Trilha do Recôncavo - Cachoeira/Ba

Faço minhas as palavras do poeta... ”Pisa nesse chão vermelho massapê, pisa nesse chão cabeça de nego, se quiser saber o que se esconde atrás dos morros vai ter que subir na torre mais alta pra ver que essa cidade não é minha, essa cidade não é sua, não é de ninguém é de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira...”. 
Primeiramente quero expressar a minha imensa felicidade em fazer a minha primeira trilha como MURALISTA na minha terra e o que é melhor, inédita para o Mural. QUE PRIVILEGIO! Isto posto, vamos ao que estamos esperando, A RESENHA! Sábado 3:00 hs, levantei da cama, não posso dizer que acordei pois se quer dormi, a ansiedade em participar desse momento ímpar mexeu totalmente com meu sistema nervoso. Liguei para André Mandrake às 03h30min, não queria perder a carona, às 4:30hs chega ele acompanhado de Ari e sua trilha sonora (Bruno e Marrone, Alexandre Pires dentre outras pérolas), pegamos Pita e seguimos para o Rei da Pamonha, lá estavam Rei e Elsão prontos para partirmos. 
No caminho a resenha já rolava solta!!! Chegamos em Cachoeira por volta das 07h15min, Hélio nosso guia já estava a nossa espera, não demora muito e chegam M, Serjão, Marcelo e Sabrina do Varal. (adiante vocês vão saber por que do varal) Ah! Não posso deixar de fora o nosso fotografo profissional Vadinho domador de onças!(rsrsrsrs). 
Visto pela primeira vez a camisa do Mural de Aventuras e surpreendentemente me sinto diferente, parece que ganhei uma força a mais, não pedalo mais sem essa camisa! Concentração, pausa para foto na escadaria da Câmara Municipal e pronto, hora de pedalar! Seguimos para a trilha e ainda na cidade a primeira coca, pneu furado do nosso coordenador Elson. Logo de cara foram 5 km de subida no asfalto em direção ao distrito de Capoeiruçu. Depois da subida começamos a andar no estradão de massapê, alguns ficam desconfiados pensando: hum! vai ser só isso?! 
Não demora nada e a trilha começa a ficar emocionante, primeira descida, bobs sobre o trilho, boi assustado pensando quem são esses malucos! Mais algumas subidinhas e um downhill na ladeira de Padre Inácio, inesquecível, principalmente pra mim, a galera desce brocando como de costume e de repente o primeiro lote de terra adquirido e o que é melhor pelo filho da terra, foi o meu batismo como Muralista, Serjão que vinha logo atrás fica preocupado, a queda foi invocada, mas agora que sou Muralista não posso amarelar levanto sacudo a poeira e pedal pra frente! Seguimos para um dos melhores momentos da trilha, após algumas subidas e descidas técnicas um pequeno single track passando por baixo de uma rocha, a grande surpresa que Hélio reservava, Cachoeira da Vila Rial, banho revigorante! Tudo de bom, fotos, a alegria começa a contagiar, a galera se amarrou!!! 
Voltamos carregando as bikes, faz parte! Paramos no Hotel Fazenda, tinha gente que já estava devendo coca, fizeram vista grossa mas Elsão soube contornar a situação e, resolvidos os empasses lá estávamos nós, resenhando, uns bebendo cerveja, outros refri, Pita na água de coco e suquinho de laranja, também depois da queda que o mesmo tomou e ralou o joelho todo só um suquinho mesmo pra aliviar... A partir daí começo a entender “A Emoção dos Desafios”! Seguimos para o tabuleiro da vitória, mais estradão, algumas subidas, minha perna dói um pouco devido a queda, mas sigo no meu ritmo. Logo em seguida mais um momento pra ficar na historia do mural, outro downhill e nosso amigo Mandrake escapa da morte por um fio, o cara tem anjo de guarda forte, não sei como, ele ia bater com a cara no poste em alta, imaginem! Não sei como também, ele conseguiu jogar a bike para um lado e ele para o outro, vale ressaltar que o mesmo estava clipado, ficou lá deitadinho pousando para as fotos sem um arranhão. Agora pasmem a três anos atrás esse mesmo poste tinha sido personagem de um acidente fatal com um ciclista da região. sinistro! 
Chegando na Terra Vermelha todos ficam encantados com a beleza do local, estamos diante da bacia do Paraguaçu, lá em baixo a magia da cidade mostra sua força, simplesmente o encontro das três aguas, rio, mar e mangue. Salve Oxum, Iemanjá e Nanã!!! Axé! Não podia faltar, claro, as fotos! Depois de admirar esse visual um downhill até o mangue, isto somado ao mortal carpado de Elsão! Já eram 14 horas e a galera queria almoçar, dona Didi e Doutor já estavam a nossa espera, só que antes de chegarmos, grande susto! Lembram de Sabrina que citei no inicio da resenha, agora vão saber por que ela se tornou Sabrina do varal! Acontece que depois de outro downhill em alta, ela vai de encontro a uma cerca que servia de varal, costume dos nativos, foi roupa pra tudo que é lado e preocupação geral, a pancada foi toda no pescoço e o arame farpado deixou algumas escoriações, o apelido é pra não perder a resenha, no mural não pode faltar, todavia seria justo chama-la de Sabrina brocadora, guerreira do mural!!! 
Chegamos em dona Didi ainda preocupados com a queda da companheira, Marcelo e Sergão quebraram a cabeça pra consertar o pneu e mais resenha! No almoço comida simples típico do povo de cachoeira, feijão, marisco, peixe frito, carne de panela, cerveja gelada e laranjas para a sobremesa. Muita resenha e seguimos para o que posso dizer que foi a melhor parte da trilha! 
Serjão pede a Elson pra pegar leve e não precisa nem dizer que o mesmo ignorou o pedido. Galera esse foi realmente o melhor momento, difícil até de descrever, a adrenalina ferveu, muita descida, single track maravilhoso (vejam o vídeo!), vegetação fechada, pedras, muito divertido, Hélio conhece onde dormem as cobras, todo mundo amarradão, conhecemos o Engenho do Buraco, esse nem eu que sou da terra conhecia, mais fotos, afinal estávamos dentro de uma estrutura secular e de onde brotaram os primeiros acontecimentos históricos de nosso país! 
Antes de chegarmos ao Engenho da Vitória, Rei recebe um tapa na cara, um galho cheio de espinho rasga a boca do rapaz, momento de muita preocupação, muito sangue, foi tão grave que ele vai ter que fazer uma reconstituição facial, o pior é que segundo ele a culpa foi de Mandrake que largou o galho de proposito!kkk. 
Seguimos até o Engenho da Vitória, mais fotos e só restam 8 km pra acabar a trilha, minhas pernas já estão fritas e nas duas últimas subidas me rendo e subo empurrando, solidário o amigo Hélio me acompanha, e me dá algumas dicas que aceito de bom grado! Pronto chegamos no Tororó, última localidade antes do centro da cidade, nesse local passei grandes momentos da minha infância, a venda de meu avô, a sede, o pé de tamarindo a igreja... a satisfação de concluir a trilha toma conta de mim, a felicidade de participar desse grupo e estar com eles pedalando na minha terra é imensa, indescritível!!! 
Chegamos no centro da cidade por volta das 17h30min e a satisfação é unanime. 60Km de pura alegria e adrenalina. Que trilha!!! Logo escurece e hora de voltar pra capital todos com gostinho de quero mais... Valeu Hélio, valeu Cachoeira, valeu Mural de Aventuras!!!(Rodrigo lima)
VEJA O VÍDEO ABAIXO. LIGA O SOM!  
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLAR





























































10 comentários:

Ramster disse...

Pode-se dizer, que quem ler a resenha, curtir o vídeo e apreciar as fotos, com ceterza vai ficar com muita inveja, pois foi muito show esta trilha,mais uma trilha ímpar do MURAL DE AVENTURAS.

Bora Mural de Aventuras...

"DINHEIRO NÃO COMPRA FELICIDADE... MAS COMPRA UMA BIKE, QUE É QUASE A MESMA COISA!"

Elson disse...

Depois de muitas trilhas, aventuras e de conhecer muitos amigos no pedal, ainda me surpreendo com um relato como esse de Rodrigo. A Trilha de Cachoeira foi realmente magnífica, mas saber o que sente as pessoas quando participa de uma aventura dessas do Mural de Aventuras é para mim uma grande satisfação!
Obrigado Helio por proporcionar essa experiência, parabéns Rodrigo pela resenha e por ser Muralista!

AH! Vale a pena ver o vídeo a até o final, as pérolas estão muito divertidas! rsrs.

Bora Mural!

Ed "Bala" disse...

Eu e minha esposa não perdemos uma resenha fotos e videos do mural,essa foi show de bike - parabens.E que dowhill coletivo, pneu com pneu em alta naquelas curvas, e que curvas viu! Pleno dominio e muita tecnica,E o melhor as perolas sempre são divertidas.Dei muitas risadas quando perguntaram a Rei se ele estava melhor ai ele some no meio do mato kkkk.

Ricardo Popó disse...

Esta terra é abençoada, cada lugar que nem se espera se encontra, lindo lugar. Mas uma coisa me deixou preocupado, foi ver a galera atravessando pela lateral aquele "riozinho", a menina da frente eu até entendo mas os marmanjos!!!!?? Ninguem passou rasgando ou brocando qualé!!! Na moral heim, dava para nadar ali e se refrescar na boa hum!! bando de !!!???

rodrigo lima disse...

A trilha de Ccahoeira foi realmente sensacional, Elsão o sentimento em ser MURALISTA é indescritível mesmo, só quem é pra saber e Popó eu e meu conterraneo brocamos aquele riozinho de boa! rsrsrrs. Mais uma vez obrigado ao Mural de Aventuras por ter me proporcionado esse momento!BM!!!

rodrigo lima disse...

A trilha de Ccahoeira foi realmente sensacional, Elsão o sentimento em ser MURALISTA é indescritível mesmo, só quem é pra saber e Popó eu e meu conterraneo brocamos aquele riozinho de boa! rsrsrrs. Mais uma vez obrigado ao Mural de Aventuras por ter me proporcionado esse momento!BM!!!

Andre Mandrake disse...

Rodrigo resenha simplesmente espetacular fotos e vídeo tb maravilhosos, a trilha foi fenomenal e já já estaremos lá outra x, Ramster com certeza muita gente vai ficar com inveja, inclusive vc my friend rsrsrsrsrs.

JP disse...

rapaz, tô de inveja, mas no bom sentido, se é que existe !rsrsr

Parabén galera pela trilha, lugar mto legal !

Mandrake, na proxima estarei, com fé em Deus !
JP.

rodrigo lima disse...

Valeu Mandrake, não vejo a hora da próxima!

SÉRGIO LUZ disse...

TRILHA SENSACIONAL, FICO MUITO FELIZ EM PARTICIPAR DESTE GRUPO! PARABÉNS RODRIGO, RESENHA MUITO AUTENTICA, FOTOS ESPETACULARES!!! BMMP