2° Dia Ciclo Aventura Costa do Descobrimento: De Cumuruxatiba a Caraíva

Sou eu mesmo Kichute, rsrsrs, que inicia essa narração, pois um "serhumaninho" que não vou citar o nome...... não fez a resenha e sobrou pra mim essa responsabilidade de não termos nossa belíssima aventura divulgada!! Após uma noite bem dormida, e um café da manhã reforçado, iniciamos o nosso segundo dia da Ciclo Aventura Costa do Descobrimento, na aconchegante "Pousada Luana" em Cumuruxatiba. Como a pousada está localizada na parte superior do vilarejo, dispunha de uma linda vista para o mar, que não poderíamos perder de registrar nossa passagem. Tiramos algumas fotos e partimos em direção à Corumbau e posteriormente Caraíva, com aproximadamente 30 kms de pedal. Após alguns quilômetros de estradão, nos deparamos com uma tribo indígena local, que desta vez (não sei por que) não estavam disponíveis para fotos e para falar um pouco da sua cultura (como ocorrera na edição passada). Afinal, estávamos fazendo a mesma rota que nossos colonizadores fizeram, e não teria a mesma emoção se não encontrássemos os protagonistas da nossa história, e primeiros habitantes nativos da nossa terrinha.
No caminho, lindas paisagens de falésias com o mar azul esverdeado complementavam o visual, até chegarmos à praia de "Imbassuaba". Como é uma propriedade privada gostaria muito mesmo, de ser o feliz proprietário daquela parte de terra com visual magnífico. Até filmagem rolou e algumas poses para fotos. Com mais alguns quilômetros de pedal na beira do mar, avistamos "Corumbáu" uma ponta semelhante a de uma baía, com águas esverdeadas, e um recife de coral formando pequenas piscinas naturais, que convidavam qualquer turista a se banhar.
Paramos para hidratar (kkkk, nem preciso falar né), comer alguns tira gosto e mais tarde almoçarmos. Nesse meio termo, mais uma vez volto a lembrar a "vibe" dessa galera... Estávamos em um barraca de praia tranquila, com algumas famílias relaxando, e após alguns olhares curiosos dos que ali estavam, nos tornamos celebridades por um curto período...rsrs. Após tirarmos uma fotos com alguns fãns (kkkk, brincadeira), cheguei a uma conclusão de que as pessoas se "amarram" na maneira que fazemos nossas viagens, se deslocando por grandes distâncias com nossas bikes e sem nenhum carro de apoio! Isso sim é aventura meus amigos!!!
Final de tarde se aproximando, precisávamos atravessar mais um encontro de rio com mar, era o final de Corumbau se aproximando, mais o início de mais uma tortura na qual passaríamos após essa travessia, para chegarmos o paraíso chamado "Caraíva". Após a travessia do rio em pequenas canoas, logo nos deparamos com um estrada (MENTIRA.... não era estrada!!!KKKK) e sim um areal  de aproximadamente 5km, boa parte empurrando as bikes e em alguns momentos pedalando. Essa foi a parte ruim, mais que curou as cervejinhas tomadas, e nos levou até a estrada principal que nos levaria ao nosso destino.

Trilha Guasap - Não Aguasap

Tudo começou na noite anterior ao dia da trilha quando fui para Itacimirim para ficar mais perto do local de encontro que seria em Guarajuba. Logo na viagem o cacau caiu sem piedade sem contar que já tinha chovido 7 dias sem parar, até sugerimos fazer a alteração do nome da trilha de GUASAP para ÁGUASAP OU LAMASAP kkkkkkkkkkkk
Acordei às 05:00 hrs e as 06:00 hrs eu e JP saímos de Itacimirim e fomos para Guarajuba já pedalando e esquentando o motor (9 km) kkkkkkk Chegamos lá estavam quase todos no ponto de encontro e Pai de família chegou logo depois. Bom partimos para a ÁGUASAP atravessamos Monte Gordo e seguimos rumo ao nosso destino que não era muito definido kkkkkkkkkkkk No meio do caminho encontramos umas 1000 placas informando sobre uma tal Prainha Cantinho do Pescador (Pense num Marketing forte kkkkkk) até que chegamos bem no trevo onde tinha a descida para o Cantinho do Pescador e perguntamos dois nativos da região e falaram que daria mais ou menos 6 km só a ida, fora a volta que seria pelo mesmo rastro, o espírito aventureiro do Mural falou mais alto e despertou o interesse de conhecer o tão divulgado Prainha Cantinho do Pescador. No Meio do Caminho uma parada para subir para a uma belíssima paisagem da Barragem STª Helena onde tivemos grande dificuldade de chegar mas valeu apena pois tiramos belíssimas fotos para o acervo do Mural.
Voltamos e continuamos rumo a Prainha que não chegava mais, atravessamos uma pequena vila de nome desconhecido e perguntamos sobre a prainha e lá vamos nós continuando com um só objetivo, chegar na prainha kkkkkkk Não foi preciso nem preciso perguntar sobre a localização pois a cada 5 metros tinha 10 placas kkkkkk Até que finalmente chegamos a tão esperada Prainha Cantinho do Pescador e com aquela belíssima paisagem as margens da enorme Barragem STª Helena com águas transparentes. Fomos recebidos pelo proprietário do local o gente fina Zé do Bico kkkkkkkk  Onde recebeu o Mural super bem com um excelente serviço e simpatia. Ficamos por lá curtindo um som e hidratando até que nos despedimos do Zé do Bico e tivemos que voltar e partimos. Na saída fizemos um mini perdidão para chegar às antenas e deparamos com um visual deslumbrante e pegamos uma descida do morro das antes de tirar o fôlego onde Ito se empolgou e já subiu outro e desceu rasgando pelo meio dos matos kkkkkkkkkkkkk Seguindo o caminho de volta no meio da estrada encontramos com um simpático macaquinho kkkkkkkkkkk que estava se debatendo todo preso no arame farpado pelo rabo, e o mural se juntou para bolar uma estratégia de regate do nosso amigo macaco kkkkkkkkkkkkkkkk Elsão tentou e nada, mas Ito com toda sua técnica conseguiu soltar a vítima e ele saiu a mil por hora pelo meio do mato com medo de ficar e virar um delicioso aperitivo ou um churrasquinho para os integrantes do grupo que ali estavam kkkkkkkkkkkk Super famintos.

1° Dia Ciclo Aventura Costa do Descobrimento: De Prado a Cumuruxatiba

Após uma longa e cansativa viagem de quase 15 horas de ônibus, chegamos à Eunápolis, onde já estava nos esperando Luiz com sua doblo e uma carretinha (detalhe: não era apropriado para o transporte das bikes) ai vocês já imaginam o que aconteceria no percurso de mais 1h até Prado (isso mesmo...rsrs!!! Foi um festival de bikes sendo chacoalhadas, alguns arranhões, e mais algumas paradas pelo caminho para arrumar as bikes).
Iniciaríamos nossa ciclo aventura em Prado com destino à Cumuruxatiba, que fica à cerca de 42km. Galera...o mais engraçado, foi após chegar em Prado, debaixo de um tempestade daquelas, todos imaginando os quatro dias pela frente com chuva e o tempo naquelas condições!!! Mais a energia do Mural e seus participantes é tão legal, que após 20 minutos que chegamos no posto de gasolina (onde trocamos de roupa e preparamos as bikes), a chuva passou e o "solzão" começou a brilhar.
Demos um pequeno passeio pela cidade, e partimos para nosso destino pegando um estradão com algumas subidas leves. Não demorou muito para começarmos a contemplar os mirantes na beira da estrada que nos presenteavam  com um belo visual de praia com falésias de cor avermelhada ao fundo. As expectativas dos visuais que tinha na minha cabeça começaram a vir à tona. Que lugar bonito... e era só o início da nossa aventura.
Após alguns quilômetros percorridos, paramos na Praia do Tororão que possue um barraca de praia com um quiosque, que logo foi apelidada de "quiosque do mural, devido à turma da ciclo aventura passada ter parado no mesmo local. Começamos a nossa hidratação com apenas uma caixa de cerveja, e meio litro de uísque!!! É isso aí meeesssmooo!!kkkkkk. Para todo sofrimento tem que ter uma recompensa não é verdade?
Terminamos por almoçar no local, e não demorou muito para nos dar conta que já estávamos no final da tarde e precisávamos partir. É nesse momento que  iniciamos a o nosso pedal, que percebo que estou pedalando bêbado!!kkkkk!! Que sensação maravilhosa...pedalar curtindo o visual, os amigos, mais a cachaça iria me cobrar um preço por isso! E não demorou muito, para o pneu de NiNo furar, e termos que parar para consertá-lo. Foi nesse momento que aconteceu uma das cenas mais engraçadas da viagem...eu me toquei que não era só eu que estava doidão!!!kkkkkk!! Um dos integrantes (que não posso divulgar o nome)rsrs, ao tentar ajeitar sua bike e abaixar a cabeça, terminou dando de cara na terra (e pra levantar ainda deu um trabalho danado)kkkk. Só o vídeo que temos, pode transmitir com mais ênfase esse momento hilário!

Pedal de Aniversário

Ainda próximo ao dia do meu aniversário pensava em não fazer nenhum tipo de comemoração, iria apenas fazer um pedal sozinho e rápido até a Igreja do Senhor do Bonfim para agradecer por mais um ano de vida. Sendo assim, o calendário do Mural, acostumado a ter suas aventuras marcadas aos sábados, estava em branco no dia 09 de julho.
Foi aí que veio a ideia de chamar a família Mural de Aventuras para uma aventura diferente, isso porque iríamos pedalar grande parte por asfalto nas ruas de Salvador e depois no final comermos uma “Vaca Atolada” em comemoração.
O encontro foi marcado às 9h no Farol da Barra, acordei ansioso, parecia que era a primeira vez que estava saindo para pedalar. Logo quando cheguei ao andar térreo do meu prédio, passaram alguns Muralistas na rua com o grito de “Bora Mural!!!”, meu coração disparou! Rsrsrs. Ali pude perceber que o dia seria de muitas emoções...
No caminho encontrei com Israel e Mineiro e ao chegar no Farol lá estavam muitos Muralistas já presentes. Como é bom receber carinho! Aquela era a minha galera!!! Huhuhu!!! Fizemos vários fotos com o Farol ao fundo, depois atrás dele e partimos para mais uma parada e fotos no Cristo. Claro que com o desafio de subir pedalando sua íngreme ladeira, ao estilo do Mural, rsrsrs. Depois seguimos para o Alto de Ondina, e pedalamos pelas trilhas do canteiro central da Garibalde, muitos não imaginavam que isso era possível...rsrs.
O próximo destino passou a ser a Colina Sagrada, chegando da Igreja do Senhor do Bonfim, fui agradecer ao senhor e fizemos mais fotos. Fiquei ainda mais feliz com o canto de parabéns, uma surpresa feita por todos, foi emocionante!!!
Ao sair da Igreja, descemos um ladeirão e por sorte, quando começou a chover forte, observei um bar aberto. Literalmente invadimos o estabelecimento! Rsrs. Todos estavam bastante animados, em poucos minutos foi “engolida” quase uma caixa de cerveja em garrafa, que por sinal estava super geladaaaaa!!!
Logo que a chuva deu uma trégua, partimos a mil... Perto de chegar no comércio, caiu aquela chuva!! Não podia ser melhor!!! O espírito do Mural aflorou, foram muitos gritos de “Bora Mural”!!! Enquanto isso a brocação só fez aumentar... Huhuhu!!! Aquela chuva foi para lavar a alma, emocionante ver um grupo com tanta identidade comum!!! Não podia ser melhor meu presente de aniversário!!!

Trilha Boca da Mata - A Fazenda Proibida

Dia 18 de junho as 5:50h, começou minha aventura com o Mural, depois do ponto de encontro no Rei da Pamonha, fomos realizar a trilha do New da Boca da Mata. 
Começamos pelo acostamento da BR 324, em seguida entramos na trilha acompanhado de uma leve chuva. A trilha começou com um belo visual logo na primeira parada ao lado de um rio, a sensação pra mim e todos foi de paz, um lugar muito bonito, apesar do rio seco. A próxima etapa da trilha foi atravessar uma cerca com arame farpado, aliás, isso foi uma constante durante toda a trilha, inclusive por cerca elétrica, haja emoção!
Dando continuidade, paramos em um bar pra beber a famosa coca-cola e como eu era o novato, tive que pagar pra galera. Depois iniciamos o segundo trecho da trilha com algumas subidas e descidas, além do perdidão, que com a ajuda do GPS conseguimos achar o caminho, evitando entrar na fazenda proibida.
A trilha do New Boca da Mata foi show, não tivemos nenhum MIMIMI, nenhuma bike quebrada e nem pneu furado, terminando a trilha em tempo recorde!

Enfim, chegamos ao Açai da Bahia, onde iniciamos e finalizamos nossa aventura com o Mural. Até a próxima! Arquimedes Nascimento (Pai de Família).