Trilha New Tiririca - A Descoberta de uma Nova Aventura

Mais de 4 meses sem pedalar, recebendo mensagens de Elson com fotos do CTM e das trilhas todas as terças e finais de semana, vontade de pedalar aflorando... eis que aparece um pedal nível 3 (para mim, no momento, é o limite kkkkkkkkkk). De imediato pergunto para Elson se haviam muitas ladeiras e se era puxado, pois iria com a bike emprestada de um amigo e estava despreparado, ele responde que a trilha era tranquila.Por volta das 06:40 do sábado (02/04/2016), estávamos eu, Elson, Mário, Tacalipau, Sérgio e William no Posto Kona. Neste momento já tinha gente trocando pneu de bike e uma Coca-Cola na conta, às 07h Elsão profere o famoso grito de guerra: PARTIU.Começa a trilha num típico estradão com ladeiras curtas para esquentar as pernas, até chegarmos numa casinha abandonada, parada para o registro com a bandeira do Mural e, para mim, momento bom de descansar. A esta altura eu já perguntava para Mário quantos km tínhamos andado kkk.Por sorte ou azar de nossa parte, Elson não se tocou que eu e Mário nunca tínhamos feito a Trilha da Tiririca, por achar que todos já conheciam o buraco do esparro, optou por desbravar novos terrenos da região. Fico na vontade de, na próxima, encarar o buraco.Saímos da casinha para começar a parte gostosa da trilha. Após algumas subidas e descidas pegamos um single track descendo uma ladeira com muitas valetas, parte bem técnica da trilha, Elson e Tacalipau brocando na frente, o restante descendo na manha, até que o pneu de Mário desembeiçou, resultando em uma bela queda em cima de mim e mais uma Coca-Cola na conta.Pneu desembeiçado, pouco líquido, era necessário colocar câmara no pneu. Só não se esperava que as câmaras reservas de Mário e de Sérgio estivessem furadas e a de Elsão lascada. Bom momento pra descansar, resenhar e dar algumas risadas.
De volta ao pedal, chega o momento esperado por todos, o Ofurô de Mural, com direito a pier e tudo.A vontade era de continuar por ali, mas ainda faltavam mais uns 15 km de chão. Entramos num single track top, que em certos momentos era mata fechada e nesta hora entendi o porquê do nome Trilha da TIRIRICA. Os desavisados que foram de bermuda e de camisa de manga curta sofreram, um deles fui eu, que fui de calça e manga curta, imaginando que o mato  não chegaria à altura dos braços.O melhor momento da trilha ainda estava por vir... Ao constatar que o caminho que estávamos iria bater em Camaçari, Elsão olha no Garmin qual o melhor caminho de volta. Neste instante, a DESCOBERTA dos melhores single tracks, região de pântano e mais lugares para tomar banho, conversar e rir.Por fim, nos últimos quilômetros passamos por uma pontezinha de madeira até chegarmos  em Arembepe e pegar o destino de volta para casa. Bora Mural!! Até a próxima!  Kleber Araújo
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR



















































































Um comentário:

Jean Painéis disse...

Show!!!! Mais uma aventura top!!