6° Dia da Expedição no Deserto do Atacama (Machuca - Turipite - Guatín - San Pedro de Atacama)

Após um dia de pouco pedal, mas muito sofrimento por causa do frio, iniciamos o 6˚ dia o qual seria um dos dias mais divertidos e cheios de adrenalina da Expedição. Decidimos explorar o belo caminho que nos levou no dia anterior aos Geisers Del Tatio e que apenas admiramos de dentro do ônibus.
Contratamos a agência Vulcano Expediciones para um transfer que nos deixou na vila Machuca de onde começamos a aventura. Logo na manhã, chegou com um furgão, colocamos nossas bikes e partimos para mais de 3.000 metros de altitude. Chegamos pouco depois das 10 da manhã, nos preparamos, mas antes de partir deixamos nossa marca: o adesivo do Mural de Aventuras registrando oficialmente nossa passagem. Como neste ponto da vila a estrada principal estava em obras e os carros passavam por um caminho alternativo, pedimos autorização para seguir pela estrada principal e assim evitar o máximo possível encontrar com outros veículos.
Seguimos pela estrada onde ao lado haviam lagos congelados, montanhas espetaculares e a interessante fauna da região, principalmente as curiosas lhamas, vicunhas e guanacos. Mesmo que no geral o caminho entre Machuca e San Pedro fosse descida, havia muitas ascensões para cada intervalo de longas descidas, o que exigia grande esforço por causa do ar rarefeito. Quando realmente chegamos ao ponto das grandes descidas o espírito aventureiro tomou conta de todos e decidimos descer o máximo que conseguíamos em alta. É interessantíssimo como para certos aspectos de nossa vida somos tão cautelosos, mas em outros, no caso de bike, não dá pra ver uma bela descida e deixá-la ilesa. :D Vem aquele sorriso no canto da boca e a lembrança na mente: “Essa eu broquei!”.
Durante as descidas passamos por uma placa que apontava para o lado direito da estrada como o nome “Turipite”. Sabíamos por informação no dia anterior que se tratava de um local em que moravam nativos. Mas da estrada apenas víamos uma ou duas casas com aspecto de abandonadas. Pela curiosidade decidimos entrar e para nossa surpresa valeu a pena. Ao adentrarmos Turipite, encontramos por detrás um belo vale onde haviam pequenas casas, plantações com espantalhos e seus moradores. Foi como se viajássemos no tempo e de repente estivéssemos vivendo em um mundo onde não há vestígio algum de civilização moderna. Apenas aquelas pessoas com um modo de vida tão simples e arcaico. Após admirarmos essa paisagem insólita, retornamos a nossa aventura de bike.
Voltamos à realidade: descidas em alta! Antes de chegar à região de Guatín passamos por uma descida sinuosa, daquelas que só se vê em filme, onde cada curva é limitada por um despenhadeiro e errar não é uma opção... Ao final da estimulante descida paramos num córrego onde pudemos beber a água limpa e gelada que desce dos lagos. Nossa próxima parada foi na região de Guatín para visitar os cactos gigantes e um pouco mais a frente repor as energias.  Guatín é uma região onde acessamos o entroncamento para voltar para a rodovia B-245 que dá acesso a cidade de San Pedro.
Ainda não tinha acabado! Faltava um longo caminho para San Pedro.  Nesse caminho as descidas não eram mais tão íngremes, então percebemos que paralelamente a estrada principal havia trechos de trilha com muita pedra e areia. Foi aí que o espírito brocador falou mais alto e quando percebemos, estamos literalmente rasgando os caminhos de pedra, arriscando nossos câmbios traseiros e deixando aquela poeira no ar. Seguimos um rastro deixado por algum veículo off-road e fomos até o mesmo desaparecer. Adotamos esses trechos paralelos a estrada sempre que possível, foi quando veio uma surpresa macabra: Eis que achamos um caminho de volta para a estrada e algumas placas viradas para o sentido contrário. Quando paramos para ler, estava escrito: “PELIGRO – NO PASAR AREAS DE EXPLOSIVOS”. Aquele pensamento veio à mente: “Eita!”. Entre vivos e não feridos tratamos de voltar logo para a estrada principal. A revelação das placas já fora emoção demais para um dia. Seguimos o restante da rodovia B-245 e terminamos mais um dia da Expedição no Deserto do Atacama. Fomos direto a uma vendinha de bebidas e brindamos com várias cervejas Corona.

Nem é preciso dizer o quanto tiramos fotos e fizemos vídeos espetaculares. Cada trecho mais lindo que outro merecia o devido registro. Vejam abaixo. Marcelo Amorim.

VEJA O VÍDEO ABAXO. LIGA O SOM!
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR








































































































































































































































2 comentários:

welseman disse...

Muito SHOW. Para o Mural, o Céu é o limite!!! Abraço galera e que venha 2013.

Ed disse...

Imagino que gostaram muito dessas decidas! O video ficou show...parabens Mural!Belas fotos.