Trilha na Reserva de Sapiranga


O relógio marcava 4h13 quando saltei da cama entusiasmada para pedalar com a turma do Mural. A trilha foi na Reserva de Sapiranga, que fica “pras bandas” da Praia do Forte. Muito mais do que um simples giro com a galera, o desafio ia além: chegar na cara e na coragem, sem saber o que me esperava. Algumas perguntas me acompanhavam ao longo de todo o percurso na Estrada do Coco: Será que os Muralistas são bacanas? Será que eles irão ter paciência com esta criatura fora de forma? E esta trilha... como será?? E afinal, cadê os cocos desta estrada?
Foram muitos os pensamentos que permearam minha mente antes de chegar ao ponto de encontro. Após 50 minutos dirigindo, eis que entro no estacionamento do hotel das Baleias, ou alguma coisa assim. Dou início ao meu típico ritual de preparação. Logo começam a aparecer os meus novos maninhos de trilha, que agora vão ter que me aturar nos próximos pedais.
Turma reunida, o coordenador passa as instruções e partimos. Logo nos 10 metros iniciais, QUEDA!! Pensei, ótimo trabalho Sarah, começou bem! O primeiro trecho era de areia, exigia técnica, e quem disse que eu tinha? Fui a última a concluir esta parte. Um colega que eu não sei o nome, a pedido de todos, voltou um pedaço da trilha para ensinar como era que descia o corredor de areia. Missão dada, missão cumprida. O Cara mandou muito bem. Quem sabe da próxima vez eu tenha essa coragem, afinal é só areia. 
Sobre Sapiranga, o lugar é de beleza exuberante! Tentei aproveitar a trilha ao máximo, ignorando minha falta de condicionamento físico. O sol torrava meu tico e teco e eu já esperava ansiosa encontrar um rio de água bem gelada. Para minha alegria, o povo parou próximo a uma casa onde o proprietário deixou eu detonar o calor tomando um banho no tangue.   
            Revigorada, seguimos na trilha. Enfim, chegamos ao rio, mas para minha tristeza ele não fazia parte da parada técnica. Todos com as bikes nas costas atravessamos até a outra margem. Por ironia do destino, um pneu fura, e lá vai mais uma Coca-Cola de 2 litros para a turma do Mural e para mim restou mais alguns minutos aproveitando a água.
            Isso trouxe algumas indagações que até agora não cheguei a uma resposta. Por que os muralistas não fizeram questão de mergulhar? Medo de jacaré? De cobra? Da água gelada? Será que eles estavam com frio? Talvez eles não quisessem se molhar ou não soubessem nadar. Vai entender! Só sei que minutos antes de partirmos surgiu uma pérola interessante que até agora estou refletindo a respeito: “Você não sabe pedalar e correr ao mesmo tempo?” (não lembro quem foi o poeta que disse isso)
            Na verdade, não decorei o nome de quase ninguém. Só lembro que tinha um tal de X9 e um monte de gente bacana pedalando juntos, unidos e felizes. Adorei de verdade passar a manhã de sábado com essa galera saudável, alto astral, solidários. Espero ter o privilégio de pedalar mais vezes com os Muralistas, descobrindo as belezas desta Bahia. Sarah Viegas.
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR








































7 comentários:

Elson disse...

Olá Sarah!

Muito legal sua resenha. Esqueceu de falar de seu novo apelido que foi lhe dado devido a sua paixão pela água! Rsrs: "Botinho"!

As trilha do Mural são sempre assim, muito divertidas e com o espírito que vc relatou! Seja bem-vinda Botinho!

Um grande abraço.

ED disse...

Parabéns garota,você pedalou muito!Essa trilha foi muito legal,cada sigletrack massa,show de bike!E diga-se de passagem ,essa galera do mural é dez!Foi a trilha pós-Atacama,estavam inspiradissimos e nós é claro aproveitamos em alta essa pedalada.Valeu Mural!

Tiagão disse...

Muito doido o pedal na Reserva Sapiranga! Valeu cada esforço! Pena eu não estar amanhã no CTM para as resenhas... Abraços!

Ricardo Marinho disse...

Salve Galera,

como a Sarah, eu chegeui com a cara-e-coragem, sem conhecer ninguém. Nem mesmo no CTM da paralela.

A turma é nota 1000!
Espero reencontrá-los o mais breve possível.

josa disse...

ráááá achou que não iamos lembrar do Botinho Rosa srsrs, ótima resenha e agora voce já sabe o que é mural de aventuras srsrs. O Botinho inclusve puxou o pedal alguns Km dentro da trilha, com duas quedinhas, mas mesmo assim não desistiu srsrsrs

Luiz C. Assis Jr. disse...

Bela trilha! Parabéns à futura nova muralista pela resenha e pela participação que, pelos comentários, parece ter sido exemplar.

Ver aquela travessia do rio nas fotos me fez lembrar do corujão ali, quando atravessamos por volta das duas da madrugada e Josa passou com a batatinha assando, rsrsrs...

Ramster disse...

Parabéns Sarah pela resenha, vejo que assimilou bem o espirito da "família" que é o MURAL DE AVENTURAS.

Espero rever logo esta galera, pois este é o MURAL DE AVENTURAS.

"Dinheiro não compra felicidade... Mas compra uma bike, que é quase a mesma coisa!"