituaçu , CAB e outros!

Semana que vem tem mais! Venham participar do Mural!!! Partiu!!!

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR













2° dia Expedição Serra do Rio do Rastro e Vale Europeu:Timbó, Pomerode, Indaial e Rodeio

E entramos na Van às 02:00 da manhã, saindo de Orleans (uma joia dada a uma princesa, procure saber por que) com destino a Timbó. Isso mesmo, 02:00 da manhã, Expedição do Mural não dá trégua, o ritmo é intenso, e requer preparação. Isso causou um alvoroço no lobby do hotel!!! 12 caras (11 do Muralistas e nosso piloto) fazendo check-out!!! Acertando suas contas!!! Mas partimos!!! Cada qual ocupou seu lugar de véspera na Van e fomos.
Chegando no hotel em Timbó, um café da manhã nos esperava. Depois foi colocar as bolsas bikes em um quarto e seguir para o Restaurante Thapyoka (vale a pena até um tour virtual: www.thapyoca.com.br) para comprar o passaporte que traz várias informações sobre o Circuito do Vale Europeu e lugares onde vamos batendo os carimbos para sermos certificados que fechamos o circuito ao final, que termina no próprio Thapyoca.
Chegando ao restaurante, ele estava fechado porque eram 08:30 da manhã. Mas fomos atendidos por uma porta lateral e depois no salão do restaurante por uma simpática senhora, que pensamos nós, nunca tinha vendido 11 passaportes de uma só vez para o Circuito, mas o Mural chegou, e aí...
Ao lado do restaurante, tem uma bela ponte estaiada e uma barragem onde sangrava água e ali fizemos a nossa foto de segundo início da Expedição, a foto com a placa indicativa de Início do Circuito do Vale Europeu, para então ouvirmos o tradicional “PARTIU”!!!
O Circuito do Vale Europeu é bem sinalizado, bastante estruturado, deixa pouca margem de se perder, e seguindo as placas, fomos deixando Timbó, com destino final Rodeio, passando por Rio dos Cedros, Pomerode, Indaial e Ascurra. De início, estradão bem estruturado apenas nos incomodando as costelas de vaca. Muita roça de arroz, por toda parte, o que faz ter água, muita água girando por valas.
Nossa primeira parada foi Rio dos Cedros, onde pudemos nos refrescar em um bar que tinha uma Cancha. Cancha é o lugar onde se joga a Bocha. Chegando 11 baianos, o dono do bar e um outro tiozinho, se esforçaram para nos explicar como se jogava Bocha e alguns Muralista se esforçaram, também, em tentar jogar. Mas o jogo requer uma certa prática e treino, e aí, seguimos.
Dali a alguns quilômetros pararmos em nossa primeira cachoeira, onde encontramos os primeiros ciclo-turistas no Vale Europeu. A cachoeira deu uma aliviada no clima, pois no dia fazia calor, muito calor!!! De memória no GPS de Elson bateu 38.8°, sensação térmica 50° graus na sombra.
Logo após o nosso banho de cachoeira, nos esperava a primeira serra, lá há poucas ladeiras, mas muitas serras. Era apenas um aperitivo pelo que iríamos ver nos próximos dias, mas era uma bela de uma ladeira, ou serra, com uma inclinação que levou embora todo o nosso banho de cachoeira, toda aquela energia absorvida nas águas refrescantes, mas seguimos.
Chegando em Pomerode, entramos na cidade pela Rota Enxaimel, que é um estilo bem alemão de se construir (por favor Elson, coloque uma foto de construção Enxaimel). Era hora do almoço. A cidade vivia um pacato dia de Domingo, poucos lugares abertos, mas conseguimos um restaurante a quilo para almoçar e depois achamos uma sombra para descansar e responder alguns curiosos querendo saber de onde éramos, para onde íamos e etc.

Trilha Boca da Mata - Terras Alienígenas

No sábado, 30/01, participei de minha primeira incursão ciclística com o Mural, onde fui muito bem recebido e pude finalmente trilhar caminhos baianos, após mais de dois anos frequentando Salvador e imediações. O "Açaí da Bahia" estava fechado ao chegarmos por volta das 6h, arrumamos as coisas, ou os "trens", como dizemos em Minas, arriscamos a vida na travessia da BA 324 e começamos a pedalada. O trecho inicial é composto por estradões e muita areia, o que só me fez desejar ainda mais uma "gordinha", ou "fatbike", com pneus 4.8 que só trazem alegrias. Passamos pela localidade de Estaleiro e fizemos a primeira pausa para as fotos, à beira do lago. O local me lembrou muito Lapinha da Serra, distrito belíssimo da Serra do Cipó em Minas, só que com uns 15 graus centígrados a mais.
A partir daí, um sobe e desce danado com direito a um mergulho com búfalos, estaria a ilha do Marajó mais perto?, até a segunda parada num boteco acalentado pelo "Bonde do Vaqueiro", banda que me fez sentir saudades de Mister Catra. Basicamente, a tv da birosca passava clipes dessa banda que alternavam o mesmo refrão: "Sou corno e me orgulho disso / sou corno e mereço morrer (...)", enfim, mais alguns minutos de audição e já entraria em estado catatônico. Muitos minutos de descanso e algumas itaipavas depois nos colocamos novamente em marcha, fazendo um zig zag pelos dutos da Transpetro e com passagens sem fim por cercas de arame farpado. Comparada às maquininhas leves de carbono do grupo, minha simples Scott de 13kg e v-brakes ajudou no exercício dos bíceps para muitos Muralistas. Para variar, me perdi da equipe, me embarafustei para um lado qualquer e me dei bem, por acaso. Logo me encontrei com o Odair, Carla e outra personagem feminina cujo nome, infelizmente, não me lembro. Odair sofria com uma corrente enrolada, só com muito custo e uma chave Crank Brothers mágica conseguimos sair dali, com a providencial colaboração de Tico Van Damme e Israel. Bendito "quick link". 

Novo Muralista: Ramiro Barros Vieira Filho

Bem-vindo ao novo Muralista: Ramiro Barros Vieira Filho.
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

8° DIA EXPEDIÇÃO JALAPÃO: SERRA DA CATEDRAL A NOVO ACORDO

Na véspera do último dia foi bem  divertido, brincamos nas trilhas do Jalapão Bike Park, tomamos banho de rio e contemplamos um espetáculo a parte da natureza do Jalapão, o lindo pôr do sol na Serra da Catedral. Ainda na véspera, após a janta, ligamos o som de Odi e ficamos jogando palitinho, bebendo whisky e vinho e muita conversa fora com umas boas risadas. Relembrando os lugares exuberantes e tudo o que vivemos até aquele momento. Mas também lembramos que o último dia seria talvez o mais duro, pois teria a maior distância a percorrer. Aproximadamente 130km da Serra da Catedral até a cidade de Novo Acordo,  somado ao cansaço de 7 dias de expedição.
As bikes, mochilas e alforjes já estavam devidamente arrumados na noite anterior. Tomamos café e ajustes finais nas bikes e na arrumação, abastecidos de agua, partiuuuu!
Bem, não preciso mais falar de areia e calor. Este dia não foi diferente dos demais. Pedalamos muito e acredito que a ansiedade e vontade de concluirmos fez impor um ritmo mais forte nesse dia. Alexandre então, nem se fala, ele estava irreconhecível. Estava brocando, deixando Nino, Odi e Kadjon pra trás. Segundo Kadjon ele se automedicou com alguma droga tarja preta. Kkkk
Pedalamos muito a procura de sombra e finalmente paramos numa árvore que oferecia sombra, mas então surge um detalhe... Um boi morto ainda em decomposição e Rei ainda queria ficar por alí rsrs. Com todo calor do Jalapão, decidimos não ficar naquela aquela sombra e fomos procurar outra sombra pra um descanso. Para nossa sorte num entroncamento mais adiante encontramos uma árvore com uma sombra perfeita. Paramos para descansarmos um pouco. A sombra estava tão boa que chegamos a tirar um breve cochilo. Mas o dia prometia ser longo e estávamos famintos.
Voltamos a pedalar quando um grupo de motocross passou por a gente levantando muita poeira. Como sempre os estradões do Jalapão parecia não ter fim, e após um  longo subidão chegamos na fazenda de Sr. Camilo. Depois  de muito chão e nenhum contato com a civilização, ali era o único ponto de apoio e encontro das expedições do Jalapão. Reencontramos vários grupos que havíamos conhecido em outras atrações do Jalapão. Nos deliciamos com coca  cola gelada e fomos a fazenda almoçar. O filho de Camilo nos acompanhou com um mini quadriciclo brocando, gostou de Rei, foram conversando até a fazenda. O almoço estava delicioso, uma moqueca e picanha. Em seguida tiramos uma boa soneca num redário com uma sombra deliciosa. Acordamos então partiuuu.

Vídeo da Ciclo Aventura Costa dos Coqueiros (Mangue Seco, Sítio do Conde, Baixios, Lagoa Azul, Subaúma)

Olá pessoal, 
Vejam o vídeo da Ciclo Aventura na Costa dos Coqueiros realizada em novembro de 2015 pelo Mural de Aventuras. Demorou de sair esse vídeo, mas devido as lindas imagens, não poderíamos deixar de mostrar para vocês como foi um pouquinho dessa inesquecível aventura que passa por lugares paradisíacos do litoral norte da Bahia como Mangue Seco, Sítio do Conde, Baixios, Lagoa Azul e Subaúma. Aproveitem! Bora Mural!

VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!

Trilha da Tiririca - Buraco do Esparro e o Tico Van Damme

Começamos nossa aventura como de costume, com uma pequena descrição do trajeto por nosso Coordenador e GPS ambulante Elsão, que nos falou apenas das partes boas da trilha, partiu...
Obs: 100% de presença masculina, por quê?
Saímos do Posto Kona, e após alguns poucos quilômetros iniciamos realmente o percurso off Road, então, tivemos o primeiro perdido, patrocinado pelo nosso aventureiro de plantão Tico Van Damme, diante de um colchete na cerca, apertadíssimo, que não abria de forma alguma, ele se dispôs a dar a volta para ver se havia alguma alternativa, como não encontrou nenhuma, entramos em um cercado fechado que só tinha 50mt de comprimento... a primeira resenha da trilha... era só dar uma volta de 20mt e estaríamos livres desse obstáculo... Obrigado Tico Van Dame pelo presente...
Essa é minha segunda trilha como Muralista e apesar de todo esforço para acompanhar o ritmo da galera veterana, nunca dei tantas risadas em um pedal, e se não me falha a memória, muitos lotes de terra foram adquiridos nesse percurso, até pelos mais experientes, não queria tocar no assunto por conta da hierarquia do grupo, mas o nosso coordenador e GPS ambulante se aventurou em uma íngreme rampa de barro com uns 2mts de altura e uma angulação de uns 120°, e “Pimba!!!” risadaria solta... se esborrachou no paredão com sua bike... dizem as más línguas que parecia uma sapo atropelado... kkk, e ainda por cima danificou o freio da bike, coitadinha dela.... a Bike.
Toda a galera estava ansiosa por chegar ao Buraco do Esparro, só entendi por que tanta ansiedade quando me deparei com o trajeto que nos levaria a esse ponto incógnito nas nossas mentes... Eu e Tico Van Damme fomos chamados a frente, os novatos na trilha, e nos apresentaram o caminho em direção a um alagadiço imenso, fomos convidados a sermos os primeiros... Fui na frente e descobri da pior maneira por que se chamava Buraco do Esparro, na primeira pisada no alagadiço minha perna afundou até a cintura, ainda bem que estava agarrado a minha Bike, levei uns cinco minutos lutando para atravessar... depois foi a vez de Tico Van Damme, que recebeu esse codinome exatamente nesse ponto da história, arremessou sua bike do outro lado do córrego e de repente, quando tentou pular, acabou escalando a vala, foi melhor que muito Stand’up que já assisti, depois vieram os outros mergulhos, assista ao vídeo, recomendo... Imediatamente depois, outra escalada com a bike em um paredão de barro, só aventura...

VÍDEO 1° Dia Expedição Serra do Rio do Rastro e Vale Europeu

Vídeo do Uphill e Downhill feito de bike pelo Mural de Aventuras na fantástica Serra do Rio do Rastro em Santa Catarina. 1° dia da Expedição Serra do Rio do Rastro e Vale Europeu.