Ciclo Aventura na Costa do Dendê - Dia 01 (Valença / Galeão / Gamboa / Morro de São Paulo / Guarapuá / Boipeba)

Todos chegamos no Farol da Barra tal como combinado, às 19:30h. Com muita ansiedade, aguardamos a Van, que chegou alguns minutos atrasada e apenas serviu para aumentar as expectativas. As bikes foram matematicamente organizadas na Van, nos acomodamos e partimos! Quando me dei conta, já estávamos em Valença, dormi a viagem toda, heheheh...
Chegamos no hotel por volta da meia noite. Todos estavam famintos e Fred se adiantou logo pra pedir aquilo que seria a melhor pizza da cidade... pena que só seria, mas não foi! A fome faz milagres e todos comeram, mas daria pra melhorar.
Depois de uma excelente – em que pese curta – noite de sono, tomamos um café da manhã reforçado com muito aipim, entre outras guloseimas (em que Ricardo devorou uns 800 gramas de manteiga), e partimos para nossa aventura!!! Passávamos e a cidade inteira olhava curiosa pra saber o que aqueles oito aventureiros faziam por ali.
Era meu aniversário, 6 de abril, em que completei 26 anos e pedalei muito! O cansaço no fim do pedal não poderia ter sido mais gratificante, ratificando a minha felicidade por poder estar sobre duas rodas com essa galera massa!
Fomos até o porto e, com a autoridade de Muralistas, alugamos uma lancha rápida que nos levou até Galeão, onde daríamos muita risada ao ouvir as histórias da Caipora, contadas por Kailane, uma linda menina que 9 anos de idade, que falava de modo muito espontâneo e encantou a todos, vejam o vídeo!
Em Galeão ainda subimos até a Igreja, que fica no ponto mais alto do lugar (começamos esquentando as canelas!!!) e tem uma vista maravilhosa, um verdadeiro mirante natural. As crianças logo se aglomeravam atrás das bikes para matar sua curiosidade sobre o que seriam aqueles oito homens “fantasiados” em suas bicicletas arrojadas. A prosa ficou boa quando descemos e íamos pegar a estrada pra Galeão. Ali, um grupo de cerca de dez crianças se reuniram pra assistir a gente passar, mas não passamos, resolvemos parar e valeu a pena. Ouvimos histórias das lendas locais, como a da Caipora, que segundo Kailane poderia nos enganar em nosso caminho, fazendo com que nos perdêssemos, fazer com que Luiz parecesse ser Reinaldo, e que nenhuma das crianças ousava ir só pra Gamboa por aquele caminho que pegaríamos justamente em razão da Caipora.
Depois de rirmos muito, fomos embora com os pensamentos na Caipora. A Caipora agiu cedo e nos colocou em um areal que eu jamais tinha enfrentado em uma bike, mas que teríamos que vencer por 15Km. Pra tentarmos fugir do areal, pegamos um caminho em trilha fechada que fizemos com prazer, mas que nos levou ao mesmo lugar, demos volta (olha a Caipora enganando!)
Não tinha jeito, tínhamos que ir pelo areal. E aí começou a maratona de pedalar, empurrar, empurrar, empurrar mais um pouco, tentar pedalar, empurrar de novo, esforçar pra pedalar... até que o câmbio dianteiro de Elsão deu problema e tivemos que parar. Ricardo e Gil agradeceram enfaticamente e disseram que poderíamos levar bastante tempo consertando o câmbio de Elsão porque eles não se importavam. De fato, Ricardo e Gil, patrocinados pela Caloi, levaram um 20 quilos desnecessários em seus alforjes que somados ao peso das suas bikes lhes levaram ao cansaço extremo!
A partir daquele momento, Elsão passou a pedalar apenas com a coroa do meio, o que dificultou pedalar no areal, rsrs... mas não foi obstáculo para darmos continuidade à expedição.
Os 15Km de Galeão a Gamboa eram sem fim, até que, em um momento que paramos pro lanche, passou um grupo de quadriciclos, que paramos e perguntamos se estávamos no caminho correto (porque nem isso tínhamos certeza!). Sim, faltavam 5Km pra chegar a Gamboa. E lá fomos nós, vencemos aquele trecho com garra e nos vangloriamos com uma deliciosa coca (JÁ ESTÁ MAIS QUE NA HORA DA COCA NOS PATROCINAR), outros com uma gelada e ainda sorvete.
Saímos de Gamboa para Morro de São Paulo, pela praia e tivemos o prazer de vivenciar uma das mais lindas vistas do passeio. As bikes sofreram com tanta água salgada e em outros nós sofremos carregando as bikes nas costas pra passar em meio a pedras e mar. Contávamos com a possibilidade de tentar “escalar” montados na bike a ladeira na entrada de Morro de São Paulo, mas é proibido pedalar ali e não pudemos fazê-lo.
Ficamos pelo menos uma hora parados debaixo da amendoeira que se encontra na passagem para subir para o farol do morro, enquanto aguardávamos Fred tentar solucionar o ocorrido com sua câmara de ar. Curiosamente, a câmara reserva que ele elevou era pito grosso, ou seja, não serviu de nada! E teve que conseguir uma emprestada com o coordenador.
Passamos pela linda vila e pela segunda praia de Morro de São Paulo, quando entramos para o “caminho do zimbo” e começamos a pedalar em direção a Guarapuá. Pegamos a praia com a maré já bastante cheia, mas isso não nos impediu de pedalar e de atravessar alguns lugares com as bikes nas costas e água na cintura!!!
Finalmente, deixamos a praia, cuja maré cheia já não nos permitiria pedalar mais, e pegamos uma estrada – ou aquilo que deveria ser uma estrada, mas se resumia a areia, muita areia. E quando parecia que a areia estava acabando, porque passamos por um pedaço de mata de 20 metros, tinha ainda mais areia... o jeito foi tentar pedalar em meio à vegetação baixa que parecia querer furar os pneus e, vez ou outra, tentar pedalar na areia, fazendo um esforço descomunal.
Muito cansados depois de horas tentando pedalar na areia e com alguns já sem água, chegamos em Guarapuá na Barraca do Capitão Pipoca. Separamos uma briga iminente entre Pipoca e uns argentinos que estavam reclamando da conta e pedimos a nossa refeição já por volta das 15 ou 16h. Uma moqueca deliciosa e um peixe frito inteiro... não sei se pelo cansaço ou pelo paladar mesmo, mas estava tudo muitíssimo delicioso.

Depois, descansamos até a maré baixar e pedalamos pela praia à noite, sob a luz do luar de uma das mais belas vistas da Lua Cheia que já tivemos, até Boipeba, em um pedal tranquilo, mas rápido, seguido da travessia do rio de barco e, finalmente, Cama, chuveiro, descanso!!! E a vontade de fazer tudo de novo! Foi um aniversário ímpar! Luiz C. Assis Jr.

VEJA O VÍDEO ABAIXO, LIGA O SOM!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
































































































































12 comentários:

Anônimo disse...

Valeu Luis!!! Maravilhosa lembrança dessa espetacular aventura. Saudade dos ótimos e exaustivos momentos desse pedal indescritível. As imagens já dizem bastante, mas parabéns pela resenha. Ficou massa!!! Abcs, Ricardo Lima.

Ricardo Lima disse...

Luis, ficou massa! Saudade dos momentos maravilhosos e exaustivos desse pedal indecritível, apesar de vc ter feito uma resenha porreta. As fotos dão apenas uma idéia das imagens e sensações que experimentamos. Show!!!!!!! Abcs, Ricardo Lima.

Rodrigo disse...

Simplesmente demais!!! Vendo o vídeo viajei com vcs!

Rodrigo

Ed Bala disse...

Paraíso... Com certeza desse ter sido inesquecível Parabéns Mural! E Rei fez Sucesso com os baixinhos.

Luiz C. Assis Jr. disse...

Acabei de ver todas as fotos e assistir ao vídeo... sem palavras! Foi emocionante estar lá e agora a emoção de relembrar.

Forte abraço a todos os amigos do Mural!

Ramster disse...

Que pena que não pude ir este ano, pois o local é realmente paradisíaco.
Pedalar, degustar das iguarias da região, apreciar a paisagem e ainda com a turma do MURAL DE AVENTURAS? Isso realmente não tem preço.

Muito legal a resenha, o vídeo e as fotos, Valeu galera do MURAL DE AVENTURAS.

"DINHEIRO NÃO COMPRA FELICIDADE...MAS COMPRA UMA BIKE, QUE É QUASE A MESMA COISA!

welseman disse...

Luiz, Nota 10! Sul da Bahia, em breve estaremos novamente na área... Abraço galera!!!

Miguel Angelo ((itabatam) disse...

valeu luiz carlos jr. , muinto bom o trajeto e a galera tambem, visite os seus conterraneos aqui do extremo sul(itabatam) no
www.boobikers.blogspot.com.br , luis carlos pai esta lá abraços
dr. Miguel

Anônimo disse...

Estas aventuras estarão conosco até os nossos netos. Muita historia e estorias para contar. Valeu pela resenha Luiz. Só dando a César o que é de César, quem gentilmente me socorreu com uma câmara foi o falador Wel (valeu mais uma vez). As imagens ficaram excelentes, como sempre velho Elsão. Foi muito bom estar lá com vcs. Abraço a todos. Fred

SÉRGIO LUZ disse...

PARABÉNS A TODOS OS MURALISTAS QUE PARTICIPARAM DESTE GRANDE EVENTO! ESPETACULAR ESSA NOSSA BAHIA! AS CRIANÇAS ACRESCENTARAM A BELEZA DA AVENTURA!!!

JOSA disse...

Rei, foi voce que levou o fumo pra caipora?

Claudiney Souza disse...

se o 1ºdia foi assim imagin os demais perfeito esse pedal