1º Dia - Desafio da Serra da Jiboia 15: Da Fazenda a Santa Teresinha

Caminhando pelo Recôncavo Sul da Bahia, a noroeste do município de Santo Antônio de Jesus, bem perto de Amargosa, encontramos o maciço serrano da Serra da Jiboia. Ele está localizado no meio de cinco municípios: Elísio Medrado, Santa Teresinha, Castro Alves, Varzedo e São Miguel das Matas.
A Serra da Jiboia é parte da cabeceira de quatro bacias hidrográficas, abriga mais de 40 nascentes permanentes ou intermitentes, formando cerca de 15 riachos, os quais alimentam quatro rios importantes na Bahia: rio da Dona, rio Jaguaripe, rio Jiquiriçá, e rio Paraguaçu.
E porque Serra da Jiboia? O mais provável é que o nome tenha vindo do formato da Serra, mas os índios, por sua vez, chamavam a serra de Guarirú, que significa depósito de água.
Infelizmente, presenciamos muita degradação da natureza, principalmente, por conta do desmatamento. Ele ameaça a biodiversidade da vegetação, o abrigo dos animais e diminui a disponibilidade e qualidade de água. Historicamente esse desmatamento foi causado pelo plantio de fumo e de café, hoje o principal responsável e a criação de gado.
Depois desse breve histórico vamos a brocação!

Fase 1 Euforia: Queríamos chegar logo, viajamos na sexta no Mural Móvel, em direção a fazenda onde nos hospedaríamos, localizada em Santo Antônio de Jesus, Eu, Ito e Elsão. Fomos recepcionados com um jantar maravilhoso, nada melhor que uma comida caseira feita com amor, Dona Neide sogra de Elson, nos recebeu como reis.
Depois de uma boa noite de sono, e um café da manhã reforçado iniciamos o desafio. Partiu Serra da Jiboia... a brocação já começa no início, com um single de uns 150mt e no final um pequeno lago, pra começarmos o dia molhados... já dava pra imaginar o que nos esperava pela frente.. Começamos a subir pelos estradões de barro, e eu imaginando porque que a serra não chegava... quando finalmente chegamos ao seu início já estávamos cansados eu e Ito, Elson não esboçava nenhum cansaço, deve ser um extraterrestre.
Fase 2, o arrependimento: Depois de alguns poucos km dentro da mata, já subindo a serra, percebi que a Jiboia engoli qualquer um que não esteja devidamente preparado, digo isso, pois já estava sem forças para equilibrar a bike, e estávamos apenas começando. Me perguntei em alguns momentos, o que viemos fazer aqui? e pra tirar esse pensamento e não perder as forças, comecei a imaginar como seriam as descidas. Empurramos as bikes por quase 1h subindo, foi quando chegamos ao pico das samambaias.  Nesse momento já estávamos esgotados, paramos para tirar umas fotos e cantar os parabéns da Muralista Manu.
Mas como tudo que sobe desce, veio a recompensa, um downhill fantástico, uma coisa louca, inexplicável, buracos, valetas, arvores, brocação em alta... foi quando comprei meu primeiro terreno, acabei escolhendo o caminho errado e não consegui fazer a curva, ainda bem que a vegetação amorteceu minha queda, a descida era tão longa que de tempos em tempos tínhamos de parar para reagrupar. A brocação continuou, até que chegamos ao bar da farofa... Ufa já estava exausto, sem energia, a farofa me salvou.. Comemos, bebemos e partiu.. subimos, subimos, subimos, subimos mais um pouco, o desespero já tomando conta da mente... continuamos subindo.. um sol de lascar... mas como tudo que sobe uma hora desce, começamos a descer, primeiro um single dentro da mata, onde comprei meu segundo terreno, essa queda foi cinematográfica,  depois o estradão em direção a Santa Terezinha, minhas mão já estavam dormentes da trepidação, brocação em alta, muita emoção. Paramos para o último registro e chegamos a santa Terezinha, famintos. Fomos recepcionados na pousada Estalagem Serra da Jiboia pela Sra. Luciana, cerveja gelada, piscina, era chegada a hora de relaxar.
Fase 3, a superação: Esse foi apenas o primeiro dia de emoções, e o sentimento de ter alcançado os limites do corpo e da mente não têm preço. A Serra é implacável... só recomendo para os fortes... levo dessa experiência a emoção de chegar ao limite, onde a mente vence o cansaço, onde a vontade de chegar vence a de desistir, onde os amigos se motivam e se unem... A Jiboia é fantástica.... Bora Mural!!! Willyam Rocha.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR



























































































































































2 comentários:

Willyam Rocha disse...

Uma das aventuras mais emocionantes com o Mural...

Rogério Fernandes disse...

Parabéns aos três aventureiros, e pela bela resenha Will! Esse desafio foi superado "por amor e pela dor", mas o importante é o resultado final, a satisfação, a energia e as lembranças que ficam impressas na memória. Show!!!!