Novo Muralista: Arquimedes dos Santos Nascimento

Bem-vindo ao novo Muralista: Arquimedes dos Santos Nascimento.
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!


2° Dia - Trilhas em Jacobina: Cachoeiras Maria Fernandes, Pinhacó e Véu de Noiva

E o início do segundo dia de aventuras em Jacobina já amanhece com um clima super agradável, com uma brisa suave e algumas nuvens amenizando os raios do sol que prometia chegar escaldando com tudo mais tarde.
Após ter pedalado 110km no dia anterior, só subindo, subindo e subindo mais ladeiras, você acorda pensando:  o segundo dia será mais ligtht, de boa, pois afinal de contas está todo mundo quebradinho, né? Kkkk, ledo engano. No MURAL a brocação é UM DIA SIM E NO OUTRO DIA TAMBÉM.
Sendo assim, Rogério, Julinho e mais dois integrantes do JACOBINA BIKE já estavam a postos, nos aguardando terminar o café da manhã na pousada, pra dar início à aventura.  Sem muito “mimimi”, após um resumo do que iríamos enfrentar, partimos seguindo pelo asfalto em direção à entrada da cidade para tirar uma foto na placa com o nome da cidade e registrar nossa presença nessa linda região.
Seguimos por uma estrada de barro que permeava a rodovia, onde encontramos a entrada para a ESTRADA REAL, que, pra quem não sabe, foi a primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para escoar a produção de ouro e diamante até o porto de Paraty, no Rio de Janeiro. Pois bem. Depois de tiradas algumas fotos, voltamos a dar início ao percurso, passando por uma pinguela “cabulosa”, que só Jean, Kichute e Rogério tiveram coragem de atravessar pedalando.
Cruzamos a pista de asfalto para adentrar em uma trilha de barro que já dava indícios do que iríamos enfrentar. A “brincadeira” começou. Deparamo-nos com uma subida interminável, que alguns, claro, como “euzinha” aqui, pagaram em algumas prestações. Não só pela sua extensão, mas também pelo terreno cheio de folhas que escondiam as pedras, galhos e raízes que dificultavam ainda mais a subida. Depois de muito subir, chegamos ao topo da floresta, onde Rogério, nos parabenizando pelo nosso esforço, só falava: “Rapaz, vocês são brutas demais!!”. Mas, mas é claro, Muralete que se preze tem que ser assim mesmo: só na brutalidade (kkkkkkk).
Como tudo na vida: o que sobe, desce; perguntei logo : “Quando vamos começar a descer?”. De pronto, Rogério e Julinho falaram em coro: “É agora”. Oxe, largamos o freio em um single irado, fechado, cheio de curvas que nos lembrou alguns trechos da nossa querida Sapiranga. No final da descida, chegamos a um vale lindo, onde avistamos, quase que despercebida, uma cachoeira super charmosa: a Maria Fernandes. Sua queda d’água era bem fininha e escorria suavemente pelo seu paredão de pedra. Um chame. Como de costume: pausa para refrescar a nuca e mais fotos.

Nova Muralista: Manoela Santos de Deus (Manu)

Bem-vindo a nova Muralista: Manoela Santos de Deus (Manu).
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha New Tiririca +

Pois é, de Mural Móvel junto com Elson, Kichute e Dom, lá fui eu conhecer a tão comentada New Tiririca. Elson marcou para pegar eu e Dom mais ou menos as 5:40 em ponto em frente a Mais Bike, 5:39 em ponto chegou. Colocamos as Bikes embarcamos para mais uma aventura. Maior chuvão na estrada e tempo bom durante toda a trilha que estava em condições excelentes, nem seca nem molhada, perfeita! Chegamos no posto e lá já estavam, Israel, Rogério e a dupla Tacalepau e Segundinho, também conhecidos por Jean e Philippe, que vieram e voltaram pedalando de Salvador, Uiliam que chegou junto conosco e Cerca com Lucas chegaram um pouco depois.
Saímos para trilha, um pouco de asfalto, estradão e começa nossa diversão, trilhas. Chegamos pequena colina onde ficamos testando nossas habilidades no barraco enquanto Lucas dava uma enchida no pneu. Cerca descobre que estamos perto do buraco do esparro e não se contem começa a rir sem parar imaginando que tínhamos dois novatos a serem batizados. Chegamos na trilha do buraco e começa a resenha para Uiliam e Dom irem na frente, muito kkkk e eles vão direto pro fundo. Mas o buraco do esparro não poupa ninguém e todos acabam se molhando, que o diga Segundinho que entrou com tudo. Enquanto isso Lucas aproveita pra dar mais uma enchida no pneu e Dom segue sozinho na frente acha uma toca de marimbondo no meio do capim, vou atrás dele e vejo-o desanimado olhando a bike no meio dos marimbondos e com cara de tristeza me fala. - Foltz perdi minha bike. Eu com vontade de rir da situação, mas com pena do Dom vou vou para perto da bike e cuidadosamente puxei-a para mim pela roda de trás. Ao longe escuto alguém dizendo para sair dali devagar com quem não quisesse nada e penso, nem fudendo, corro o mais que posso com a bike deixando os marimbondos para trás. Por sorte só uma picada. Chegamos do outro lado e começa o desafio da subida cascalhuda e "Ingred" que todos que foram conhecem. Enquanto Lucas apertava a válvula e enchia o pneu, quem não conseguia subir de primeira ia tentando, com exceção de Tacalepau que subiu umas dez vezes só porque gosta. Nosso coordenador para de filmar e vai tentar subir novamente e toma a primeira queda. Rogério cai sozinho, Lucas da mais uma enchida no pneu e vamos em frente, mais uma decida técnica, Israel toma uma queda, Tacalepau desce duas vezes só porque gosta, seguimos até as ruínas de uma casa após outra subida técnica para foto. Lucas da mais uma enchidinha no pneu e vamos embora pro primeiro downhill, agora com mais valas e mais emoção.

Trilha Cachoeira do Urubu 12 - A Quinta Descoberta

Em 2016 estou entrando no 4º ano de Mural de Aventuras.  Depois de expedições e ciclo aventuras inesquecíveis, coloquei como meta para o ano fazer aquelas trilhas que estão fora do meu currículo, e ainda repetir as trilhas tops. Difícil mesmo é definir qual trilha não faz parte desse repertorio. A trilha da Cachoeira do Urubu tem um sabor especial para mim. Foi uma das minhas primeiras participações em trilhas do Mural em 2013, quando a trilha ainda saia de Amélia Rodrigues.
Encontro marcado bem cedo no Rei da Pamonha. Eu sairia de Nova Soure e teria que sair bem mais cedo em direção a Santo Amaro. Resumindo, quase não dormir. Mas reviver um dos meus primeiros momentos com o Mural valeria o esforço. Encontro em frente à igreja Matriz na cidade, bikes prontas, e parada imprevista na padaria antes de começar a brocação. Eu tinha dirigido mais de 200 km e merecia engolir alguma coisa antes do pedal. (Né Elsão?).
Partiuuu ... No inicio um estradão para aquecimento e logo, logo apareceu aquela prometida ladeira sem fim (Sim, fodástica, como essa não havia visto ainda).  Parabéns a Kichute e Elsão que evidentemente brocaram com êxito. Nós, demais, tentamos com todas as nossas forças, mas pagamos a ladeira em algumas prestações, enquanto Serjão, como já havia previsto, pagou em prestações a perder de vista. Depois de terminada a ladeira você olha para baixo e promete retornar um dia para zerá-la. Quem sabe um dia...
Trilha que segue, e antes de chegarmos às cachoeiras, bons single tracks, ‘bambuzivis’ e um visual de parte do recôncavo de tirar o fôlego. Mas a trilha é conhecida mesmo pelas cachoeiras. E tinha a promessa de uma quinta queda d’agua a descobrir. O destemido Elson seguiu e pediu a todos para aguçar os sentidos para ouvir a cachoeira desconhecida. Nem precisou.  Depois de uma boa ladeira fechada fomos cair certinho nela, tínhamos descoberto uma nova cachoeira e ainda iríamos para mais quatro!
Agora a trilha da Cachoeira Urubu é a “Trilha das 5 Cachoeiras”. Batizamos a cachoeira de “João e Maria”, uma justa homenagem aos bebês gêmeos de Serjão, vale à pena o esforço. Todos a experimentaram, mesmo com o perdidão de alguns que desceram ribanceira abaixo e precisaram retornar para desfrutar da cachoeira.

Trilha 7 Maravilhas da Linha Verde IV

Bom, vamos lá !!! Já cansei só de lembrar da Trilha as 7 Maravilhas kkkkkkk Tudo começou com uma vontade de pedalar com o Mural, por está sempre acompanhado pelo site a excelente  cobertura das trilhas e expedições e foi despertando cada vez mais o interesse de fazer parte dessa tropa e vestir a armadura do mural, até que participei pela primeira vez no CTM Alphaville e já fiquei super entusiasmado pela forma que a Sabrina, Elsão e o grupo me acolheram, e mais encantado ainda por termos entrado em Pituaçu a noite e foi simplesmente fantástico. Ai falei para mim mesmo, tenho que fazer parte dessa poooorraaaa!!!!! O espírito de aventureiro e liderança de Elsão é fantástico, motiva qualquer um !!!!!!!!!!!!
Até que decide participar da trilha  AS 7 MARAVILHAS nos 49 minutos do segundo tempo da noite anterior, não consegui nem dormir de tanta ansiedade kkkkkkk Até que as 6:55 hrs chegamos em Costa do Sauípe preparamos as magrelas e partimos para mais essa aventura. Logo nos primeiros 5 km logo falei QUEE PORRAAA É ESSAAA =OOO , o arrependimento começou a bater kkkkkkkkkkkkkk Arreal demaaaaaaais, ladeira que só a porra (cada ladeira mais inclinada e extensa que a outra) e vinha o desespero de ainda faltar mais de 60 km pela frente de pura paulera !!!
O espírito aventureiro falou mais alto, e a motivação da equipe e principalmente do Leo me ajudaram demais a conseguir chegar em Itanagra exatamente ás 11:37 hrs, depois de ter subido 1000 ladeiras, ter passado por 500 arreais, pulado umas 5 porteiras e cercas kkkkkkkkk as pernas estava só o pó e eu só a pacote.
Logo quando entramos na cidade e fomos para o restaurante almoçar, quando me deparei com a Vila do Chaves kkkkkkkkk E o restaurante fica lá dentro onde saboreamos um delicioso banquete. Eu já comi feijão de caldo gostoso, mas aquele estava de PARABÉNS KKKKKKK Também não podemos esquecer a pimenta que agradou a todos. Estava tudo lindo e maravilhoso até que o Leo foi contar a história do assalto no Rio de Janeiro, ai pronto, acabou a paz e o sossego kkkkkkkkkkkkk O debate transformou o restaurante na câmara dos deputados, na Secretaria de Segurança pública, até as pesquisas e índices do IBGE foram para a mesa. Só que a coisa ficou séria quando tocaram no nome da Tia Dilma, e no PT KKKKKKKK
Parte do grupo, inclusive eu foi logo para o meio da vila do chaves descansar deitando em um confortável chão de cimento,  o chão estava tão confortável para o meu estado físico e mental que estava dando de 10 x 0 na minha cama kkkkkkkk Muitos urubus estavam rodando tão baixo que pensou que tínhamos morrido kkkkkkkk Só estavam esperando os corpos federem para nós saborear kkkkkkkkkkk
Depois de tirar a velha perereca depois do almoço, partimos em baixo de um Sol escaldante que estava sapecando o juízo e cozinhando o feijão na barriga, a cada 10 metros percorridos era um sufoco. Mais fomos pedalando, pedalando e pedalando, atravessando pastos, até que quando a energia estava para acabar, um delicioso banho de rio para recuperar as forças, para mim foi a melhor parte do percurso, deu trabalho para sair de dentro, apesar da água está TRINCAAAAANDO kkkkkkkkkkkkk

Lançamento da Expedição 2016

Depois de muita expectativa, foi revelado na solenidade de lançamento o destino da nossa próxima grande aventura, a EXPEDIÇÃO TITICACA - BOLÍVIA E PERU, com passagem pela extraordinária ESTRADA DA MORTE com seus 64km de downhill. Esse destino promete vivermos muitas emoções com paisagens e desafios espetaculares, será surpreendente! 
Aproveitamos para agradecer ao RESTAURANTE CASA VERDE por abrir suas portas para mais esse evento do Mural de Aventuras e os parceiros BEST BIKE SHOP, MAIS BIKE e RAMIRO BIKE SHOPP que apoiaram a realização do bingo com a disponibilização brindes muitos legais e que todos estavam ansiosos para ganhar, rsrsrs.
Logo em breve as inscrições para a expedição serão abertas, fiquem atentos pois as vagas são limitadas!
“Se quer chegar rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá com o Mural de Aventuras!”
Bora Mural!

Novo Muralista: Jonathas Guimarães Farias Gomes

Bem-vindo ao novo Muralista: Jonathas Guimarães F. Gomes.
Em breve atualizaremos a página "Muralistas" com a foto do mesmo de uniforme padrão!

Trilha na Fazenda Real

Esta é minha primeira trilha com o Mural de aventuras e foi exatamente daquele jeito: “A primeira vez a gente nunca esquece”.
Sempre que é lançada uma nova trilha no calendário do Mural, a expectativa é muito grande e a da Fazenda Real não foi diferente, principalmente por ser a primeira vez neste local. Bastou abrir as inscrições e em algumas horas todas as vagas estavam preenchidas e iniciada a lista de espera. Foi criado então o grupo temporário do whastapp para início da resenha entre os inscritos, por outro lado, uma galera rezava para alguém desistir e pedir para sair.
No dia da trilha a diversão iniciou no ponto de concentração. Os que pediram para sair sofreram com as resenhas, Cerca não libera um, até hoje dou risadas quando lembro dele imitando Arthur. Resenha garantida também para os atrasados, estes deram sorte porque desta vez teve tolerância, Jean “TACALIPAU” chegou parecendo que ainda estava dormindo e Guga já está com fama de atrasadinho.
Após a chegada de todos partimos para a Fazenda Real, chegando lá mais uma resenha, engarrafamos o acesso da fazenda, pois para entrar foi necessário fazer cadastro e puxar antecedentes criminais, etc., sacanagem a parte, mas deu tudo certo, ninguém foi barrado.
Iniciamos a trilha por volta das oito horas, o tempo estava muito bom, com sol não muito quente.  O local é maravilhoso, muitos trechos arborizados dando um tom especial para a nossa aventura, mas trilha boa tem que ter terra e lama e não faltaram trechos assim. O percurso mapeado por Mario ficou muito bom, principalmente para os iniciantes como eu, passei por alguns trechos com dificuldade mais consegui fazer uma boa trilha, sem quedas desta vez...e por isso não posso deixar de relatar que nosso anfitrião Mário resolveu comprar outro terreno na Fazenda Real, ainda bem que foi em local bom (risos).
Durante o percurso, a turma do mural não deixou passar nada. A galera arranjou obstáculos para incrementar o desafio, com direito a descida por uma mata fechada e colada com um muro em construção, todos brocaram, mas o destaque do dia vai para Sabrina que subiu um paredão deixando os marmanjos para trás ... acho que Elsão não dormiu nesse dia (risos), foram várias tentativas e ninguém conseguiu superar a única Muralete desta trilha. Em seguida fizemos uma parada no Lago da fazenda para descansar e resenhar, acredito que até hoje Cerca está tentando entender a piada que Kadjon contou (risos).

Trilha no Parque de Pituaçu

Após 101 dias da expedição, eis que ressurge Lucas numa trilha do Mural, como alguns devem ter pensado não foi devido ao cansaço, pois a viagem foi maravilhosa e aconselho para todo muralista participar de uma expedição, mas devido a estudos estou ausente nos pedais, mas vamos ao que interessa.
Finalmente no dia 09/04 teria uma folga para ir para trilha do Mural, mas quando olhei no calendário não tinha trilha, então marquei para pedalar em Pituaçu com um amigo que está começando. Durante a semana verifiquei que foi agendada uma trilha, coincidentemente em Pituaçu. Logo uni o útil ao agradável, pedalar com o Mural e fazer a inclusão de mais um no pedal.
Agendado o bonde da Pituba com Cerqueira e Foltz partiu Pituaçu, lá nos encontramos com Rei, Seu Sérgio, Jean e Alex (meu amigo). Na resenha antes de começar o pedal descobri  o motivo pelo qual não teria trilha naquele final de semana, nosso chefe estaria no “Paradise” em busca de novas inspirações para o Mural de Aventuras, mas Rei, juntamente com  Cerca, nosso mais novo CORDENADOR decidiram fazer a trilha.
Fizemos uma volta no trajeto principal incluindo as trilhas internas, pensei que Alex não iria aguentar, mas ele conseguiu, no tempo dele é claro. Quando entramos na trilha que leva a pista de pouso de ACM (segundo Foltz), troquei de biclicleta com Alex para dar uma forcinha a ele, e durante a volta ele percebeu que tinha perdido meu ciclo-computador, para sorte dele voltamos para procurar enquanto ele descansava, coca cola garantida. Durante o percurso encontramos outros bikers nas trilhas. Quando passamos pela barragem, Seu Sérgio trocou de capacete e foi verificar a obra.
Em breve estarei de volta aos pedais juntamente com a família Mural. BMMP. Lucas Rocha.